quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Fornalha


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Laércio Laurelli

Estão queimando tudo; as virtudes, a moral, a dignidade, a honradez da consciência pública, o coração do patriotismo via independência democrática, nos exatos termos dos sentimentos de Direito e de Justiça.

Estão queimando também os elementos intelectuais e racionais nos planos sensoriais superiores emocionais e afetivos do sentimento e pensamento em direção à destruição da sociedade ordeiramente constituída. Sim esta é a definição dos sentidos hoje, arraigada nos valores de nossa existência.

Os direitos e garantias individuais e coletivos já eram frágeis, ditados pela inconsistência do avanço da desordem política de nossos representantes nas instituições dos três poderes, consoante à história de nossas vidas, protegidas então, em função da segurança de uma “lei” fundamental com o objetivo da formação de um Estado de Direito, constituída para a preservação dos poderes públicos, dos direitos e deveres dos cidadãos.

Agora, da fragilidade inconsciente passou-se ao estado de consciência falada, escrita e televisada mostrando a constante insegurança, medo, aflição, desordem promovidos pelo conluio entre os “marginais” do poder político com a conspiração de seus aliados da maior corrupção instalada no Brasil pelo ignóbil governo comunista-terrorista federal.

Basta o povo sair às ruas para reivindicar um ”direito”, para que “eles” se manifestem com a truculência própria, exercida com os instrumentos manejados e ditados à defesa do “mal” para a permanência outrora conquistada, visando à continuação da roubalheira institucionalizada.

Temos a impressão que nenhuma autoridade forte conseguirá paralisar as funções terroristas deste governo.

Estão bem aparelhados com táticas e estratégias de guerrilha importada de cuba ou venezuela.

Nem mesmo o Tribunal Internacional de Haia, protetor dos direitos internacionais, alcançará êxito para colocar a ordem necessária neste país.
Esta fornalha esta infestada do “zika vírus” da corrupção manejada pelo exército vermelho, instalado no poder do governo comunista-terrorista federal.


Laercio Laurelli - desembargador aposentado do Tribunal de Justiça do Estado de são Paulo - professor de direito penal e processual penal – jurista - articulista – conferencista – “idealizador e apresentador do programa Direito e Justiça em foco”.

3 comentários:

Loumari disse...

Procure ser um homem de valor, em vez de ser um homem de sucesso.
(Elbert Einstein)

Loumari disse...

O Poder das Palavras
A humanidade entrará no terceiro milénio sob o império das palavras. Não é verdade que a imagem esteja a suplantá-las nem que possa extingui-las. Pelo contrário, está a potenciá-las: nunca houve no mundo tantas palavras com tanto alcance, autoridade e arbítrio como na imensa Babel da vida atual. Palavras inventadas, maltratadas ou sacralizadas pela imprensa, pelos livros descartáveis, pelos cartazes de publicidade; faladas e cantadas pela rádio, pela televisão, pelo cinema, pelo telefone, pelos altifalantes públicos: gritadas à brocha nas paredes da rua ou sussurradas ao ouvido nas penumbras do amor. Não: o grande derrotado é o silêncio. As coisas têm agora tantos nomes em tantas línguas que já não é fácil saber como se chamam em nenhuma. Os idiomas dispersam-se à rédea solta, misturam-se e confundem-se, desembestados rumo ao destino inelutável de uma língua global.

"Gabriel García Marquez, in 'Eu não Venho Fazer um Discurso'
Colômbia 6 Mar 1927 // 17 Abr 2014
Escritor/Jornalista [Nobel 1982]

Loumari disse...

O simples acto de tomar a palavra é um exercício de poder. Escrita ou oral, a palavra verbaliza uma mensagem, explica-a e consolida-a.
(Judite Sousa)



As palavras são a voz humana em pleno voo.
(Baptista Bastos)