quinta-feira, 3 de março de 2016

Está na cara


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Laercio Laurelli

Preservo-me de mencionar definições que possam melindrar a amizade verdadeira, que não está representada por equivalência de serviços e de atenções recíprocas, senão aquela que recebe a classificação da diferença, como ser a mais rica e a mais desinteressada. Não chegaremos ao ponto de tomarmos partido de um politico ou outro, como fez o notável “Cicero” que preferiu os encantos de “Pompeu” contra o todo poderoso “César”, que por coincidência, seria assassinado por “Bruto” algumas semanas mais tarde.

Sobre esta máxima, vale citar reflexão do próprio “Cícero”: “...se os costumes dos amigos forem bem civilizados, eles instaurarão entre si uma comunhão em todas as coisas, ambições, projetos, sem nenhuma exceção; além disso, se eventualmente precisarmos assistir amigos em projetos não muito convenientes, nos quais estão em jogo sua pessoa ou sua reputação, permitir-nos-emos um desvio de conduta, contanto não fira gravemente a honra”.Curioso, que Marco Tulio Cícero morreu assassinado pelo centurião Herênio a mando de seu inimigo político Marco Antônio.

Este proêmio é significativo, não pelo plano sensorial das adivinhações, mas das verdades sublimes e predições concretas.

O impeachment contra a Presidente aflorou-se em 02 de dezembro/15, portanto, passaram-se três meses. A morosidade deu-se pelo recesso parlamentar. Paralização do Congresso. Não houve consenso tipo seguir adiante, mesmo porque o atual Pretório Excelso promovera uma “rasgadela“ na Carta Magna e cassara a Soberania da Câmara Federal, um dos alicerces do Estado de direito Democrático.

A quadrilha do crime organizado, instalada no Governo comunista terrorista do planalto, festejou, já que os “infiltrados” da facção, fieis ardentes ao sistema coarctaram a derrubada da presidente. A batalha jurídica estancou e fez-se silêncio nos impulsos da honra, da independência, do patriotismo, na da consciência pública das Instituições e, finalmente, na da Soberania do Direito e da Justiça.

No momento, a Presidente solta às rédeas de sua impunidade. Sorri largamente utilizando-se do “eu sou” poderosa. Verdade seja dita. É inteligente. Sabe manejar as técnicas sedutoras do comunismo e do terrorismo, “manda bem”. Conhece e sabe conviver com as armas físicas e, com as do intelecto. Sabe que esta situação é uma questão vital para defender o estado grave em que se encontra. Conhece as táticas e as estratégias da “guerrilha”.

Mantêm os três cérebros atentos, e toma as decisões certas, mantendo seu inimigo sob tensão e, quando ele não estiver cansado, o faz cansar. Instalou no poder das Instituições “chaves”, em cargos de destaque, pessoas dissimuladas, mas que falam a mesma linguagem e agem da mesma maneira.A defendem, praticando atos que se assemelham à causídicos, e dos bons, já que possuem autoridade pata tal exercício, tudo em nome do poder em prol da facção.

Por outro lado,anunciam-se projetos, mudanças, propostas com adulações sistêmicas, versadas em um comportamento mediante o uso de artificio, de fraude eleitoreira e populista, continuando a enganar em pleno exercício de atividade representativa do Poder, vendendo proselitismo sobre falsa verdade.Esta maquiagem é para se acreditar que tudo está no melhor para todos.

Curioso que os políticos da atualidade, pelo menos neste país, se unem em prol da corrupção, diferente da época de César, Marco Antônio, Bruto, Cícero e outros, que se utilizavam do “punhal”, em defesa da honra que acreditavam ter.Exceção aos benevolentes e sacrificados políticos Toninho do PT e Celso Daniel, que a justiça ainda há de esclarecer os verdadeiros autores das execuções.

Não obstante, o povo brasileiro acredita que a esperança está no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e na operação Lava Jato, que poderão reavivar a questão para que a sociedade tenha a constitucional reação e que possa reavaliar o poder que emana do povo, “diretamente” conforme a segunda figura do Parágrafo único do texto cravado na Constituição Democrática deste país e, assim, pela manifestação popular definir à cassação da Presidente.

Há que se dar a devida valoração ao tema deste artigo. A predição é a que, está na cara. Sim, está na cara que todos os que foram presos, condenados e, ainda os que serão produto do excelente trabalho do Juiz Sergio Moro, dos Procuradores da República, e os dos Estados, bem como os Delegados e agentes da Polícia Federal, à frente da operação Lava Jato e de outras operações, trabalho de magnanimidade que ficará na história.

Notadamente, pode-se até afirmar, que todos os investigados no esquema de corrupção da Petrobras podem ter tido a incumbência de reforçar a produtividade criminosa no sentido de alimentar a facção do crime organizado, se e quando necessitassem do produto referente ao desvio dos dinheiros públicos.

Não há alternativa, senão insculpir no esgoto da corrupção deste país a frase Hermética: “aquele que compreende realmente esta verdade alcançou o grande conhecimento”São eles, efetivamente,os “depositários fieis” da facção criminosa, por serviços prestados, uma espécie de cooperação de assistência consorciada, obviamente, com suas participações pagas em percentual.São os guardiões do cofre da corrupção.

No momento em que os chefes da facção decidem e determinam para onde o “dindim” deve e precisamaparecer, eles se incumbem da tarefa de fazerem aparecer. Esta dedução está alinhada, de conformidade com os depoimentos consignados nos processos findos e os em andamento. Alguém vai falar mais.

A verdade verdadeira está prestes a ser deflagrada. Os chefões serão declarados. Os pagamentos irregulares no exterior e no Brasil proveniente do esquema de corrupção da Petrobras, reforça a tese referente aos “depositários fieis”, lançada neste artigo, embora “hipotética“ mas, demonstrado que está na cara!


Laercio Laurelli – Desembargador aposentado do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo – Professor de Direito Penal e Processo Penal – Jurista – articulista – Idealizador, diretor e apresentador do programa de T.V. “Direito e Justiça em Foco”.

Um comentário:

Loumari disse...

Il y a du progrès! C'est pas mal.