terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Idolatria ou Admiração


“Dinheiro não lhe emprestei
Favores nunca lhe fiz
Não alimentei o seu gênio ruim
Você nada está me devendo
Por isso, meu bem, não entendo
Porque anda agora falando de mim.”
(Chico Buarque)

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Renato Sant'Ana

O que escrevi sobre Chico Buarque, [1] relativizando a sua imagem "intocável", jamais atacando, provocou algumas reações. Todas cordiais, vindas de amigos cuja miopia não me ofende. Não vou analisar cada uma em particular.

Há um Chico que eu admiro; outro, que critico; outro é um mito criteriosamente forjado para uma finalidade oculta. Vamos ver.

A bela arte

O Chico que eu admiro é o jovem compositor da década de 1970: letras complexas, melodias originais e (mérito doutros músicos) arranjos bem elaborados. O Chico da década anterior, embora tenha algumas canções que, gravadas por outros, se revelaram lindas, é sobretudo um compositor
de sambinhas velhacos. Horrível! Mas era pouco mais que um adolescente. Atingiu a maturidade como compositor na década de 1970. E na seguinte escorregou lento e seguro para o patético até tornar-se musicalmente
insuportável. E daí? Uma coisa não anula a outra! O que ele fez de bom não é apagado pelo que fez de medíocre. Por sua década de ouro, tem seu nome garantido entre os melhores compositores populares.

Brilho ofuscado

Mas ele é uma figura pública e, por conseguinte, sujeito a críticas. Não pode reclamar. Nem ele, nem os seus fãs. E como usa a sua publicidade? Mal! Faz pose de intelectual, mas nunca fez análise crítica de coisa alguma. Eu nunca vi, embora acompanhe sua carreira. Estou falando de "vida adulta", de análise, de crítica elaborada. Isso nunca fez! Claro, os meninos do grêmio estudantil pensam que "criticar" é simplesmente "dar pau", desancar, esculachar. É o que Chico sempre fez - às vezes com maestria, se é que isso é possível. Mas aplicar os piores adjetivos ao capitalismo, demonizar empresários, elogiar ditaduras, defender partido e desrespeitar adversários, essas práticas simplórias e irresponsáveis não se confundem com análise crítica. E o Chico "ser político" não vai muito além disso. Mas o pior é prestar-se como propagandista de ideologias antidemocráticas: aplaude a ditadura da Venezuela, ajuda a perpetuar mentiras sobre Cuba, empenha-se em ocultar a tremenda corrupção que tomou conta do país. Não sei por que Chico não quer enxergar o Brasil. Como não criticá-lo?

Inconsistência do mito

Fique claro, não o estou julgando. É impossível conhecer o fluxo de consciência de uma pessoa; logo, é impossível julgar quem quer que seja. Possível é, isto sim, estabelecer juízo sobre a conduta, que pode ser apreciada objetivamente. Julgam-se comportamentos, não pessoas. Assim é no Estado de direito; assim deveria ser a atitude de cada um.

Talvez ele mesmo acredite no mito, mas é falso que Chico um dia haja defendido a democracia. jamais! Sempre esteve ombreado com quem quis - e segue querendo - implantar no Brasil a ditadura do proletariado. Daqueles que - na subversão - combateram o regime militar, uns poucos fizeram autocrítica, tendo a maturidade de revisar suas crenças. Destes, um dos mais notórios é Fernando Gabeira,[2] que escancara: ele e seus pares não estavam combatendo o regime para defender a democracia, mas tentando implantar outra ditadura. A sua ditadura. Tudo mais é mito.

Em 1989 Chico era um quarentão. Mas seguia imaturo, autoritário ao ponto de querer calar a imprensa. Vale o testemunho de Alexandre Garcia,[3] afrontado por um grupo de artistas da Globo (Chico entre eles). Os artistas não queriam que se divulgassem as pesquisas e os números desfavoráveis a Lula.

Fato é que Chico Buarque sempre foi intolerante e nunca soube respeitar o pensamento alheio - nem quando esse pensamento veio com bom-humor. Conta Luís Antônio Giron (Revista Florense, 2004) que, lá por 1984, Millôr encontrava-se num restaurante em Ipanema, quando Chico apareceu e o atacou. Chamou-o de "velho" e quase o agrediu com uma garrafa de uísque. É que Millôr havia escrito que jamais permitiria o seu cãozinho passear com ele. Ali, Chico foi grosseiro, incivil, autoritário ou, como petistas tratam quem pensa diferente, foi fascista, aguçando a ironia do inabalável Millôr.

Em suma, o riquíssimo Chico não passa de um teórico da divisão da riqueza... dos outros! No entanto, sempre incensado nos jornais e revistas, teve forjada uma imagem de vestal imaculada. Não o é. A quem interessa esse mito? Que cada qual responda segundo sua capacidade de pensar.

Todos os projetos de ditadura contam com celebridades da arte que se prestam como colaboracionistas - às vezes, por espontaneidade induzida... Não tenho como saber se Chico, bem-nascido e muito rico, foi cooptado, comprado ou seduzido para estar a serviço do autoritarismo. Mas lembro uma frase do Millôr:[4] "Desconfio de todo idealista que lucra com seu ideal."

Encerro

Eu posso admirar o compositor e, ao mesmo tempo, ter uma visão crítica de seu comportamento como cidadão. Ter ídolos é para adolescentes. É próprio de adultos separar as coisas e ponderar, admirando o que é admirável, criticando o que é criticável. Aliás, nem quando adolescente eu o idolatrei. E sua militância contra a democracia não é bastante para eu jogar no lixo os seus discos da década de 1970. Finalizo com uma do Millôr, perfeita para certos governistas da vez: "Quem se curva aos opressores mostra a bunda aos oprimidos."

[1] Leia o post anterior em:

http://www.alertatotal.net/2016/01/dois-pesos.html

[2] Veja vídeo com a fala de Gabeira em:


[3] Veja vídeo com depoimento de Alexandre Garcia em:


[4] Veja a frase pronunciada pelo próprio Millôr em:



Renato Sant'Ana é Psicólogo e Bacharel em Direito.

15 comentários:

Loumari disse...

Decisivamente a frase do Émile Zola nunca foi assim tão de actualidade no que representa a conjuntura brasileira!

“Mon devoir est de parler, je ne veux pas être complice”. Meu dever é falar, não quero ser cúmplice. (Émile Zola)

E também li aqui no artigo de Sant'Ana esta frase "Julgam-se comportamentos, não pessoas." ao meu julgar esta curta frase vai ferrar bem fundo naqueles endemoninhados que têm o costume de aparecerem aqui e nos reprocharem de lhes julgar. A Bíblia nos dá autoridade de REPREENDER os que andam em erro para que sejam sãos no espírito. Teme ser julgado aquela pessoa cujas obras são más. São desta raça de gentes que dizem: O que tens connosco Jesus Filho de Deus? Vieste nos atormentar antes do tempo?
Se o mal prosperou e se tornou a força dominante e ganhou poder na sociedade, foi devido a inacção dos bons.
JÁ CHEGOU A HORA DE DAR AQUELE BERRO DE CÓLERA E DIZER, BASTA!
Sejais amigos do bem e não cúmplices da corrupção.

Anônimo disse...

Tenho que dar meus parabéns ao Sr. Renato Sant'anna. Ele exercitou suas melhores qualidades de psicólogo e de advogado. Construiu, sem passionalismo, um quadro bem traçado para a compreensão dos comportamentos de C.B. em favor do Pt e do petismo, preservando a obra musical do moço que nunca chegou a ser arquiteto pela FAU.

As ilustrações ao comportamento autoritário do intelectual da Ile de Saint Louis por meio dos videos de Alexandre Garcia, Milor e do Gabeira estão perfeitas.

Vamos continuar a combater, esclarecer e desmistificar as imaturidades e contradições de Chique Buarque e de sua claque de idólatras.

Sds

Vera Vera disse...

Análise fantástica...perfeita. Justamente o que penso. Não se esqueçam do autoritarismo frente às biografias...

Vera Vera disse...

Análise perfeita...Exatamente como penso. Esqueceu apenas da celeuma das biografias em que a face fascista de Chico predominou mais uma vez.

Vera Vera disse...

Análise fantástica...perfeita. Justamente o que penso. Não se esqueçam do autoritarismo frente às biografias...

ELJ Caruso disse...

Discordo apenas da fase que o autor considera ruim, posterior aos anos 70. Quanto ao comportamento e postura a analise está de acordo. O socialismo é bom com o dinheiro alheio. Queria ver se ele tivesse que dividir aquilo que conquistou.

Anônimo disse...

Palavras benditas e colocadas ao vento, mostrando e demonstrando o quanto de perverso, inconsequente e aproveitador é o Chico. Passa imagem de bom moço mas na verdade é apenas um adolescente imaturo ou um adulto infantil. Lasca-pedra! solta faíscas que incendeiam a Democracia e dispara a língua aos quatro cantos promovendo discórdias e inverdades a cerca de si e de outros. Não passarás!!!

Edson Rodrigues disse...

Parabéns....Ótima dissertação....sou pai tenho 2 filhos em fase adolesçencia curtem chico buarque de holanda, porém eu ODEIO ESSE PETISTA....mas não deixo meus filhos ouvirem as músicas...é igual vc falou...uma coisa...outra coisa....mas ele já esta em fim de carreira e fazendo mal para o BRASIL que nós tanto amamos...

Edson Rodrigues disse...

Parabéns....Ótima dissertação....sou pai tenho 2 filhos em fase adolesçencia curtem chico buarque de holanda, porém eu ODEIO ESSE PETISTA....mas não deixo meus filhos ouvirem as músicas...é igual vc falou...uma coisa...outra coisa....mas ele já esta em fim de carreira e fazendo mal para o BRASIL que nós tanto amamos...

Anônimo disse...

ESSE MOÇO DE OLHOS CLAROS DE SORRISO INTELIGENTE, SABE AS COISAS DO MEU POVO SE A GENTE SOFRE ELE SENTE, MEU AMIGO CAMARADA SABE DO MEU PARADEIRO, LHE CONFESSO DE VERDADE SEMPRE FUI SEU COMPANHEIRO,ESTAVA A TOA NA VIDA MEU AMOR ME CHAMOU... VOCÊS QUASE ASSASSINARAM ESTE GENIO, CUIDADO O PAU QUE BATE EM CHICO TAMBÉM BATE EM FRANCISCO...

Anônimo disse...

MILLÔR SEMPRE FOI UM LIXO, E TUDO O QUE ESCRVEU TAMBÉM. CHICO É E SEMPRE SERÁ UM IDOLO. MILLÔR UMA DROGA PARA SEMPRE... OLHA LÁ MINHA BOIADA VISITANDO A SUA FAZENDA...

Anônimo disse...

Anônimo filho da vagabunda arrombada às 10:39 ! Vai buscar a Puta que te defecou na zona porque o expediente da filha da puta já acabou !

Anônimo disse...

Anônimo das 5.52.Eu pego a sua também? Ela tá faturando com seu conjugue e o corno do teu pai dando a bunda do teu lado, bicha loca do caralho... Você e o viado fdp que não censurou esta merda...

Loumari disse...

Foi muito surpreendente a reacção violenta em contra do anônimo de 10:39 PM?
De principio ele não injuriou ninguém, até porque fez prova de excelente galanteria e o seu mini-poema muito lindo.
Em câmbio o outro individuo no anônimo de 5:32 PM é destes que traz a barriga cheia de sapos podres e procura por onde vomitar a sua podridão. Para a maior vergonha do seu genitor.

Kleber disse...

Bela análise. Sempre gostei do Chico, pelas músicas que me emocionaram nos anos 80, e pela coragem (assim me parecia na época), das posições de esquerda. Mas o homem não evoluiu e ficou naquele tempo. E nós estamos aqui, 30 anos depois, escutando as tolices que sabemos não funcionar, porque a prática provou isso.