sábado, 9 de janeiro de 2016

Jaques Wagner pode ferrar Dilma?


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

É insustentável a manutenção no cargo do Ministro da Casa Civil. Jaques Wagner, homem de confiança de Lula que vinha tirando onda de porta-voz do desgoverno, cometendo sincericídios contra Dilma Rousseff, tem grandes chances de entrar, oficialmente, na nada ilustre lista negra de investigados pela Lava Jato. Assim, quem está escalado para apagar o incêndio do impeachment da Dilma é quem pode terminar politicamente incinerado.

A bronca que agora estourou contra Wagner é apenas o prenúncio do que deve explodir, finalmente, contra José Sérgio Gabrielli - ex-presidente da Petrobras e ex-Secretário de Planejamento do governo da Bahia, na gestão wagneriana. Qualquer bebum de botequim pé-sujo sabe que, se Gabrielli for duramente atingido, quem dança é Lula. Além disso, como Dilma era a "Presidente" do Conselho de Administração da Petrobras, na gestão Gabrielli, o bicho também pode pegar para ela.

Os baianos só querem que Jaques Wagner explique, direitinho, como conseguiu o dinheiro (R$ 500 mil) para integralizar a compra de um apartamento no edifício Victory Tower, no Corredor da Vitória, área ultra-nobre da capital baiana. Wagner alegou que pagou R$ 1 milhão 450 mil pelo apartamentão, depois de vender, por R$ 900 mil, um outro imóvel da família a um então assessor, Antônio Celso, além de pegar meio milhão emprestado com seu irmão. São estes quinhentos paus que entram agora na berlinda.    

A Dilma sem-noção e popularidade terá muita dificuldade para sustentar a subjetiva opinião de que não vê gravidade nas denúncias contra Wagner. O Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, também acabará forçado pela realidade a reconhecer que Wagner tem de ser investigado, mesmo ocupando um dos cargos mais poderosos do Palácio do Planalto, pela proximidade com a Presidenta. Mais uma vez, vai ficar complicado pegar apenas no pé de Eduardo Cunha - evitando mexer com outros poderosos.

O delator premiado Nestor Cerveró é a testemunha ocular para detonar Wagner. Foi o ex-diretor Industrial da Petrobras, condenado na Lava Jato, quem revelou que José Sérgio Gabrielli teria desviado dinheiro da Petrobras para a campanha de Wagner ao governo da Bahia, em 2006. A única ressalva é que Cerveró alegou que não poderia provas a denúncia, pois teria ouvido a bombástica revelação de duas pessoas ligadas a Gabrielli: a ouvidora geral da Petrobras, Maria Augusta, falecida em 2006, e Armando Tripodi, dirigente do Sindicato dos Petroleiros da Bahia.

Quem tem efetivo potencial para ferrar Jaques Wagner é o ex-presidente da construtora OAS, José Aldemário Pinheiro Filho. Mais conhecido como Léo Pinheiro, ele já está condenado a 16 anos e quatro meses de reclusão por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa, e curtindo a gelada cadeia em Curitiba. O dirigente da empreiteira do blindadíssimo Cesar Mata Pires (famoso ex-genro do falecido ACM) acabou condenado pelo teor de documentos e troca de mensagens com dirigentes da OAS, sempre se referindo a negócios com políticos de ponta.

Foi Léo Pinheiro quem se referiu ao ex-presidente Lula pelo apelido de “Brahma”. Foi com o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que tratou de doações eleitorais. O mesmo assunto discutiu com Edinho Silva, quando o hoje ministro da Secretaria de Comunicação Social da Dilma era tesoureiro da campanha presidencial dela. Léo Pinheiro complica Jaques Wagner por ter pedido a ele a intervenção do então governador da Bahia para a liberação de uma verba retida pelo Ministério dos Transportes. Entre 2008 e 2014, o Grupo OAS desembolsou R$ 197 milhões em campanhas eleitorais.

Agora, a situação se complica. A OAS, endividada até a medula, está em recuperação judicial. E, depois das recentes denúncias, é Wagner quem vai precisar operar o milagre de recuperar a credibilidade para permanecer na Casa Civil da Presidência da República - que mais parece um cargo maldito para a petelândia. Por lá passaram: José Dirceu, Antônio Palocci, Erenice Guerra, Gleise Hoffmann, Aloísio Mercadante e a própria Dilma. Será coincidência que tantos responsáveis pelo meio-campo do desgoverno estejam condenados ou investigados judicialmente - até agora com a exceção da Dilma?   

Testemunha ocular


É dando que Wagner recebe


Pronto pra inclusão


Só toma no Cunha?


Diga quem é...


Me dá um dinheiro aí...


Colabore com o Alerta Total

Os leitores, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente com o Alerta Total poderão fazê-lo de várias formas, com qualquer quantia, e com uma periodicidade compatível com suas possibilidades.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil. Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

OBS) Valores até R$ 9.999,00 não precisam identificar quem faz o depósito; R$ 10 mil ou mais, sim.

II) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

III) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 9 de Janeiro de 2016.

7 comentários:

Sérgio Alves de Oliveira disse...

Sempre que surge o nome de Sergio Gabrielli na lista "suja" da mídia,meu espírito volta à época em que ele presidia a Petrobrás. Como bem antes da sua saída já se anunciava que isso poderia ocorrer,a "alma" brasileira,sempre muito idiota,conduzida pela mídia "safada", e interessada num resultado "X",tremeu como se estivesse em cima de um terremoto magnitude 6. Se Gabrielli saísse da petrolífera,o valor das ações da empresa cairiam vertiginosamente. Sua permanência era necessária,sob risco de grande abalo na empresa.Sua permanência seria uma exigência do "mercado internacional".Por aí se vê a influência que pode ter uma mídia criminosa na destruição de um país. Mas ela sabe que tem garantia de não ser importunada por ter feito uso da sua"liberdade (?)" de imprensa,mesmo que trabalhando a favor do crime.

ARS disse...

Mais ferrada do que já está, a anta não pode ficar. Falta coragem à pf para cumprir seu papel e investigar o presidente de honra da organização criminosa no poder e sua fantoche.

Anônimo disse...

Meu pai era um trabalhador brasileiro. Acordava pela manhã e quando sentávamos à mesa para o 'café da manhã’, antes de irmos para a escola, já sabíamos pelo seu semblante que a sua preocupação estava nas suas responsabilidades do dia que se adentrava, pois delas com o seu emprego, dependia a sua família. Como que esses políticos podem ter cabeça para concentrarem-se na administração de um estado e tudo que vem com isso, se nelas o que se passa são só falcatruas e as suas consequências, tais como,... o que cobrar de fulano, quanto estou devendo para sicrano, tenho que esconder isso do leão, tenho que manter segredo, não posso falar nesse telefone, minha família não pode falar sobre a nova fazenda (aqui a família e os filhos se juntam), o Mané está falando muito, preciso acobertar esse caso, essa intimação é séria, recebi a menos daquele “canalha” (torto falando de aleijado), esse laranja alcaguete está me tirando do “sério”, etc? Como é que esse bando tem tempo para a administração de um país, das necessidades de uma sociedade, se da cabeça deles só sai merda? Explica aí, oh...

Anônimo disse...

Será que agora o Ministério Público vai continuar mandando a Polícia Federal investigar só o Cunha ou vai ter coragem de enquadrar Jacques Wagner e o restante da quadrilha?

Anônimo disse...

Cleonice I ferreira disse:
Nos o Povo Brasileiro já entendemos que só parando o Brasil por tempo indeterminado, fechando o Congresso,pode mudar um pouquinho.O Brasil está rolando ladeira abaixo. Tudo piorando de forma assustadora, o estado que existe é só para criar impostos todos os dias. NADA DE SEGURANÇA, NADA DE SAÚDE, NADA DE EDUCAÇÃO, É UM ESTADO CAÓTICO.
Um Estado em uma guerra civil das piores que existe. Algo de muito grave está acontecendo no Brasil e o povo já percebeu,estão criando o caos generalizado,estão sabotando tudo, para levar o povo ao desespero, por ser intencional é muito perigoso. Todo mundo sabe como começa,mas quem pode dizer como termina?

Laurindo Alberto de Oliveira Couto disse...

Será que ainda não ficou provado que não se pode entregar toda a autoridade de um país a uma só pessoa, muito menos quando essa pessoa é uma finória, uma
alarife, aproveitadora da boa fé de um povo ?

Anônimo disse...

Eita que esse pessoal devia pagar um imposto muito alto , pois a policia só trabalha para investigar esses vagabundos,,,, e o povo é quem paga.