sexta-feira, 3 de junho de 2016

Sátira


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

“Ridendo castigat mores”.

Assim sendo, peço desculpas aos amáveis leitores, por excessos cometidos no passado e pelos que cometerei no futuro.

Procuro adequar minha linguagem ao público que pretendo atingir.

Os jovens de hoje, salvo honrosas e raríssimas exceções, tem um vocabulário restrito , quase sempre entre o calão e o chulo.

Procuro captar seus quinze segundos de atenção, através do humor.

A geração “videoclip” não lê nem placa de trânsito. Se o assunto interessar muito, no máximo meia página.

Isto posto, prometo organizar um pequeno glossário da linguagem corrente entre os jovens propositadamente imbecilizados. Amostra:

Obrigado = Valeu

Está combinado = Beleza

Não aborreça = Vai se f....

Manter relações = Dar um rolê

Mulher de mais de 30 = Coroa

Mulher de menos de 20 = Mina ou Gata

Uma recente presidanta, colaborou com a introdução da falta de lógica em seus discursos.

Os sofismas eram materiais, formais ou psicodélicos.

Nada irreparável, mas haja borracha.


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

3 comentários:

Anônimo disse...

Borracha não adianta.
Tem que ser "lavagem cerebral".
Com lava-jato.

Loumari disse...

Não devemos ter medo de inventar seja o que for. Tudo o que existe em nós existe também na natureza, pois fazemos parte dela.
(Pablo Picasso)

Loumari disse...

Duvide de Tudo o que não Promove a Vida

Duvide do conteúdo de todas as ideias e de todos os pensamentos que debilitam a sua saúde psíquica. Duvide da sua incapacidade de superar os seus conflitos, os seus fracassos, a sua insegurança, a sua ansiedade. Duvide da sua incapacidade de ser feliz.

A dúvida esvazia a ditadura das derrotas, das angústias, da depressão. Devemos assumir com honestidade as nossas fragilidades, limitações e conflitos, mas não nos devemos deixar controlar por elas. Cuidado com a ditadura do medo, das ideias negativas, das doenças emocionais. Retire o medo do trono da sua mente e substitua-o pela esperança.

Não duvide do valor da vida, da paz, do amor, do prazer de viver, enfim, de tudo o que faz a vida florescer. Mas duvide de tudo o que a compromete. Duvide do controle que a miséria, a ansiedade, o egoísmo, a intolerância e a irritabilidade exercem sobre si. Use a dúvida como ferramenta para fazer uma limpeza no delicado palco da sua mente com o mesmo empenho com que faz a sua higiene dentária.

"Augusto Cury, in 'Treinar as Emoções Para Ser Feliz '
Brasil n. 2 Out 1958
Psiquiatra/Escritor