quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Paixões da Ignorância e do orgulho de ser ignorante


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Laércio Laurelli

O ser humano, mormente o brasileiro, vê somente o que quer ver. A lógica é a parte da filosofia que estuda as leis do pensamento e as regras dos deveres que versam a exposição da verdade. O raciocínio encadeado produz a ligação de ideias e exalta a coerência de princípios que levados ao fato concreto, relembra que os atos e ações são constituídos pela ideia do bem, do justo, do verdadeiro, do belo sempre com a participação, se possível, da perfeita harmonia de uma sociedade fortalecida pelo domínio do físico como o do espírito.

A conjunção destes valores alinhados representa o calor fecundante da reciprocidade social de uma tribo ordeira. Mas, de difícil acerto, se e quando, ocorrer ataques aos conceitos sublinhados, vivificados na custódia da deformação onde emerge a fonte de inspiração convulsionada pelas paixões da ignorância e do orgulho de ser ignorante.

A produção da peça teatral, “Medida por Medida”, escrita por William Shakespeare nos idos do ano 1620, aproximadamente, sugere comparação com o exercício da realidade brasileira pela concepção da mistura comédia e drama conforme explanação de Ivo Barroso: “as linguagens diferenciadas encontradas na obra tinham em vista dois públicos: os aristocratas, que ficavam na parte de cima do teatro, e a plateia de baixo, ocupada por criados. Dessa forma, a linguagem de cunho jurídico e mais elaborada atingia o primeiro público, enquanto o trecho com comédia, mais coloquial, visava o segundo”.

A trama desta história revela a soberania do escárnio e a tutela da ironia, tal qual a do Brasil, engendrada pelos astutos e loquazes políticos de plantão ininterrupto, associados ao surpreendente governo comunista-terrorista federal que flutua no espaço da vileza por que subsistente a gravidade do momento, graças à aliança com o Poder da “Mídia Forte”, cuja missão é a de esmagar as esperanças e pretensões do povo, sonegando imagens da realidade do caos em que se apresenta o país, em detrimento da ostentação carnavalesca, com a lavagem cerebral costumeira, envolvendo a sociedade pelo espectro das vibrações mentais e suas variáveis, e assim, consolidar a volatilidade da corrupção com os aliados e continuar a manipular via sedimentação de ideias ímpias, a intensidade e rapidez tão infinitas “como uma roda que se move muito rapidamente parece estar parada.”(Caibalion-Estudo da Filosofia Hermética do Antigo Egito e da Grécia).

Esta imagem esclarece o mal que a citada “mídia forte” (minoria de jornalistas, mas que tem poder de controle da informação do país) exerce contra nossa Pátria. O cérebro da Nação está controlado pela prática dos métodos de “estanilização” na condução dos negócios do estado, que por via de coincidência, se ajusta ao método utilizado pelo Duque da obra literária de Shakespeare que por fazer pouco caso de sua própria posição e parecendo extremamente entediado, outorgou poderes de seu cargo a outro (Ângelo) porque estava cansado das assembleias.

Mas, na qualidade de “Frei”, ele permaneciaa par de tudo a respeito do julgamento de Cláudio,(que fora condenado a morte face ter engravidado a esposa antes de casar-se com ela. Quem profere a sentença é Ângelo, substituto do Duque. O Duque resolveu esconder-se no mosteiro por um período, a fim de ter uma vida mais reservada. Isabella, a irmã de Cláudio, que estava prestes a tornar-se uma noviça, vai interceder pelo irmão.

Ângelo diz a ela que seu irmão escapará da morte se Isabella deitar-se com ele.)ao mesmo tempo fazendo-se de desinteressado e armando um plano bastante suspeito “Inveterataconsuetudo non immerito pro lege custoditur” – (Não é sem razão que o costume inveterado é guardado como lei). A sinonímia é perfeita e se adequa ao compasso que utiliza o “ponto” para definir situações múltiplas. Os princípios explicam as diversas manifestações. Na extremidade inferior da escala estão localizadas as grosseiras formas da matéria;no estágio da outra extremidade encontra-se o plano mental sensorial superior, a energia e a força.

Os seres humanos que vivem neste país e, que alcançaram o conhecimento dos movimentos dos seres inumanos reativos que contrariam a sobrevivência dos proativos, são, na verdade, os que sofrem mais, em face da desestabilização dos desejos e interesses em combate diuturno do chamado “choque social” existente. De um lado os comunistas-terroristas apoiados pela “mídia forte” que compartilham dos mesmos ideais; de outro, os patriotas que almejam constituir e construir ainda o Estado Democrático de Direito no Brasil.

Vive-se em evidente motivação de proposições; cinco são as letras do malfeitor da obra literária “Medida Por Medida”; cinco são as letras da malfeitora comunista-terrorista do Governo Federal deste país. Coincidência ou não, os dois sofrem de PAIXÕES DA IGNORÂNCIA E DO ORGULHO de ser ignorante.


Laercio Laurelli – Desembargador aposentado do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo – Professor de Direito Penal e Processo Penal – Jurista – articulista – Idealizador, diretor e apresentador do programa de T.V. “Direito e Justiça em Foco”.

2 comentários:

Loumari disse...

"O ser humano, mormente o brasileiro, vê somente o que quer ver.???

Que estranho que você mesmo ainda até uns dias atrás você fazia parte deste brasileiro que você faz alusão aqui, até que você recebeu um bom estalo que sacudiu forte os seus neurónios que hibernavam, sufocando assim o Deus que está em você. Favor deixar Deus viver para Ele se exprimir através da voz de seus filhos.
Somos o problema e também somos a solução. Tudo é questão de força de vontade, de determinação, do voluntarismo coroado de benevolência.
Muitos de entre vós preferem dizer as coisas que vão agradar aos outros e não o que pensam por temor de reacções violentas em face. Optando por esta atitude estais vós a ser útil a humanidade? Estais vós a ser a luz dos cegos?
Jesus Cristo que é o nosso Comandante em Chefe, nos disse para agradarmos aos gentios? Por acaso estamos nós aqui para servirmos de bufões aos gentios? Ou para sermos generais na vanguarda e guia da tropa?
"O que me contradiz me instrui."

Loumari disse...

É preciso compreender é que Deus não impõe mandamentos arbitrários, pelo culto de si e para ser tiranicamente obedecido. É igualmente um erro pensar que os homens e as mulheres ofendem Deus directamente. Como pode um ser finito ofender Deus? Pelo menos segundo a compreensão do cristianismo, Deus não se revelou por causa dele e da sua glória, mas por causa dos seres humanos e da sua felicidade, de tal modo que só o que ofende os homens e as mulheres o pode ofender a ele.
(Anselmo Borges)



No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no SENHOR e na força do seu poder.
Revesti-vos de toda a armadura de DEUS, para que possais estar firmes contra as ASTUTAS CILADAS DO DIABO.
(EFÉSIOS 6:10)



Para que possais andar dignamente diante do SENHOR, agradando-lhe em tudo, frutificando em toda a boa obra, e crescendo no conhecimento de DEUS;
Corroborados em toda a fortaleza, segundo a força da sua glória, em toda a paciência e longanimidade, com gozo;
Dando graças ao Pai, que nos fez idóneos para participar da herança dos SANTOS NA LUZ;
O qual nos tirou da potestade das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do seu amor;
Em quem temos a REDENÇÃO PELO SEU SANGUE, a saber, a remissão dos pecados;
O qual é a IMAGEM DO DEUS INVISÍVEL, o primogénito de toda a criação;
Porque nele fora criadas todas as coisas que há, nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades: tudo foi criado por ELE e para Ele;
E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele.
E Ele é a cabeça do corpo da igreja, é o princípio e o primogénito de entre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência.
Porque foi do AGRADO DO PAI que toda a plenitude nele habitasse.
E que, havendo por ele feito a paz, pelo SANGUE DA SUA CRUZ, por meio dele reconciliar-se consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra, como as que estão nos céus.
(COLOSSENSES 1:10)



Jesus Cristo fez a tal ligação entre a terra e o céu quando ele andou sobre o mar. Jesus Cristo é como o cordão umbilical que liga o bebé do placenta da mãe. Tudo passa por ele.
Há um só caminho que nos conduz a Deus, Jesus Cristo. Fora deste só são invenções dos homens perversos.