sábado, 6 de fevereiro de 2016

Le Carnaval des animaux


Saint-Saëns - Le carnaval des animaux (1886)


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Anta, molusco, porcos, renas, hienas e outros bichos já rasgaram a fantasia.

Todos vão dançar, cedo ou tarde. O pó de mico já foi espargido pelo boi.

O mesmo que espalha merda e não justifica o que tem. Quem herda, herda; quem não herda fica na mesma. Mente como lhe convém.

A dona Onça menos medo lhe causa. Parece estar na menopausa.

Teme mesmo um mourisco touro que tem padrinho careca com penas de ouro.

Mesmo que a pose não perca, a essa altura já bateu o rabo na cerca.

La vie en rose foi pro beleléu, num andar térreo ou lá no alto; pertinho do céu.

Faz das tripas pastilha de lítio para acalmar a ex. Em qualquer sítio ou num triplex.

Tem inveja do Saint-Saëns, Camille. Se achava um Rolls-Royce mas é Uno Mille.

Na quarta-feira, aquele Deus nos acuda. Em Curitiba ou na Papuda.

Resumindo: LE CARNAVAL DES ANIMAUX!

Tradução Tabajara: O carnaval desanimou!


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

6 comentários:

Anônimo disse...

Mantiqueira esqueça a onça.. ela tem medo de tiro....só as onças que participaram da grande guerra não tinham medo de tiro....e já morreram todas de morte natural...

Loumari disse...

Nunca Aprendi a Existir

Tenho as opiniões desmentidas, as crenças mais diversas - É que nunca penso nem falo nem ajo... Pensa, fala, age por mim sempre um sonho qualquer meu em que me encarno no momento.
Vem a fala e falo-eu-outro. De meu, só sinto uma incapacidade enorme, um vácuo imenso, uma incompetência ante tudo o que é a vida. Não sei os gestos a acto nenhum real.
Nunca aprendi a existir.

"Fernando Pessoa, 'Inéditos'
Portugal 13 Jun 1888 // 30 Nov 1935
Poeta


Loumari disse...

O ser humano tem naturalmente a necessidade de entregar a sua existência a um ideal. A vida é para ser dada. Esta ânsia humana por algo maior que si próprio é tão natural como ter fome ou frio. Somos um ser insatisfeito, imperfeito, que busca sempre a felicidade e a regra do bem e do mal. Para a esmagadora maioria, há milénios que esse desejo se realiza na religião. A procura do sentido último supõe uma resposta. A perplexidade da humanidade supõe a existência da divindade.
(JoãoCésar das Neves)

Loumari disse...

Não somos sempre o que queremos, mas o que as circunstâncias nos permitem ser.
(Marquês Maricá)


Loumari disse...

Qual é o Seu Tipo de Sabedoria?

Há dois tipos de sabedoria: a inferior e a superior. A sabedoria inferior é medida por quanto uma pessoa sabe e, a superior, pela consciência que ela tem do que não sabe. Os verdadeiros sábios são os mais convictos da sua ignorância. Desconfiem das pessoas autossuficientes. A arrogância é um atentado contra a lucidez e a inteligência.

A sabedoria superior tolera, a inferior julga; a superior compreende, a inferior culpa; a superior perdoa, a inferior condena. A sabedoria inferior é cheia de diplomas, na superior ninguém se gradua, não há mestres nem doutores, todos são eternos aprendizes. Que tipo de sabedoria controla a sua vida?

"Augusto Cury, in 'O Mestre do Amor'
Brasil n. 2 Out 1958
Psiquiatra/Escritor

Loumari disse...

A sabedoria é a única riqueza que os tiranos não podem expropriar.
(Khalil Gibran)



Por sabedoria entendo a arte de tornar a vida mais agradável e feliz possível.
(Arthur Schopenhauer)