quarta-feira, 27 de julho de 2016

Entrelinhas da Dor

Mãe de Chavez, Elena Frias

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Renato Sant'Ana

O Jornalista Caio Blinder informa, na Globo News, que a mãe do falecido ditador venezuelano Hugo Chaves revoltou-se contra o ditador de plantão, Nicolás Maduro. Seu coração de mãe está ferido, o que bem podemos compreender: o filho mais moço, Aníbal, morreu num hospital de Caracas (capital do país).

Não se pode desconsiderar o drama e o sofrimento da mãe. Mas é de se ver como Ela verbalizou sua revolta: "Se vocês o houvessem enviado para Cuba, não teria morrido!" (Hugo Chaves fez tratamento em Cuba.) Ocorre que a situação dos hospitais na Venezuela - onde o socialismo bolivariano urdido pelo nefasto Foro de S. Paulo mais avançou - é de total calamidade.

À parte de seu genuíno sofrimento, que é que a mãe dos Chaves está a dizer-nos? É uma paráfrase de Orwell, em "A revolução dos bichos": todos são iguais, só que alguns são mais iguais que outros! O povão pode morrer nos sucateados hospitais venezuelanos, mas um membro da nomenclatura socialista tem direito a ser enviado ao estrangeiro para receber melhor tratamento.

"Ah, então os capitalistas não vão buscar tratamento nos melhores hospitais...", dirá em tom irônico o rapazinho do grêmio estudantil, entendendo que capitalismo é o oposto de socialismo. Vão, sim! O que está errado é ir com dinheiro público facilitado pelo partido e pela apropriação do Estado - privilégio às custas da população que trabalha. E é o que faz a classe dirigente dos regimes socialistas.

Ora, em todos, rigorosamente todos os países socialistas ocorre o mesmo: forma-se uma elite dirigente, os donos da burocracia, uma classe que nada produz, mas vive no maior conforto, enquanto a esmagadora maioria da população, suando para custear os privilégios dos burocratas, come o pão que Marx amassou.

Em Cuba (paradigma da banda raivosa de nossa esquerda), por exemplo, existe o "SUS cubano" para o grosso da população, enquanto a classe dirigente (elite do Partido Comunista) recebe atendimento de alto padrão - num setor reservado da ilha.

Em suma, a queixa da Sra. Chaves traz a presunção de que o governo deveria ter mandado seu filho para tratamento no exterior. É o raciocínio da elite parasitária que representa o regime socialista.

P.S. Leia postagem do Historiador Carlos Ilich Santos Azambuja no Alerta
Total: Nomenclatura, uma classe parasitária.

http://www.alertatotal.net/2016/07/a-nomenklatura-uma-classe-parasitaria.html

Renato Sant'Ana é Psicólogo e Bacharel em Direito.

Nenhum comentário: