sábado, 30 de julho de 2016

Brasileiros, escolham!


Ora, quando o 'rugido das ruas' entra pelas janelas da Câmara e do Senado, os políticos funcionam de um jeito; se as ruas se calam, de outro.

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Renato Sant'Ana

Para quem tem dúvidas quanto à validade das "manifestações", aqui vai um assunto da maior gravidade e a afirmação de como o cidadão comum, contribuinte, o simpático que fica vendo TV e falando mal dos políticos pode, sim, influenciar e evitar a derrocada.

Conforme matéria veiculada em ÉPOCA, está sendo elaborada uma proposta para a nova Lei Orgânica da Magistratura (Loman), que mesmo alguns magistrados (com elevado senso de dignidade e civismo) rejeitam, tais são os exageros: 17 salários por ano e uma pilha de adicionais, artifícios que legalizam flagrantes privilégios.

Joaquim Falcão, ex-conselheiro do CNJ e diretor da Faculdade de Direito da FGV, acusando excessos na lei em gestação, defende que os magistrados "precisam de prerrogativas - como independência - para exercer sua função, não de privilégios".

Já o juiz federal Saulo Bahia, membro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), defende o projeto, alegando que é uma uniformização dos benefícios já praticados em muitos Estados: não propõe remover os exageros existentes, mas a uniformização dos privilégios.

O presidente do Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda (Sinprofaz), Heráclio Camargo, critica o projeto: "Não concordamos com penduricalhos que não sejam publicamente justificáveis. (...) Não é possível criarmos castas de privilegiados que se autoconcedem penduricalhos injustificáveis em um país tão injusto".

Veja-se para onde vai a coisa: se o tal projeto virar lei, os membros do Ministério Público vão pegar carona e "conquistar" seus privilégios. Mas para a presidente da Associação Nacional dos Membros do MP, Norma Cavalcanti, isso é bom: "É um sonho! Você imagina o ideal, busca o ideal para a carreira, devemos sempre buscar." Claro, o "ideal" é enriquecer...

MAS SERÁ POSSÍVEL TER ESPERANÇA? Para quem não está espiritualmente enfermo, sim! "Não creio que o Judiciário como um todo será favorável a um projeto dessa natureza. Sou otimista. Sobretudo confio nos juízes mais jovens", declarou Joaquim Falcão. Para ele, está nascendo uma nova geração de juízes, mais jovem e com maior presença de mulheres, o que fará a diferença e terá um impacto a médio-prazo.

QUE RESTA FAZER?

A tal lei é elaborada no STF. Depois, é mandada para o Congresso Nacional: senadores e deputados terão de aprová-la, na íntegra ou em parte; ou mesmo mandá-la às favas de algum modo, depende do clima. Ora, quando o "rugido das ruas" entra pelas janelas da Câmara e do Senado, os políticos funcionam de um jeito; se as ruas se calam, de outro.

Entenderam? Várias iniciativas antirrepublicanas vão morrer ou condenar o nosso futuro, dependendo da atitude de cada um de nós.

Se este 31 de julho tiver a pujança do 13 de março (quando vimos a maior manifestação cívica da história), ficará muito grande a pressão sobre o Congresso Nacional. Será um apoio àqueles parlamentares que ainda pensam no melhor para o Brasil. E ainda vai desencorajar algumas iniciativas mal intencionadas.

Ou seja, resta-nos escolher: ajudamos os bons, ou favorecemos os maus. Ou ficamos de bobeira no domingo, ou ajudamos a amplificar a voz que clama por dignidade no país!

P.S. Leia a matéria de Época em:

http://epoca.globo.com/tempo/noticia/2015/07/projeto-de-lei-preve-ate-17-salarios-e-aumenta-beneficios-juizes.html


Renato Sant'Ana é Psicólogo e Bacharel em Direito.

4 comentários:

Anônimo disse...

Essa de passeata já passou! Cão que ladra não morde e os políticos já sabem disso a muito tempo. Depois da ventania sempre vem a calmaria. O que tem que haver é uma tempestade (que destrua o status quo, o modus operandi) para depois a bonança. E só quem poderia nos dar uma seria as FFAA,... mas elas também, nessa nova conjuntura, não passam de uma brisa. Então, se preparem para mais anos do Brasil de sempre!

Lu Queiroz disse...

Infelizmente o anónimo tem razão,mas de qualquer forma temos um povo mais politizado.

Loumari disse...

Um Autêntico Sonho de Amor

Orgulho, vaidade, despeito, rancor, tudo passa, se verdadeiramente o homem tem dentro de si um autêntico sonho de amor. Essas pequenas misérias são fatais apenas no começo, na puberdade, quando se olha uma janela e se desflora quem está lá dentro. Depois, não. Depois, sofre-se é pelo homem, é pela estupidez colectiva, é por não se poder continuar alegremente num mundo povoado, e se desejar um deserto de asceta. O ascetismo é a desumanização, é o adeus à vida, e é duro ser uma espécie de fantasma da cultura cercado de areias.
"Miguel Torga, in "Diário (1948)"

Anônimo disse...

O JUDICIARIO SÓ VAI CRIAR VERGONHA NA CARA SE A AOB EM PESO TIVER A CORAGEM DE IREM ATÉ A ONU DO CONTRARIO O JUDICIARIO JUNTO DA MAÇONARIA VAI CONTINUAR A FUDER COM TUDO...