domingo, 21 de fevereiro de 2016

Compadrio


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Laercio Laurelli

A “mídia forte”, comadre da corrupção do governo comunista terrorista deste país, modulou noticia de emoções e sensações que nascem e mudam face estarem sujeitas aos princípios de ritmo e de polaridade, sob o comando do “quociente mental triádico” na dimensão do subgrupo comportamental, “antioficial”, localizado do lado esquerdo do “cérebro”.

Pelo caminho do erro grosseiro dos que praticam o poder sensitivo, organizativo, de ação, na vida prática, formam certos conhecimentos, na contramão da lógica e da razão e, por esforço de uma vontade espúria, que os fazem entender que podem produzir uma emoção ou estado de uma natureza exatamente oposta à realidade.

Transitam no leito carroçável da “estradinha” denominada “servidão” que se adapta á eles. Propensos às alucinações e fantasias sem fundamento, perdem-se em sonhos e divagações, ora cá ora lá, Maria-vai-com-as-outras, e outros que tais, mas, fatalmente, sempre, se apresentam na passarela do espectro denominado, confronto. São os chamados “misticóides”. 

As alucinações e as fantasias se apresentam sempre que há necessidade, pelo processo cientifico, de modelar a cabeça da sociedade para dar continuidade àquilo que existe. Com seus aparelhos, seus rituais e seus métodos conseguem atingir a meta, cuja intuição, é a de desatrelar cada pessoa que compõe a sociedade, para trilharem seus caminhos, impingindo a condução, visando atingir os desígnios programados pelo factível grupo comunista terrorista do Poder.

É que o “chefe” da facção está em apuros. Necessita urgentemente de um fato-fantasia para dissimular e tirar a atenção do atoleiro em que se meteu, para defender sua própria sobrevivência de liberdade e desencadear um estímulo de confronto. Então, faz trazer reportagem pela tal “mídia forte”, a figura de um político (FHC) de evidência séria. Manipula com perspectiva populista de confronto, com o objetivo de desviar os holofotes que reforçam suspeitas de sua ligação, com o sítio de Atibaia, no interior de São Paulo, e o tríplex no condomínio Solaris, no Guarujá.

A Folha de São Paulo informou que o Ministro da Justiça disse: “de que a área técnica da pasta está "fazendo um estudo preliminar" sobre a denúncia de que o ex-presidente (FHC) teria enviado dinheiro ao exterior por meio da Brasif S.A. Exportação e Importação” (grifos nosso).

Pode alguém, por ventura, ter alguma dúvida sobre o “compadrio” existente entre “eles”, os meninos e as meninas do mal, que compõem a ignorância e o orgulho de serem ignorantes? Óbvio e Ululante (Nelson Rodrigues), que a potencialidade desta máxima é estreme de dúvida (sem mistura, pura, genuína) que acompanha a lógica. Não são antagônicos.

Quando se escreve um artigo, proveniente de matéria veiculada pela imprensa falada, escrita e televisada, óbvio que a singularidade alteia-se ao domínio público e, por esse motivo, não se tem mandato especifico para comentar os assuntos em “pauta pública”.

Portanto, por questão patriótica, podem-se e devem-se exaltar os sentidos de fé, intuição e amor, que convivem na organização sacral do lado direito do “cérebro”, para externar considerações sobre temas, se e quando, por maior necessidade de prudência, afrontarem as verdades sublimes e a Pátria. 


Laercio Laurelli – Desembargador aposentado do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo – Professor de Direito Penal e Processo Penal – Jurista – articulista – Idealizador, diretor e apresentador do programa de T.V. “Direito e Justiça em Foco”.

Um comentário:

Loumari disse...

Uhm! Para um princípio na escola da sabedoria, não está nada mal. Mas pode fazer melhor.
Je suis patiente.