terça-feira, 3 de maio de 2016

Não permitamos a troca de seis por meia dúzia


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Gilberto Pimentel

Estamos na iminência de um novo governo. É inevitável que assim seja. Nosso país não parou somente. Está em queda livre. A incompetência e a irresponsabilidade estão destruindo nossa economia, enquanto a presidente, desesperada para se manter no cargo, inferniza a vida dos brasileiros com seus discursos ameaçadores e vazios.

Pioram rapidamente as contas públicas, o desemprego segue em ascensão e a produção diminui a cada dia com o prolongado declínio dos investimentos. O buraco nas contas públicas chegou a 5,77 bilhões segundo os últimos cálculos do Banco Central. Não há Brasil que suporte.
Mas não é só isso. A corrupção foi institucionalizada. Nunca antes na história deste país se roubou tanto quanto nos últimos 13 anos. O governo petista nem esconde mais que virou um ajuntamento de larápios. E contaminou todas as instâncias do poder político, sobretudo, mas não somente, o Executivo e o Legislativo.

Os presidentes do Congresso são réus e uma grande parte dos representantes do povo naquela Casa têm contas a pagar por envolvimento em atos de corrupção explícitos e desvio de conduta ética e moral. O Brasil não é mais visto com o respeito de antes pela comunidade internacional. Não merecemos isso. Precisamos de uma nova oportunidade, por pequena que seja.

Um novo governo, não nos iludamos, provisório nesse contexto, terá pouca chance de obter algum êxito sem um grande acordo entre os homens de bem que ainda restam na nossa política, nem tantos, e sem a participação e a cobrança permanente da sociedade.

Mas há algo ainda essencial: o afastamento e a punição rigorosa de todos os representantes do povo que desmereceram a confiança neles depositada. Inconcebível que se fale em imunidade para ladrões. Em especial para assaltantes dos cofres públicos. Suas punições, ao contrário, devem ser exemplares e extremamente rigorosas. Sem isso nada feito.

Dados do Supremo Tribunal Federal (STF) – foro para julgamento de deputados e senadores – infelizmente não trazem qualquer alento nesse sentido. Não punem políticos que praticam crimes. Algo de muito errado e suspeito se passa naquela suprema Corte. A prescrição acaba sendo a regra geral. Uma vergonha que precisa ter fim se desejamos mudar esse País.


Gilberto Pimentel, General, é Presidente do Clube Militar.

2 comentários:

Anônimo disse...

Por representar os militares, acho,pelo menos a cúpula, é bom saber que não estão gostando, igualmente a todos os brasileiros que passam momentos de grandes dificuldades, assim como, os componentes das tropas federais e seus familiares.Não vejo muito resultado nisso e nem influência que possa modificar, para melhor, qualquer ação do governo ou dos grupos radicais que os apoiam.

Estéfani JOSÉ Agoston disse...

Michel Temer (Arsene Lupin brasileiro) pretendendo nomear um notório comunista para o Ministério da Cultura, Roberto Freire, é a prova conclusiva de que é de linha vermelha/melancia, provando que a troca será de seis por meia dúzia.

Ou seja, só serão trocados os nomes das moscas. E então, a Maçonaria não se manifesta sobre isso? O candidato a Grão Mestre, José Renato dos Santos fica calado?

Senhor general Gilberto Pimentel, Presidente do Clube Militar, não se manifesta? A não ser por essa coisa morna de ......."trocar seis por meia dúzia".......?

A raposa pele o pelo, mas não perde a pele! Roberto Freire é e foi comunista.
"in Wikipédia......."e aliança com líderes como Francisco Julião.......Candidato a prefeito de Olinda pelo então MDB (o MDB hoje é o PMDB!).......A partir da experiência em Pernambuco, e considerado um dos expoentes da esquerda nordestina.......Freire se transformou em um dos símbolos, juntamente com tantos outros brasileiros, na luta pelo fim da ditadura.......participou de debates e comícios e negociou diretamente a elaboração de leis que pudessem tirar das masmorras permitindo a volta ao país de centenas de brasileiros perseguidos ou desterrados pelo arbítrio.......Prevaleceu a visão de Freire, compartilhada por Ulisses Guimarães e outros líderes mais sensatos, de que o MDB se converteria em instrumento inigualável para derrotar a estratégia de abertura lenta, gradual e segura, propugnada por Geisel.......Como um militante na ilegalidade do PCB e como o líder da grande frente emedebista, Freire esteve ao lado dos grandes movimentos.......Como líder do PCB, teve um papel destacado.......A URSS financiava o movimento comunista mundial.[5] Segundo o general da KGB Oleg Kalugin:[6] "Por ordem do PCUS, a KGB enviava dinheiro aos partidos comunistas de outros países, inclusive do Brasil. Desde o fim da Segunda Guerra Mundial, foram milhões dólares".[7] Vladimir Novikov, coronel da KGB que serviu como adido cultural soviético em Brasília nos anos 1980, afirmou que Roberto Freire foi o último comunista do país a receber contribuições da URSS.[5] Contribuição recebida quando o então senador era candidato na eleição presidencial no Brasil em 1989.......(https://pt.wikipedia.org/wiki/Roberto_Freire_(pol%C3%ADtico))

>>>>>>>

in Estadão
Roberto Freire é indicado para comandar Ministério da Cultura
POR ANDREZA MATAIS
29/04/2016, 19h28

.......O indicado para a vaga será o presidente nacional da legenda, o deputado Roberto Freire (SP).......
http://politica.estadao.com.br/blogs/coluna-do-estadao/roberto-freire-e-indicado-para-comandar-ministerio-da-cultura/