sábado, 14 de maio de 2016

Questão de Enfoque


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por João Guilherme C. Ribeiro

Pessoal, a equação é simples. Os crimes descaradamente escrotos como os da PeTralhada, mesmo depois de mais do que evidenciados, se entrou com a cantilena do "transitado e julgado", a mim parece que estamos condenando a priori. Creio que temos que equacionar prioridades.

A primeira é tirar o Brasil da merda em que a PeTralhada nos atirou.  E do qual, vamos falar a verdade, só saímos por que a sociedade se rebelou, indignada.  Então, para começar, o negócio é trabalhar, retirar o entulho da esculhambação institucionalizada e impedir que a vagabundagem posta para fora de suas boquinhas tentem impedir o retorno à vida normal.

A segunda é impedir que as investigações e processos sejam interropidos.  Eles devem, ao contrário, tendo nosso apoio, doa a quem doer, e continuar recebendo a merecida divulgação para acompanhamento pela sociedade que tomou nas mãos sua própria defesa e defenestrou a canalhada imunda.

A terceira, lembrando do velho aforisma latino – quis custodes custodet? (quem é que guarda os guardas?) – é cuidar para que a competência, a lisura, a imparcialidade e o rigor sejam a marca das instituições que irão investigar e julgar, de tal modo que os privilégios não sejam vias de escape.

A quarta, como conseguiu brilhantemente a Lava Jato, é garantir que os corruptos e corrompidos não tenham como lucrar com a corrupção.  Muito mais justo do que penalizar quem trabalha com mais impostos é confiscar o produto da corrupção. O confisco diminuirá sensivelmente a relação risco-benefício, tornada ridícula pelo aparelhamento da máquina nos três poderes.

Não vai haver milagres.  A recuperação, da economia ao descrédito perante o mundo, vai exigir paciência e competência, não vestais, como se travestiram as cafetinas e gigolôs para assumir o poder.
Em todos os sentidos, a administração PeTralha foi um tsunami de bosta que grassou ininterrupto por treze anos.  Vai feder por algum tempo.  Haja desinfetante.  A melhor frase para hoje é do velho Premier chinês, Deng Xiao Ping:

– Não me importa se o gato é preto ou branco.  Importa que ele coma ratos.

Isso se aplica direitinho a nós nos dias de hoje.  A guerra deste momento é diferente das dos tempos de Churchill, mas as palavras realistas dele, no dia em que fez seu discurso após a capitulação da França, deixando só o Reino Unido na luta contra Hitler, bem servem para nós:

– Nada tenho a oferecer-vos senão sangue, suor e lágrimas.
A canalhada vai tentar obstruir, desesperançar, prejudicar, confundir e eintrigar de todo jeito, como se a merda em que estamos não fosse obra exclusiva da sua incompetência, rapacidade, desonestidade e escrotidão.  É deles, é atávico na dourina que professam.

Por que não dar, a quem vai precisar de ajuda para recuperar esse combalido Brasil, pelo menos o beneplácito da dúvida, o mesmo que beneficiou esses filhos da puta por tantos anos?

Vigiemos, mas deixemos que trabalhem, sabendo que estamos de olho para impedir que façam o que fez a corja defenestrada.


João Guilherme C. Ribeiro é Empreendedor Cultural.

Nenhum comentário: