terça-feira, 24 de maio de 2016

JUQUINHA, VENHA CÁ!


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

JUquinha, venha Cá!

De chuchu beleza a juju tristeza.

Pobre romeiro cuja romaria faz que gente de Roma ria!

Reze para que “delimitar” não vire de militar.

Agora não é só meu boi que espalha merda. Há vários auxiliares.

Benditas gravações que enchem de esperança nossos corações.

“Isso não fica assim !”. Claro que não; vai feder muito mais !.

Nada a temer de um homem probo que quer se afastar de um ogro.

“Seu machado, dona enxada foi-se”.

Nunca merdandantes na história deste país estiveram de quarentena.

Agora o bigode terá “cheirinio de fadô”.

Haverá reações em cadeia. E detê-las ninguém se atreve, porque a arte é longa e a vida breve.

Pelo menos na Alemanha já é conhecida a manha.

Artista merqueltrefe não ganha prêmio em Cannes. Talvez em cana: um peixinho vermelho no aquário; presente de um povo otário.

Enquanto isto, dona Onça...

(Xiiii! Lá vem o chato que pensa ser ela a única a consertar a república desengonçada !)

A faute de mieux on couche avec sa femme.

“Et je m'en vais au vent mauvais qui m'emporte deçà, delà, pareil à la feuille morte”.


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Nenhum comentário: