segunda-feira, 23 de maio de 2016

"Tio Rei" e o Ministério da Cultura


Museu Nacional no RJ. Não se sabe se aberto ou fechado, mas sem a presença de nenhum dos "cultos", como Caetano Veloso, protestando pela sua situação.

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Milton Pires

Pois é: Reinaldo Azevedo manifestou-se sobre a "recriação" do Ministério da Cultura. Escreveu, escreveu, escreveu...para no fim dizer o seguinte: "A FUNÇÃO DO MINISTÉRIO DA CULTURA NÃO É COMBATER O PT E O PC do B. Aliás, essa não é a função do governo em nenhuma área. Sua tarefa é servir aos brasileiros." Notem que o "Tio Rei" sequer considera a possibilidade de que possa NÃO HAVER GOVERNO ALGUM sem combater o PT e o PC do B !!!

Já que o arqui-inimigo do "Tio Rei", Aiatolavo de Carvalho, está ocupado demais caçando ursos na Virgínia e mandando as pessoas "tomarem nos seus orifícios excretores", já que os dois estão "brigadinhos" para ver quem deve buscar o Kim Katupiri na escola, faço eu mesmo a pergunta básica utilizando a linguagem do Tucanaldo Azevedo: Servir em que sentido, cara pálida??? Que conversa é essa de "servir"??

Acreditar que o Ministério da Cultura deve "servir aos brasileiros" impõem determinadas crenças das quais o senhor Reinaldo Azevedo parece ser um  dos fiéis: 1 - a cultura no Brasil precisa de um Ministério para ser preservada e servir aos brasileiros. 2 - o que existia no Brasil era um Ministério da tal "cultura" e não uma fábrica de propaganda petista ! 3 - "culturas" só existem por causa de governos;  não Governos por causa de "culturas" 4 - Culturas devem "servir a alguém"

Entendo que Reinaldo Azevedo tenha seus dogmas, mas não aceito que os imponha sobre o resto do Brasil. Reinaldo não acredita que o PT seja comunista, não acredita em Foro de São Paulo nem no Ministério da Propaganda Petista. Olavo de Carvalho acredita; e deve pensar que são coisas ligadas ao "satanismo mundial" !!! Merecem um ao outro, sem dúvida alguma!

O que Michel Temer fez criando, recriando, ou impedindo que fosse extinto (eu sei lá como Reinaldo quer chamar) essa imundície chamada "Minc" foi o maior erro que poderia ter cometido no seu Governo. Mostrou que, sob pressão, ele cede aos caprichos da horda de desocupados petistas que protestam contra o "golpe" em Cannes enquanto o PT que os sustenta vai em "Cana". 

Não adianta postarem, como agora já começaram a postar no Facebook, que não vai "haver dinheiro para o "Minc" e que nele os petistas não vão mandar. O erro está cometido. O preço a ser pago é na política, não na economia arrasada do país em que hospitais estão fechando um depois do outro e as pessoas sendo assassinadas como bichos nas ruas. 

Uma cultura que tem nos seus "expoentes" Caetano Veloso, Gilberto Gil, Wagner Moura e Daniela Mercury - entre tantos outros picaretas que mamam nas tetas públicas do Estado Brasileiro - precisa de um Ministério da Ignorância; não da Cultura ! Uma cultura que precisa de dinheiro público para existir e se propagar não faz mais do que invocar o darwinismo histérico de Hitler que, se vivo estivesse, bateria palmas para o PT dizendo que "tudo que não é cultura do Ministério é inferior e deveria desaparecer". Na falta de Hitler,  o bobalhão "Vaca Profana" Caetano Veloso dirigiu-se a Temer dizendo que ele, Temer, aprendeu a lição e "vai deixar a cultura para os cultos"

A esquerda brasileira não quer "Ministério da Cultura" nenhum, quer um Ministério da Propaganda. Na cultura brasileira eles, os intelectuais orgânicos, já se transformaram em hegemônicos muito antes da fundação do PT em 1980. 

Com Temer ou com Dilma no Governo, o Brasil vai andar de bicicleta, fumar maconha e dançar funk por mais cinquenta anos antes que cientistas identifiquem sinais de vida cultural no país.

O que Temer teve foi a chance de suspender o financiamento dessa barbaridade com dinheiro público. Não aproveitou e vai pagar o preço político por isso com ou sem apoio do Tio Rei ou o silêncio do Aiatolavo de Carvalho.


Milton Simon Pires é Médico.

4 comentários:

Anônimo disse...

Texto Perfeito!!!

Parabéns, Dr. Pires!

Jayme Guedes disse...

Irretocável.

Mauro disse...

Concordo com a opinião. Creio firmemente que um Ministério para a "Cultura" ocasionará desperdício de dinheiro público e que o dito reconhecimento de erro de extingui-lo será outro erro. Político faz política e esse recuo será contraproducente.

Anônimo disse...

O Aiatolavo acertou novamente...