terça-feira, 22 de março de 2016

O Convincente


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Roberto Gotaç

O teor, estilo e vocabulário da carta aberta de Lula visando à reconciliação com os vários setores e agentes da vida pública, desrespeitados, até por palavras de baixo calão, em seus telefonemas grampeados e divulgados com autorização da justiça - um dos segmentos gratuitamente atingidos -, estão tão distantes da sua personalidade real que enchem de perplexidade a quem lê o texto. 

Seus termos fazem lembrar um cafetão esbofeteando a explorada mas, para mantê-la trabalhando, desculpa-se, prometendo-lhe casamento; 
um esquerdista caviar brasileiro, justificando aos inocentes úteis, obedientes militantes, a necessidade, para endossar a sua atividade progressista, do consumo da iguaria e das ausências sabáticas nos apartamentos de Paris de sua propriedade; 

um marido pego em traição, argumentando com a traída que a mancha vermelha na cueca não é batom e sim um fenômeno químico de nome complicado, cuja explicação a ciência desconhece. 

Seria bom que o ex-presidente determinasse ao advogado que redigiu o documento, entremeá-lo com alguns verbos ou termos característicos de seu modo de agir e falar tais como "acovardar" - atitude, aliás, que vem demonstrando com frequência em relação às investigações de que é alvo -, "enfiar" e "porrada", 

Talvez assim, a carta fosse mais sincera e convincente.


Paulo Roberto Gotaç é Capitão de Mar e Guerra, reformado.

2 comentários:

Jayme Guedes disse...

Ele é um ator permanentemente incorporado que só exibe a personagem. O descontrole emocional provocado pelo medo fez com que nas gravações aflorasse o verdadeiro Lula. Mas o sucesso que faz não se deve a ele mas sim à ignorância da platéia. A democracia por voto amplo e universal como predomínio da quantidade sobre a qualidade exige um povo com elevada grau médio de educação. O exercício do direito de decidir sobre os destinos da nação deveria exigir capacitação. Quando o cidadão de 16 anos que é impune por não distinguir o certo do errado vota o desastre é certo.

Anônimo disse...

Mas por que esse medo? Afinal, o homem mais honesto do Brasil não deve ter nada a esconder... exceto o triplex, sítio, obras de arte, presentes, outro apartamento... . O cara não sabe nem disfarçar. Comprovadamente provocou a instalação dos ratos na Petrobrás, arrecadou uma fortuna e, no final da carreira, ficou pobre, vivendo de doações?