sábado, 2 de julho de 2016

Renânia


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

O Brasil também tem sua Renânia. A capital (feder all) engrossa mais que Mainzena.

O “pala” não tem atinado que a farra acabou; até a do boi livre ( o free boi).
Já, já vai tomar no Kusel belo corretivo.

Os vermes pensam para Worms, fugir. Não dá tempo; a vaca vai tussir!

Seu escudo é perseguido por heraldo fingido. Tem uma cruz em cima (à direita) ao lado de quem vai rodar; em baixo, Leão dourado sobre a coisa preta.

Mais escura do que a capa da frescura. Há males que o fogo cura.

Sempre acha quem procura.

Deram mole na Rouanet pra qualquer Zé Mané.

A grande disputa que Paris assiste é a do velho Chico com o êta mundo cão.

Depois das olim-piadas do cocô, voltará pro rio de janerô ?

Pra São Paulo não vem; se está, não fica. O risco é grande de tomar em Cumbica óleo de rícino, servido pra molusco em Cannes (ou em cana?).

Seu velho Landau, nestas plagas pega mal.

Cuidado com pérfida mina ! Pró janota e pró pina (camba). Cambadas de peças curvas que navegam em águas turvas.

Meu sono já não perco com gente cheia de esterco.

Prefiro fazer galhofa no tempo do pré farofa.

Ainda confio na Onça. Furtaram até o Mendonça!


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Nenhum comentário: