sábado, 25 de junho de 2016

Vamos além dos remédios amargos?


- Deixa eu lhe falar uma coisa. Esses meninos da Polícia Federal e esses meninos do Ministério Público, eles se sentem enviado de Deus.

- É, mas eles são todos crentes. Os caras do Ministério Público são crentes, né?

- É uma coisa absurda. Uma hora nós vamos conversar um pouco, porque eu acho que eu sou a chance que esse país tem de brigar com eles para tentar colocá-lo no seu devido lugar. Ou seja, nós queremos instituições sérias, mas tem que ter limites, tem que ter regras.

(Diálogo entre o Coelhinho da Páscoa e seu amigo Nervoso, captado em uma ligação telefônica, em março de 2016)

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

A morosidade do judiciário, o senso de impunidade e a consagração de injustiças sociais que prejudicam a sociedade brasileira não incomodam apenas a maioria dos cidadãos "pts da vida" com a ação institucionalizada do crime no Brasil. Felizmente, magistrados com consciência cidadã e senso de cumprimento do dever de ofício como servidores públicos ganham voz na mídia e nas redes sociais para exigir mudanças estruturais e culturais. Releia o artigo: O Exemplo de uma Magistrada


Agora futura "Presidente" do Supremo Tribunal Federal (assume em setembro), Cármem Lúcia, aproveita o congresso da Associação Nacional de Jornalismo Investigativo para chamar a atenção para a dificuldade estrutural de se combater e neutralizar a desgovernança do crime organizado no Brasil. Cármem Lúcia recorreu a uma metáfora de fácil compreensão: "No Brasil, a gente engole o elefante, mas engasga com a formiga. Consegue fazer o impeachment (da presidente da República), mas não consegue tirar o vereador da cidade pequena que todo mundo sabe que roubou ou fez coisa errada".

O jornal O Globo repercutiu: "Cármen Lúcia defendeu o jornalismo e a liberdade de expressão como princípios básicos das democracias. Ela disse que quem assume cargo público tem uma esfera de privacidade menor e citou o caso de jornalistas da Gazeta do Povo que estão sofrendo uma série de processos movidos por juízes do Paraná, que tiveram seus salários revelados em uma reportagem do jornal". A ministra do STF não ficou refém do tradicional corporativismo do judiciário e opinou, sem rodeios: "Todo mundo tem direito à privacidade. Mas quem está no espaço público tem uma esfera de privacidade diferente de quem está em casa. Dizer quanto o juiz ganha não está no espaço da privacidade. É o cidadão quem paga".

A reportagem aproveitou o gancho: "Ainda falando sobre privacidade, a futura presidente do Supremo afirmou que alguns processos precisam correr em segredo, já que sua divulgação pode fazer com que um investigado destrua provas, por exemplo. Segundo ela, porém, essa é uma das poucas exceções ao princípio da publicidade do Judiciário: "Não pode haver sigilo para proteger uma pessoa. O que acontece é que o tempo do direito é diferente do tempo da política ou da economia".

Cármem Lúcia defendeu um princípio bem simples: o Judiciário deve garantir que os processos que estão em andamento cheguem ao fim, atestando todos os direitos, e que os culpados sejam punidos. A ministra do STF resumiu, de forma magistral, aquilo que é o sentimento da maioria esmagadora dos cidadãos brasileiros.

Recentemente, o relator da Lava Jato no STF, ministro Teori Zavascki, já tinha prescrito a necessidade de "remédios amargos" para o combate à corrupção. No entanto, a crise estrutural brasileira (mãe das crises política, econômica e moral) assumiu uma dimensão tão descontrolada que é preciso ir além da amargura do medicamento. Temos de partir para uma quimioterapia em todos os poderes infectados pelas células cancerosas do crime.

Como podemos ir além dos remédios amargos? A resposta não é fácil, mas exige o cumprimento de algumas etapas. Primeiro, é preciso identificar onde o crime atua e denunciá-lo. A imprensa livre e os cidadãos livremente interligados em redes sociais são fundamentais para isto. Depois, é preciso pressionar, de forma legítima, o Ministério Público e o Judiciário para que cumpram seu dever funcional.

Ao mesmo tempo, é fundamental um amplo debate com soluções para reduzir, neutralizar e impedir a corrupção (que é institucionalizada culturalmente). É básico entender que no Brasil, país colonizado e periférico, o crime é comandado de fora para dentro. Nossos corruptos se locupletam, sendo agentes conscientes de esquemas mafiosos globalitários, cujo objetivo é manter o Brasil subjugado, como permanente colônia de exploração.

Só depois que forem identificados os agentes criminosos - e para quais interesses maiores, externos, eles trabalham -, tornando tudo isso público e exigindo que o judiciário funcione, é que vamos mudar o jogo. Sem adotar tais procedimentos, não adianta remédio amargo. Sem conhecimento sobre a função estratégica do crime organizado, seu combate será mero enxugamento de gelo.

Pense nisto! Reflita se você não é, sem saber, um agente que serve ao crime, por ação ou omissão. Depois, reúna pessoas que tenham feito a mesma autocrítica e que desejam mudar o Brasil para melhor. A Revolução Brasileira, em andamento, já assiste a este processo irreversível de verdadeiro combate ao crime.

Resumindo: cada cidadão precisa se comportar como um Rodrigo Janot, um juiz Sérgio Moro, uma corregedora Nancy Andrigui e uma ministra Cármem Lúcia...

Quem não reage rasteja... Serve ao crime organizado e acaba engolido por ele...

Releia a terceira edição de ontem: Quem cuidará de Lula, além de Moro?

Mera coincidência que não existe


Do craque Merval Pereira sobre a reação corporativa dos senadores com a prisão de Paulo Bernardo, um dos ideólogos revolucionários e coordenadores operacionais e financeiros do PT:

"A reação dos senadores em relação à prisão do ex-ministro Paulo Bernardo é corporativa, porque o despacho do juiz que autorização a busca e apreensão na casa dele é muito claro. Ele pede que nada da senadora seja apanhado e os investigadores teriam que anotar tudo que levaram da casa; apenas coisas do marido, que não tem foro privilegiado, poderiam ser levadas. A ordem é muito clara no sentido de preservação da senadora. Mas não tem sentido o marido ser protegido pelo foro da mulher. Ninguém fala sobre os crimes cometidos".

Nem precisa revelar


Gravador perigoso
´

Cunhar é verbo intransitivo?


Recebe a Guta, Obama


Uma das melhores e mais premiadas produtoras da televisão brasileira, Guta Nascimento, dante da Casa Branca: recebe ela, BaracK Obama...

Colabore com o Alerta Total

Os leitores, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente com o Alerta Total poderão fazê-lo de várias formas, com qualquer quantia, e com uma periodicidade compatível com suas possibilidades.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil.
Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

II) Depósito em Conta Poupança da Caixa Econômica Federal ou em agências lotéricas: 2995 013 00008261-7, em favor de Jorge Serrão.

OBS) Valores até R$ 9.999,00 não precisam identificar quem faz o depósito; R$ 10 mil ou mais, sim.

III) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

IV) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!


O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 25 de Junho de 2016.

6 comentários:

Sérgio Alves de Oliveira disse...

Essa "piada" da ordem dada pelo Presidente do Senado,Renan Calheiros,à Advocacia Geral do Senado,para questionar no Supremo a entrada da Polícia Federal na moradia de Paulo Bernardo,casado com a Senadora Gleisi Hoffmann,por ter esta foro privilegiado,significa uma incrível pretensão de legislar,passando por cima do Poder Legislativo,criando uma espécie de "comunhão conjugal de foro privilegiado". Simplesmente ridícula essa ordem,e muito triste ver que advogados tenham que se submeter a esse tipo de ordem,cumprindo-a ,apesar de manifestamente contrária à lei,desse modo até infringindo princípios éticos consagrados no Estatuto da OAB.

Anônimo disse...

Todo tipo de crime no pais ao contrario do que dizem tem como autor as autoridades tanto civil como militar, nem um bandido sem ter as costas quentes pode com as policias...

Anônimo disse...

Chico Trevas 1 minuto atrás
Até agora só os bois de piranha foram preso e a cupula do poder, nada dos 11 ministro do supremo 8 foi escolhido por Lula e Dilma e eles serão punido, qual Forum vai puni-los, nenhum pq eles pertencem Foro de São Paulo, organização criminosa criada por Lula e Fidel, cujo o principal tesoureiro são as farcs, cujo o faturamento por ano chega a 8 bilhoes
Povo gado, povo enganado

Anônimo disse...

O Brasil viveria muito bem sem o STF.A Justiça está funcionando,a PF está funcionando,o MPF e TSE estão a pleno vapor,a AJUFE está de olho,o Congresso e o Senado dentro das suas funções normais.Para que o serve o STF? Para nada!Só para criar problemas ao invés de resolvê-los, perdendo tempo com a Maria do Rosário! Fala sério!

hppilatti disse...

hppilatti (70)

Não entendo onde o bloguista quer chegar dizendo que "os meninos são crentes ou, enviados de Deus". Deve ser brincadeira ou deboche.
Ser crente, ateu ou agnóstico é opção individual. "A liberdade de crença é inviolável".
"Os meninos" estão fazendo o que realmente deve ser feito e, têm meu aplauso.
Quem "faz acontecer" geralmente provoca inveja.

Anônimo disse...

Sério que você canta loas a tipos como Carmem Lúcia e a Janot, ô Serrão? Você não ter vergonha nessa cara não? Acaso não vê o conluio criminoso desse Janot, que até agora só poupou a cúpula petralha e, em vez de denunciar Dilma e Lula pelo crime que o Brasil todo ouviu naquele grampo denunciou apenas Renan, Sarney e Jucá, sem elementos suficientes? Você por acaso não sabe que essa cara de cágado negociou imóvel com doleiro que trabalha pro narcotráfico? São todos mais sujos que pau de galinheiro. Desinformado você não é. Ninguém chega aos tribunais superiores sem beijar o traseiro dos chefes de quadrilha em Brasília e sem ter uma ficha de serviços prestados - ou a prestar - à máfia. Qual é o seu interesse com esse papinho ridículo de "revolução brasileira"? Não está ocorrendo revolução alguma. O esquema continua de pé. E o Judiciário é o maior fiador, pois é o mais reduto de canalhas e bandidos hoje e são intocáveis.