domingo, 26 de junho de 2016

Aula de corrupção ideológica


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Augusto Fernandes dos Santos

Remeto, em anexo, para meus camaradas de armas ,  o Artigo " OUSAR LUTAR , OUSAR VENCER ", da lavra do jovem FERNANDO FONTOURA , Diretor da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas ( UBES ), publicado pelo Jornal ZERO HORA, no dia 24/06/2016. 

O texto dá uma  ideia do nível de  " ideologização " do  ensino secundário em nosso país. A linguagem do jovem Diretor retrata a bagunça instalada em nossas escolas públicas , ocupadas por semanas, em vários estados da Federação,   e a omissão de nossas " otoridades " EDUCACIONAIS.

No artigo, uma PÉROLA ACINTOSA,  não faltou nem a menção aos ENSINAMENTOS DO COMANDANTE MARIGHELLA.

Entristece constatar , à guisa de reflexão, que o responsável pela publicação de artigos em  ZERO HORA e  seus Diretores, forneçam espaços nobres do jornal,  para a divulgação e incentivo  de  matérias de tão baixo nível ,que enaltecem a anarquia e a indisciplina,    submetendo  os leitores e assinantes do  tradicional matutino , a tão deplorável constrangimento. O que pretendem  esses senhores?

Confira o texto:

Estudante que ocupou sua escola (Escola Técnica Estadual Irmão Pedro), diretor da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes)

O movimento estudantil protagonizou páginas heroicas ao longo da história de nosso povo. Inclusive pode-se afirmar que a história do movimento estudantil confunde-se com a própria história das lutas populares no Brasil. E obviamente, nesse cenário de crise econômica e política, em tempo de golpe contra o Brasil, a estudantada se levanta, principalmente porque o golpe é também contra a educação.

E no Rio Grande do Sul, a galera não fez feio! Ocupamos nossas escolas, fizemos diversas aulas e atividades, consertamos os problemas de nossos colégios abandonados, pintamos, arrumamos tudo, e ainda tivemos que resistir contra a voracidade reacionária daqueles estúpidos que quiseram nos expulsar à força, curiosamente os mesmos que querem uma escola que não tenha aula de história, geografia e demais ciências sociais, pois é isso mesmo que querem os que defendem o fascista projeto da "escola sem partido" (PL 190), que também são os mesmos que defendem a privatização da educação e demais serviços públicos (PL 44).

Porém, para choro deles, a gente venceu a surdez do governo Sartori quando tivemos a coragem de ocupar a Assembleia Legislativa do RS. E essa ocupação histórica garantiu R$ 40 milhões em repasse às escolas (antes o governo dizia não ter dinheiro), uma comissão estudantil fiscalizadora, a suspensão da tramitação do PL 44 neste ano, e a configuração da vitória sobre o fascista PL 190, já que o mesmo está ridicularizado entre os deputados estaduais. Agora é retomar as grandes mobilizações nas ruas para garantir o cumprimento da negociação feita com o governo Sartori, pois ele não costuma honrar o fio de seu volumoso bigode.

O comandante Carlos Marighella nos ensinou que é preciso ousar lutar, que é preciso ousar vencer. Hoje, a gurizada de luta aprendeu que além da ousadia tão necessária, é preciso saber lutar e saber vencer também. Afinal, a guerra é feita de batalhas. E vencemos uma importante batalha contra o "sartorão", agora precisamos avançar nas ruas pela vitória final. Porque ainda acreditamos que um dia a educação será realmente uma educação necessária ao Brasil e seu povo, será realmente uma educação popular. 


Carlos Augusto Fernandes dos Santos é Militar Reformado.

Um comentário:

Alvaro Risso disse...

Cada vez que se cede a essa esquerdalha, mais fortes eles ficam.