terça-feira, 10 de maio de 2016

Montanha Ruça


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

O momento exige a escatologia.

Altos e baixos, xixi nas calças, gritaria.

A Anta já vê a viola em cacos. Hienas e macacos transpiram pelos sovacos.

É crise de abstinência. Não há mais tetas. Chegou ao fim a era das mutretas.

Temer o futuro. Roer osso duro. Sair de cima do muro.

Fugir com apuro.

Quero ver da Anta a fuça, mesmo que a vaca tussa.

A montanha é de merda de lula pinguça.

Pro molusco a coisa está ruça.

Enquanto o parquet sua vida esmiuça, o próprio veste a carapuça.

Cenas dos próximos capítulos e sugestões para epítetos:

O molusco subiu no telhado; está mais que pau de galinheiro, cagado.

“No more zuzubem!”

Camisa de força ou de forca ?. Que diferença faz uma cobrinha chamada cedilha. Imaginem uma jararaca que meteu o pé na jaca.

É Anta mas empaca igual jumenta. Só chupa chiclete de menta, botando fogo pela venta.

Parece o nobre Massarico, no traseiro dos sem penico.

Alguns vão ganhar terra. Sete palmos. De Dona Onça.

Quem tiver mais sorte vai tomar banho frio em Curitiba...


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Um comentário:

Italo Salomão disse...

Grande patriota! Estou ávido pelo "despertar" de dona Onça. Não aguento mais tanta lambança. O que sugeres que façamos? Não sou bucha de canhão, não sou de front, sou, digamos "mais de inteligência". Na espreita estou, observador e atento, aguardando o sinal, o chamado. Selvaaa!!!