quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Decodificando a cartinha de Dilma ao Povo Brasileiro


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Sérgio Alves de Oliveira

Parece que acaba de surgir uma novidade que merece ser identificada e integrada às regras da  língua portuguesa. Nem faço ideia de como poderia ser chamada a carta de 16 de agosto de 2016, assinada pela Presidente Dilma  Rousseff ,e dirigida  ao Senado Federal e ao Povo Brasileiro. Porém uma coisa é certa: é uma peça ridícula.

Sem dúvida a principal característica dessa carta é que ela contém inúmeras afirmações incontestavelmente verdadeiras em tese ,mas que  não sintonizam e  até  passam bem longe das  práticas do Governo da Presidente afastada temporariamente. Essa talvez possa ser considerada uma sofisticação da arte de mentir,ou seja mentir com ferramentas da verdade. Górgias e Protágoras, destacados filósofos delinquentes do pensamento da Escola Sofista da Grécia Antiga,desenvolveram com maestria a arte de mentir com aparência de verdade.

O grande segredo dessa “arte” está em construir um raciocínio falso com aparência de verdadeiro. E chama-se SOFISMA qualquer montagem de raciocínio que empregue alguma premissa falsa que vicia a conclusão ,tornando-a uma inverdade. Um exemplo simples: (premissa maior) (a)Todo homem é imortal ;  (premissa menor) (b)Ora,Sócrates é homem : (conclusão) (c) Logo,Sócrates é imortal.  Dito raciocínio está perfeito,porém falha nas premissas, tornado-o ,portanto,falso.

É exatamente isso,minhas Senhoras e  meus Senhores,o significado dessa carta presidencial. É sofisma “puro sangue”.

As “lamúrias” epistolares da Presidente   ao Senado e ao Povo Brasileiro, expostas nessa “peça” cujo melhor destino seria um museu de “exquisitisses”, começam já no primeiro parágrafo,quando ela garante o seu compromisso com a democracia e com as medidas necessárias à superação do impasse político que “tantos prejuízos já causou ao país”. Mas “quem”,Presidente Dilma,já  causou tantos prejuízos ao país ? A Senhora não teve  nenhuma culpa e tudo foi obra da oposição ? Toda a culpa é dos “outros”? O que a senhora fez durante todo o tempo de quase seis anos em que governou?

As falsas premissas que contaminam a carta da primeira à última letra tentam colocar sob responsabilidade do mesmo Senado que julgará o seu impeachment a manutenção do  que ela chama de “Estado Democrático de Direito”, que só seria uma realidade e estaria condicionado à sua absolvição pelo Senado. Então sua eventual condenação seria amputar o “estado democrático de direito”?

Ocorre,Presidente Dilma,que o denominado “estado democrático de direito” deixou de existir no Brasil há  bastante tempo. Ele só resiste no “papel”,na cabeça dos políticos  safados e dos ignorantes. O Brasil não vive nenhuma democracia,que é tão mentirosa e pelos mesmos motivos que foi a sua carta ao Povo Brasileiro. Essa “democracia” é meramente formal,não tem conteúdo,essência.

É portanto, OCLOCRACIA, que é a forma impura, degenerada, corrompida, deturpada, da democracia, praticada pela massa ignara em proveito da patifaria que se adonou da política. Do mesmo modo não há que se  cogitar da existência de nenhum “Estado de Direito”,pela simples razão de que TODAS as fontes do direito no Brasil estão viciadas, mais precisamente, as  LEIS, a JURISPRUDÊNCIA,a DOUTRINA e até os COSTUMES,contaminando o produto final, ou seja, o Estado de Direito. O Brasil,portanto,não se limita a “viver” num mundo de fantasias. Ele é o próprio “mundo das fantasias”.

Por outro lado a Sra.Dilma deveria agradecer aos seus acusadores  a gentileza de terem se limitado a acusá-la de crime de responsabilidade pelas tais “pedaladas fiscais”,que seria uma irregularidade contábil qualquer ,uma manipulação de contas,talvez bem menos grave que outros que certamente poderiam ser encontrados e comprometê-la dentro do Governo mais corrupto que o Brasil já teve. Mas o Senado terá plena soberania para julgar essa acusação,nem mesmo o Judiciário podendo interferir,sob pena de invasão de competência. E um eventual julgamento afastando Dilma definitivamentenão seria nenhum “golpe”, como ela denuncia.

É difícil entender como uma pessoa pode ter a coragem de se definir como  adefensora número um da “soberania nacional”, e ter sido ,ao mesmo tempo, uma das principais responsáveis pela renúncia  de grande parte dessa soberania em favor do FORO SAN PABLO,fundado por Lula da Silva e Fidel Castro em 1990,sob cujo comando esteve o Brasil desde 2003,com a primeira eleição de Lula.

Na verdade os governos do PT alimentaram-se politicamente durante todo o tempo em que governaram não só de gente da pior espécie da política, quanto também da pior espécie do povo,que ainda é maioria,portanto decisiva em eleições “oclocrátricas”. A diferença principal entre um e outro é que as deficiências  predominantes dos políticos que sustentaram o PT (com essa afirmação não se “absolvendo” os outros) são  mais de ordem moral e de precariedade de caráter,ao passo que na outra ponta  as  deficiências do “seu” povo são de ordem cultural,despolitização e percepção incorreta da realidade política.

Todos sabem que existem políticos decentes e políticos indecentes. E também ninguém mais duvida que os políticos indecentes predominam. Mas quem coloca os políticos no poder é o povo,nas condições definidas nas leis que os políticos fazem. Fica evidenciada,portanto,a cumplicidade política entre os políticos desonestos que só buscam satisfação dos próprios interesses e o povo menos capacitado para votar, que é maioria. Essa “dupla” acaba mandando na política,justamente porque é maioria.

Aí reside o exacerbado apego que especialmente os políticos indecentes têm com o que eles chamam de “democracia”,mas que não é,porque se trata na verdade de oclocracia, que é o contrário,onde  os menos inteligentes  escolhem  os mais safados para mandar ,neles próprios,e nos mais inteligentes.

“Plantadas” essas preliminares, dá para perceber a insistência das “lamúrias” da carta de  Dilma com o tal “plebiscito” antecipatório de eleições e com a “reforma política e eleitoral”. O PT dá como “favas contadas” o fato de que ninguém o bate numa eleição. A verdade  é que esse partido tem plena consciência das deficiências da “democracia” que praticamos, como antes esmiucei,e  que essa circunstância lhe é extremamente favorável. É o “seu chão”, pode-se dizer, sem medo de erro.

Além de ser um processo de escolha praticamente igual ao que acontece numa eleição comum,o plebiscito é definido como uma das formas de democracia direta. Mas o único direito do povo é votar. Ele não tem nenhuma participação no processo de escolha das perguntas que lhe serão submetidas. O povo só “engole” o que já vem pronto lá de cima e decide o que eles querem que seja decidido. Portanto plebiscito também é oclocracia. Uma farsa.

Enquanto na sua missiva a Sra.Dilma  afirma que  “ a  democracia  é o único caminho para a construção de um Pacto pela Unidade Nacional”, o POVO DO SUL (PR,SC e RS)  já não acredita mais neles ,e parte ,ao contrário do que  essa Senhora pretende ,para formalizar um “Pacto pela Desunidade Nacional”,onde ele próprio estaria “caindo fora” dessa unidade que nunca deu certo, mediante um PLEBISCITO (que o Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina proibiu que se chamasse  de plebiscito), marcado para 1º de outubro próximo, nos Três Estados do Sul,onde os eleitores dirão se desejam  que o SUL permaneça anexado ao Brasil, ou se torne independente.


Sérgio Alves de Oliveira é Advogado e Sociólogo.

3 comentários:

Estéfani JOSÉ Agoston disse...

Cidadão e advogado senhor Sergio Alves de Oliveira, dirijo-me a si para dizer-lhe que compreendo o que afirma serem seus motivos que o levam a desejar ardentemente a separação dos estados de PR,SC e RS do território brasileiro, da mesma forma compreendo os mesmos sentimentos daqueles destes três estados que pretendem o mesmo, mas não concordo. Não concordo pois queira ou não, somos uma unidade territorial, com a mesma língua e quase os mesmos costumes.

Não pensem e digo-lhes isso em voz alta, que são melhores, mais honestos ou honrados que os demais brasileiros, mesmo tendo a bandeira Farroupilha com muita razão tremulando lá no alto, mas lembre-se que, quem a coloriu com o próprio sangue valente, foram os maragatos, que sabe bem, eram Federalistas; pergunto-me, porque os senhores fogem de discutir a implantação do Federalismo aqui no Brasil, quais são ou serão os vossos motivos? Independência, poder, fortuna? Não sei, mas arrisco-me a afirmar, que certamente não é por se orgulharem de terem nas veias como herança a valentia e coragem dos maragatos, talvez não lhes correndo nas veias a mesma flâmula, coragem, valentia, mas alguma aspiração que não é a separação em si, não é a independência, nem mesmo a honradez nos negócios públicos, pois sabem bem, e isso é público e notório, que no Paraná e da mesma forma no Rio Grande do Sul, a força dos vermelhos, dos comunistas, é grande e da mesma forma disseminaram extensa corrupção nos negócios públicos, são bem organizados e estão queira ou não, no poder político e me pergunto se não é vosso objetivo dissimulado, a separação, para em seguida tonalizarem a vossa bandeira com a foice e o martelo?

Sérgio Alves de Oliveira disse...

(errata)-Peço perdão aos leitores do Alerta Total pela grafia errada de "esquisitice",que fiquei de corrigir e acabei esquecendo.

Sérgio Alves de Oliveira disse...

À Estéfani: Vê-se que Vª.Sª tem grande potencial de inteligência.Sempre gosto das suas intervenções. Mas no caso presente, lamentavelmente caiu na mesma armadilha daqueles que culturalmente já foram contaminados pela lavagem cerebral que a grande mídia e os políticos fizeram sobre a demanda em questão.De fato os sulistas não são melhores,mais honestos,honrados e capacitados que os povos das outras regiões. Por isso penso que os mesmos argumentos usados para independenciar o Sul também servem para qualquer outra Região que tenha os requisitos necessários para tanto,queira e possa fazer o mesmo. Mas o Sul não tem o direito de opinar sobre as outras regiões.Só pode falar de si mesmo. Se VªSª me indicasse um só "político profissional" desses que andam por aí ,que apoie a causa independentista de quem quer que seja,na mesma hora mudarei a minha atitute. Ora,se a proposta não serve,à unanimidade, para "eles",é lógico que ela só pode ser boa para todos. O mundo não deve nem pode ficar estanque na sua configuração geopolítica,como fato sempre ocorreu e está ocorrendo. Pelos 516 anos de história,os brasileiros mereceriam bem mais do que têm. VªSª aguardaria mais 516 anos? Procure se inteirar melhor da proposta independentista e verá que ela tem apoio no direito internacional.nos direitos subjetivos públicos,no direito natural,e em todas as Teorias que presidem o surgimento de novos países.