domingo, 21 de fevereiro de 2016

Os Marginais de Toga?


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Milton Pires

Mais de uma vez, diversas pessoas me perguntaram qual seria, na minha opinião, o principal problema do Brasil. Invariavelmente, citavam saúde, educação e segurança como as principais opções e, invariavelmente, eu respondia que “justiça” era a minha escolha.

No dia 17 de dezembro de 2015, o Supremo Tribunal Federal (STF) deu um golpe de estado no Brasil: rasgou a Constituição modificando o rito de impeachment para favorecer a presidente da República.

Dia 17 de fevereiro, o Conselho Nacional do Ministério Público simplesmente determinou que Lula e sua esposa não deveriam ser ouvidos no Fórum da Barra Funda em São Paulo.

Sexta, dia 19 de fevereiro, o Ministro do STF Teori Zavascki determinou a soltura de um bandido que, travestido de “Senador da República”, disse ter o STF sob controle, tramou a fuga de Nestor Cerveró do Brasil e NÃO INTERESSA se ele fez “delação premiada” ou não!

Depois de tudo isso, digo que o “principal problema” do Brasil neste momento são os marginais de toga: os operadores do Direito que, na função de advogados, promotores, procuradores, desembargadores e juízes do STF, vem fazendo tudo que é possível para manter a organização criminosa conhecida como Partido dos Trabalhadores (PT) no poder.

Todo país que admite alguém “acima da Lei” não tem mais Lei alguma. O Brasil não consegue prender petistas e aqueles que consegue prender, não consegue manter na cadeia. Todo judiciário brasileiro está aparelhado por esta legião de bandidos que governa a nação.

Não adianta argumentar que existem pessoas de bem dentro da nossa justiça: é claro que existem! Elas apenas já não são em número suficiente e não estão mais em cargos com a importância necessária para fazer com que a justiça funcione aqui no Brasil.

Aos poucos, muito aos pouquinhos, o Brasil começa a entender o significado da expressão “aparelhamento” e percebe a diferença entre o PT e todos os outros governos que o antecederam – agora é tarde: não pode prender Lula um país que não consegue manter Delcídio na prisão! Esta é a verdade.

Digo que ontem, depois do ato covarde de um juiz que “agradece o cargo recebido com a toga”, um país em que as pessoas tivessem vergonha na cara teria incendiado o prédio do STF em Brasília. Isso não só não aconteceu como continuam escrevendo e se manifestando aqueles que consideram tal atitude um “ato de barbárie”.

Dizem que o PT precisa ser “tirado dentro dos termos da Lei”. Fica a pergunta final para estes mais “moderados”.

Lei??? Que Lei???


Milton Simon Pires é Médico.

2 comentários:

samuel disse...

Hoje, 17/12/2015, “a day that will live in infamy”, o dia em que o brasil que teve o seu rebaixamento institucional, jurídico, o brasil teve também seu rebaixamento financeiro. Quem irá investir em um país sem constituição, sem segurança jurídica? Houve, portanto um golpe ditatorial político desfechado pela Justiça. Reclamar pra quem? Pedir aos militares que façam cumprir a constituição? Os militares que têm em seu ministério o comunista ALDO REBELO? De minha parte continuarei, no entanto indo para rua: FORA DILMA, FORA PT até que faça acordar uma centelha patriota em alguém em posto de mando decisório… Até quando isso me será permitido?

Anônimo disse...

Foi no Brasil do PT e da sua corja de larápios que Antônio Gramsci-o grande corruptor do marxismo- obteve a sua maior vitória. "Eles" conseguiram se infiltrar em todas as organizações públicas e privadas que possuem algum poder para traçar as principais políticas do país,inclusive do Judiciário.É o que chamam hoje de "aparelhamento"(e "ladroagem") da esquerda nas instituições brasileiras. O STF,por exemplo,está exorbitando da sua competência que se resume em ser o tribunal constitucional máximo do Poder Judiciário e sentou na cadeira do legislador,em nefasta atitude que fere a independência , harmonia e equilíbrio entre os Três Poderes,adotada nos países onde impera o estado-de-direito ,na forma desenvolvida por Montesquieu. Essa situação se tornou tão grave que o Brasil deixou de viver no "estado-de-direito" e passou a viver no seu contrário,no "estado-do-(anti)direito",matéria que melhor desenvolverei oportunamente.Sérgio A.Oliveira.