quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Falcatruas e Militância nas Ruas


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Quarta-feira pro cara que só diz besteira.

Surfava da fama na esteira um bicho sem eira nem beira.

Que a compostura não perca após bater o rabo na cerca.

Ponha angostura no gin e o terá pink; afinal em francês é rose.

Perde o pêlo mas não perde a pose.

Estamos em plena quaresma; passe a jato ou passo de lesma.

Agora faz cara de beato pra tentar não pagar o pato.

Sofre devassa sem descanso até passar de pato a ganso.

Cagado de urubu, vai tomar na rima e sabe que do prestígio nem vestígio.

Apela pra última instância, ou seja a própria militância.

A mesma já de vômito com ânsia, de tanto comer mortadela, não pensa mais ir à rua onde batem até em mulher nua.

Tapa sexo com cara de anta? Assim, nada mais levanta.


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

2 comentários:

Loumari disse...

A Vida é uma Eternidade

Sabemos que vamos morrer e que estaremos mortos tanto tempo como não estivemos à espera para nascer. É banal dizer-se que a vida é um intervalo ou uma passagem ou um instante. Não é. A vida é uma excepção generosamente comprida à regra nem triste nem alegre da inexistência.
A vida está para o nada como o planeta Terra está para o sistema solar a que pertence. Sim, pode haver vida noutros planetas. Mas será uma vida que vale a pena viver? Ou que apenas vale a pena estudar?

Sabemos que temos muito tempo de vida: muito mais do que precisamos. O direito à preguiça e à procrastinação está consagrado na nossa vida e faz logo, à partida, parte dela.
Sabemos que somos obrigados a pensar, errada e repetidamente, que o tempo em que estamos vivos é importante. E que as nossas noções de declínio ("dantes é que era bom; os jovens de hoje não sabem o que perdem") são lugares-comuns de todas as gerações antes de nós.

Sabemos que não há ninguém que não envelheça, desde o bebé que nasceu neste segundo até ao velho que, por ter morrido agora mesmo, deixou de envelhecer.
A vida é uma eternidade, por muito que seja bonito fingir o contrário. Chega e sobra para o que queremos fazer. A oportunidade de existir é-nos oferecida. O resto é merda ou ouro.

Sabemos que estamos cá para cá estar. E que não haverá segunda oportunidade. O luxo é saber que podemos enganar-nos. É saber que podemos perder tempo. O tempo é o luxo que a nossa vida não só desrespeita como desmerece.

"Miguel Esteves , in 'Jornal Público' (17 Jan 2014), "O que sabemos"
Portugal n. 25 Jul 1955
Crítico/Escritor/Jornalista

Loumari disse...

Aqui está O Segredo para a Felicidade

Espero que você esteja bem...
... como também possa alcançar a felicidade...
Este também é um paradoxo

E é por isso que muitas pessoas acabam perdendo-o...

Aqui está o paradoxo da felicidade:
“Para ser feliz, você não deve se preocupar em ser feliz!"


Pense nos momentos em sua vida onde você realmente
estava feliz... talvez durante sua infância.

Você se importava em ser feliz? Você corria atrás da felicidade?

Claro que não! E mesmo assim você era feliz. Você nem estava
pensando se estava ou não feliz.

Quando você corre atrás da felicidade, você fica excessivamente
preocupado consigo mesmo, e é neste momento que o ego e sua
preservação entram em jogo. Você irá começar a separar-se do
mundo, e se preocupar em se proteger, proteger você mesmo e
sua felicidade do mundo.

Quando você começa a pensar em encontrar a felicidade, você
torna a felicidade em uma coisa. Mas você nunca encontra a tal
“coisa”, pois ela não é uma “coisa”, e sim um estado de espírito.

Manifeste todos os desejos que você quer e corra atrás deles sem
se importar, mas NUNCA os amarre em sua felicidade.

Quando eu me encontro triste, eu faço uma coisa para ficar feliz
novamente. Você sabe o que eu faço?

Eu me esqueço de mim mesmo!

Eu paro de me preocupar com o meu próprio sentimento de tristeza.

Na maioria das vezes, não é o sentimento ruim que dói.
O pensamento de que o sentimento ruim está machucando você é
o que realmente dói.

Eu quero que você pense sobre a última frase por um instante.

Então corra atrás de qualquer desejo como se fosse um jogo, mas
nunca persiga a felicidade.

Henry David Thoreau disse muito bem quando falou:

“A felicidade é igual a uma borboleta, quanto mais você corre
atrás mais ela se afasta. Daí um dia você se distraí e ela pousa
no seu ombro.”

Acima de tudo, desejo-te toda a felicidade do mundo!