sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

O último assalto no Planalto


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

No ringue, a boxeadora trôpega cambaleia.

Nem novos cambalachos tiram a Anta do tacho em cima do fogão.

Caminhamos céleres para um novo apagão.

O desgoverno do autoengano quer nos servir um cardápio vegano.

Mandioca (aipim) e capim no festim que chega ao fim.

O cãogresso parece do pet shop egresso.

Tosquiado, castrado e resfriado.

Era um pit bull, hoje bichon frisé.

O supremo de frango virou fricassé.

As instituições em frangalhos esperam por dona Onça.

Parece sadomasoquista, mas pelo povo é bem quista.


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

2 comentários:

Loumari disse...

Resgatar o Prazer de Viver

É possível resgatar o prazer de viver, é possível treinar a emoção para ser jovem, desprendida, livre, feliz.

Primeiro: Contemple o belo nos pequenos eventos da vida.
Tenha sempre atividades programadas fora da sua agenda pelo menos uma vez por semana. Valorize aquilo que o dinheiro não compra e que não dá prestígio.
Treine dez minutos por dia a contemplar a anatomia das flores, a gastar tempo a ver o brilho das estrelas, a experimentar o prazer de penetrar no mundo das pessoas.
Não viva em função de grandes eventos, aprenda a extrair o prazer dos pequenos estímulos da rotina diária.

Segundo: Irrigue o palco da mente com pensamentos agradáveis.
Treine trazer diariamente à sua memória aquilo que lhe traz esperança, serenidade e encanto pela vida. Pense em conquistar pessoas e em superar os seus obstáculos. Pense em ser íntimo do Autor da vida e conhecer os mistérios da existência.
Os seus maiores inimigos estão dentro de si. Não se deixe derrotar ou perturbar por pensamentos que lhe roubam a tranquilidade e o prazer de viver.
Treine ver o lado positivo de todas as coisas negativas. Os negativistas veem os raios, os que renovam a emoção veem a chuva; os negativistas veem o caos e os que renovam a emoção veem uma oportunidade de começar tudo de novo.

Terceiro: Pense como um adulto e sinta como uma criança.
Treine pensar com lucidez, serenidade e consciência, mas tenha a simplicidade e a espontaneidade de uma criança.
Treine ser uma pessoa agradável na sua empresa ou família. Cumprimente todas as pessoas do ambiente, aperte as suas mãos e sorria. Uma pessoa é mais jovem emocionalmente quanto mais agradável for.

Quarto: Não faça o velório antes do tempo, não sofra por antecipação.
Pense nos problemas e nas situações que ainda não aconteceram o suficiente para planear determinadas atitudes, mas jamais gravite em torno deles.
Os que sofrem por antecipação treinam a infelicidade, gastam uma energia vital, fazem das suas vidas um canteiro de preocupações e stress.

Quinto: Proteja a sua emoção nos focos de tensão.
Não faça da sua emoção um balde de lixo social. Treine protegê-la nos focos de tensão, não permita que as ofensas, as perdas e as frustrações invadam a sua emoção.
Você deve ser um pequeno peixe num mar de tensão. Está no mar, mas o mar não está em si. Não se esqueça de que pensar muito aumenta a ansiedade e a ansiedade crónica envelhece a emoção.

Sexto: Não seja carrasco de si mesmo.
Não coloque metas inatingíveis para si. Reconheça a sua falibilidade. Mesmo não querendo errar, acabará por falhar muitas vezes. Falhará, talvez, até em lições que já aprendeu.
Não se destrua por causa de sentimentos de culpa nem cobre aos outros o que eles não podem dar.
Comece tudo de novo quantas vezes for necessário. Aprenda a ser compreensivo e paciente consigo mesmo. Os que são carrascos de si mesmos encurtam a primavera da emoção.

"Augusto Cury, in 'Treinar as Emoções Para Ser Feliz'
Brasil n. 2 Out 1958
Psiquiatra/Escritor

Loumari disse...

Começamos a morrer quando só somos capazes de nos copiar. «Escolhe-se morrer?». Às vezes, escolhe-se não viver, que é uma forma de estar vivo e estar morto ao mesmo tempo.
(Eduardo Sá)