sábado, 26 de março de 2016

Malhar o Judas Ciário


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Desde os tempos coloniais o pseudo judiciário não passa de um poço de iniquidades.

Seus membros, com raríssimas e honrosas exceções, se acham deuses.

A honra, a vida e a família dos desgraçados que caem no seu bico e garras não importam.

O ego, a soberba e a vaidade, estes sim, devem ser preservados a qualquer custo.

Na internet seu poderio se derrete.

A busca de contradições e/ou mentiras em antigas decisões, expõe suas mazelas.

Inocente ou culpado, é indigno sujeitar alguém a um processo kafkaniano que dure longos anos.

Os precatórios não pagos são o Chernobil do Brasil.

O coitado que motivo de saúde deixa de pagar uma quota do Imposto sobre a Renda, é logo protestado.

Os que esperam por mais de trinta anos uma reparação que se lixem (a palavra apropriada não é bem esta).

Agora, no fim da festa, quer salvar tudo o que não presta.

Amarrado ao poste, se pensa rei mas não chega a preboste.

A paciência do povo já beira o extremo: o protesto já chega na porta do supremo.

Democracia não combina com patifaria.

Justiça não rima com traição!

Assim, quem não tolera o Judas Ciário tem direito à malhação.

E nunca desista da Lei, da Justiça e da liberdade, porque Jesus Cristo ressuscita por este motivo.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

2 comentários:

Loumari disse...

Cuide Bem de Seu Amor!!!

Me chamo Eduardo. Namorei por três anos. Quando conheci a Paula,ambos tínhamos 17 anos.
Nos três primeiros meses era mil maravilhas.
Nossa!!! Depois se tornou um inferno.
Ela era muito ciumenta, começou a dar escandalos.
Brigava por motivos fúteis.
O problema era que eu amava muito ela.
Fazia de tudo por ela, achando que um dia tudo iria mudar (que ingenuidade). Terminamos e voltamos por várias vezes.
Chegou um ponto que brigávamos por qualquer motivo.
Decidimos realmente que não iria mais dar certo e terminamos definitivamente.
Eu fiquei muito mal em casa, não tinha vontade de sair, não conseguia dormir.

Passou sete dias, não aguentei e liguei para a casa dela.
No meio da conversa ela falou que tinha saído com um cara e ficado com ele ainda teve a falsidade de falar que tinha sido para me esquecer.

Nunca irei esquecer aquele momento ao telefone.

Parecia que alguém tinha colocado uma faca no meu coração, contive as lágrimas ao telefone e mantive a voz , serena, falei que não tinha problema
e que nunca mais iria procurar ela.
Desliguei o telefone me dirigi ao quarto parecia que mais nada nesta vida tinha sentido, não consegui dormir naquela noite.
Os dias foram passando e a dor só piorando. Meu rendimento no trabalho caiu muito, eu não me importava com mais nada.
Ao chegar em casa tinha vontade de ligar, meu orgulho não deixava.
Quando ia dormir rezava muito para eu esquecer aquele amor
que só me dava tristeza.
Não adiantava.

Os quinze primeiros dias foram terríveis.

Mas depois o coração foi se adaptando. Consegui deixar as emoções de lado e comecei a pensar nos fatos, fui assimilando melhor e tudo foi passando.

Até voltar ao normal, claro, quem as vezes não tem recaída de pensamentos pela ex? Isso é normal.
Depois de três meses, adivinha quem me liga?!
Era ela! Meu coração bateu mais forte, tinha sido pego de surpresa, passou mil coisas na cabeça em fracções de segundo tive vontade de chorar e rir ao
mesmo tempo.
Voltei a realidade, sem nenhuma empolgação, minha voz ficou serena, conversei normalmente mas nada de intimidades estava sendo seco.
Em um certo momento ela pede para conversar comigo pessoalmente, porque ainda me amava. Meus olhos encheram de lágrimas, meu coração
sabia que eu iria sofrer então do nada comecei a cantar a seguinte música: "Cuide bem do seu amor, seja quem for..."
Ela começou a chorar no telefone.
Comecei então a chorar no telefone mas continuei cantando e escutando ela suplicando e pedindo
para voltar pois ela sabia que tinha errado muito e que tinha perdido a pessoa que mais valorizava ela.

Meu coração não teve outra saída a não ser desligar o telefone na cara dela. Decidi então naquele mesmo dia tirar umas férias.
Dois dias depois estava na praia sozinho sentado na areia e olhando as ondas..
Era um final de tarde, aquilo tudo era tão bom
estava me sentindo muito bem.
Quando toca o celular era minha mãe dizendo que minha ex tinha sido encontrada morta, suicídio.
Ao lado dela foi encontrada uma carta onde dizia: "Pai e Mãe, eu amo muito vocês, não fiquem triste por mim, pois a vida não tem mais
sentido.
Eu tive a pessoa mais importante no mundo nas minhas mãos e deixei escapar.
Eu amo o Dudu e amarei eternamente sei que ele não quer mais ficar comigo.
Calma mamãe, calma papai, não fiquem bravos com ele.
Eu sou a culpada eu tratava ele como se fosse um qualquer.
Quando terminamos
descobri que ele era tudo para mim.
Tenho um recado e quero que vocês passem para todos os jovens desse mundo: "CUIDE BEM DO SEU
AMOR, SEJA QUEM FOR..." Anjos existem, mas
algumas vezes não possuem asas e podemos chamá-los de amigos (como vc ).

Até esta parte eu acredito. Se não estiverem muito ocupados meditem um pouco, pois muitas vezes estas situações não somente podem acontecer com os(as) nossos(as) namorados(as), mas também com amigos, ou ex-amigos, entre pais e filhos ou familiares, enfim, e por vezes por causa do orgulho perdemos muitas coisas.

PENSEM NISSO. MEDITEM!

Anônimo disse...

Coloca só um, o barbudo mentiroso, que muitos políticos e amigos ocultos serão castigados, pelo menos em teoria.