terça-feira, 28 de junho de 2016

Nocturna Versate Manu Versate Diurna


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

NOCTURNA VERSATE MANU VERSATE DIURNA

Dias e noites de estudos nos levam a compreender que o profeta desarmado perece e o armado vence.

O Direito é arte do bom e do equitativo. (ius est ars boni et aequi ut eleganter Celsus definit)

Arte marcial por excelência. Antigamente os canhões tinham escrito em suas bocas: Ultima ratio.

Contra a força não há argumento.

Democracia é dengo de rico. Só vale quando nossa vontade prevalece.

Aprendemos que soberania é o poder incontrastável de querer coercitivamente e fixar as competências.

O Brasil é soberano. Buscará o seu brilhante futuro a todo o transe.

Tenho lido tanta asneira que não me surpreendo mais.

Um sábio falou certa vez:

“O mundo era governado pelos mais capazes até que os idiotas descobriram que eram a maioria.”

O plebiscito britânico mostrou que ainda há esperança. Vão querer desqualificá-lo.

Esperneio dos que se frustaram na tentativa de escravizar o povo.

Foi a segunda Batalha da Inglaterra. Na primeira o totalitarismo foi derrotado. Nesta, pereceu a globalização.

Veremos uma reação em cadeia nos outros países civilizados.

Virtú contro a furore/Prederà l'arme, e fia el combatter corto/Ché l'antico valore/Nell'italici cor non è ancor morto." 

Tradução: "O valor tomará armas contra o furor/E que seja curto o combate!/Pois a coragem antiga ainda não morreu/No coração dos italianos."



Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

4 comentários:

Loumari disse...

Não conhecem absolutamente nada sobre o Reino da Grã-Bretanha, não sabem nada quanto a UNION JACK e ousam opinar sobre ela?
Vocês conhecem o que simboliza a bandeira da Grã-Bretanha?

A bandeira do Reino Unido, conhecido pelo nome de Union Jack, foi criada em 1603, após a união das coroas da Escócia e da Inglaterra sob seu monarca comum Stuart Jacques (Jacques VI da Escócia e Jacques I da Inglaterra), uma centena de anos antes da criação real do reino da Grã-Bretanha pelo Acto de União de 1707. Ela combina a cruz de São George da bandeira Inglesa e a cruz de Santo André da bandeira escocesa. Depois da União de 1801, nesta mesma bandeira foi acrescentada a cruz de São Patrick para representar a Irlanda.
O que vocês não conhecem ou não sabem sobre Inglaterra é o seguinte: esta agora pertence aos Indianos, Paquistaneses e Egípcios. Tudo na Inglaterra está baixo poder de muçulmanos. Todos os bancos são deles; a gestão de todos aeroportos é deles; todos grandes centros comerciais e grandes empresas são deles; a própria plateia financeira THE CITY foi há três anos atrás baptizado pelo mesmíssimo David Cameron como plateia financeira islâmica. Eles têm já poder sobre tudo na Inglaterra. E por acaso vocês sabem que o novo governador de Londres é muçulmano?
O que está a ocorrer na Grã-Bretanha é obra del pueblo del poder cujo pai é Satanás. Agora a Escócia e Irlanda territórios não todavia dominados pelo islão e são majoritariamente brancos europeus, eles querem agora é ser independente de Inglaterra e permanecer na União Europeia.
Os satanistas dividem os povos, separam as famílias para melhor tomar posse das gentes e governar sobre eles. Agora imaginem um só instante que Escócia e Irlanda se separem da Inglaterra? E eles permanecer na casa da Mãe Europa e a Inglaterra entregue aos estrangeiros que são os islamistas?
E outra coisa senhores, quando não conhecem as coisas no fundo, melhor se calar. A Grã-Bretanha não sustenta Europa. Todos os países da União Europeia contribuem para a sustentabilidade de suas instituições, e todos contribuem para a constituição do fundo que depois é redistribuído as nações em forma de subvenções, por exemplo para a área da agricultura, pesca, educação e segurança. E é graças a estas subvenções que países como Espanha e Portugal puderam se desenvolver rápido e alcançarem o nível dos países do Norte de Europa. Portugal e Espanha puderam construir muitas estruturas e infra-estruturas, como estradas, auto pistas, pontes, graças a subvenções Europeias.
Vergonha a todos vós que falais do que não conhecem.

PS: Se Europa está podre é lógico que o italiano esteja também podre pois não? Todo que se nutre do podre também é podre.

Eduardo disse...

Loumari, tem alguma prova do que acabou de escrever? na lista de nome de donos de bancos, aeroportos e empresas da Inglaterra oque mais tem é judeu e branco europeu, raro achar algum muçulmano...mas já até sei que tipo de idiota digitou isso, provavelmente algum português extremamente católico e saudosista dos impérios europeus, não é?

Anônimo disse...

Que beleza Professor Mantiqueira, adorei esta frase:

“O mundo era governado pelos mais capazes até que os idiotas descobriram que eram a maioria.”

Aqui vai outra, contribuição do grande Albert Einstein, em seu livro "Como vejo o mundo" (recomendo a todos a leitura; é surpreendente e coloquial ao mesmo tempo, muito agradável!)

Disse Einstein quando perguntado sobre uma eventual Terceira Guerra Mundial: "Não sei como será a Terceira Guerra Mundial, mas a Quarta, COM CERTEZA!, será a paus e pedras!"

Salve-se quem puder Mantiqueira!
Abraço do Clóvis
PS. O Serrão comenta acima que "os militares não aceitarão secessão", mas eu pergunto: Mas eles aceitam coisas terríveis na segurança pública Brasil afora (é como se tivéssemos SEIS guerras civis pelo padrão ONU), vivem "esmolando" migalhas dos corruptos e para eles batem continência e dão medalhas! Será que eles estão mesmo defendendo o POVO BRASILEIRO ou o Governo Mundial?? Qual é a desses senhores?? Vão seguir caladinhos e obedientes até chegarem no nível das forças armadas da Venezuela - e ajudar o governo a escravizar e controlar o povo?? Obediência cega dá nisso....

Loumari disse...

Este eduardo é destes indivíduos que por comida não hesitou em baixar as calças para ser circuncidado o pénis. Este eduardo tem tudo de alguém que quando o muçulmano lhe exige abrir a boca para o muçulmano cagar nela, eduardo se apura em abrir a sua boca para o muçulmano cagar a vontade na boca de eduardo. Cada um defende o que lhe é próprio.
Se você quer provas, vai viver um ano na Inglaterra para observar a coisa de seus próprios olhos.