segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Brasil precisa de pacto - sem estupro nem suruba


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Tecnicamente, só existe um jeito de fazer um pacto de amor de maneira equilibrada: com ambas as partes interagindo harmonicamente, cada um respeitando a vontade e o desejo do outro, de forma consciente. Se um domina o outro, temos um coito solitário. Se o ativo autoritário exagera na dose sobre o passivo, degenerando em violência, temos um estupro - que pode se transformar em abuso coletivo. Se vários participam do ato sem repressão, o caso vira uma suruba. Pior é quando a relação sai do controle, tornando-se um vício.

A relação política e econômica do Estado Brasileiro com o cidadão é mais viciada que sexo selvagem como um fim nele mesmo. As pessoas e o conjunto da sociedade não têm mecanismos de controle sobre a máquina estatal. O Brasil opera em regime de Despotismo Cínico - uma Democradura Capimunista. O excesso de regras em vigor, gerando interpretações legais conflitantes e insolúveis, causa a viciada suruba institucional. O rigor seletivo consagra a injustiça. A lentidão judiciária alimenta o sentimento de impunidade.

Sobrevivemos em guerra civil não declarada. Registra-se a média macabra de 60 mil assassinatos por ano. A explosão de violência descontrolada se agrava com os antagonismos artificialmente criados para impedir a coesão em torno de conceitos corretos e novas ideias adequadas à realidade e capazes de promover a felicidade da maioria. É por isso que, no Brasil, precisamos de um pacto urgente - firmado em torno de princípios estratégicos fundamentais com prazo definido e responsabilidade clara sobre quem vai gerenciar e executar.

A crise estrutural só se resolve mudando a estrutura. Antes, é preciso definir o que mudar, como, quando e quem fará isto, sempre indagando se aquilo realmente é aceito e será efetivamente cumprido pelos envolvidos, sem necessidade de imposições legais ou coerções autoritárias. Só é possível construir uma verdadeira Democracia com Legitimidade se soubermos conjugar e praticar os verbos Dialogar, debater, aceitar, recusar, ceder e tolerar. Ser cidadão depende de cumprir, livremente, suas Obrigações: deveres e direitos. Eis o pressuposto para a Ordem Pública democrática - a base de tudo de bom, justo e perfeito.

Sem babaquice, as coisas só mudam para melhor quando ocorrem com amor, fé e esperança. Bem cuidadas, sentindo-se fellizes consigo mesmas, as pessoas conseguem se juntar com outras para ações de bem comum, voluntárias ou profissionalmente remuneradas. Pactos sociais só são bons quando as diversas partes envolvidas se sentem satisfeitas, contempladas e felizes. Eis o único caminho politicamente civilizado - a aceitável e possível - para o Brasil. Qualquer outro é sacanagem ou golpe.

O impeachment, clamor da sociedade, tirou Dilma do poder. Mas ela ganhou sobrevida política com a casuística e inconstitucional manutenção de seus direitos políticos. Michel Temer assumiu a Presidência da República, por expectativa de poder, porém ainda sob impopularidade e ceticismo. Temer precisa ir muito além da simples melhora da economia em seus dois anos e quatro meses de mandato a cumprir. Temer tem o papel legítimo para liderar as reformas e gerar as pré-condições para mudanças estruturais efetivas. Se o Presidente não comprovar competência, agindo com legitimidade, honestidade, transparência e firmeza, aprofundará o caos gerado pelo petismo, em parceria com o PMDB e outros comparsas na ocupação (ou infestação) de poder.

O Brasil tem urgência urgentíssima por algo parecido com o Plano Real - só que na dimensão político e institucional, para viabilizar o crescimento econômico. A maioria da sociedade exige, e o governo tem de cumprir quatro missões, simultâneas e complementares, imprescindíveis para viabilizar a retomada do crescimento da economia com responsabilidade e sustentabilidade: 1) Eliminar gastos públicos inúteis ou causados por corrupção; 2) Reduzir ao máximo e simplificar a massa absurda de 92 impostos, taxas, contribuições, sem contar as multas e infindáveis instruções normativas; 3) Reduzir os juros e viabilizar novas oportunidades de crédito produtivo, principalmente fora do tradicional universo bancário; 4) Gerar poupança pública e privada para investimentos imediatos em infraestrutura - comprometidos com a geração de emprego e renda. Tudo isso depende de um livre e democrático pacto político-econômico.

Mudanças efetivas, para melhor, só acontecerão com a redefinição do modelo estatal. Não existe Estado máximo, nem Estado mínimo. O ente fictício Estado tem seu tamanho definido pelas forças legítimas da sociedade - que no Brasil têm preguiça ou incompetência para decidir o que tem de ser feito. No curto prazo, ainda temos um obstáculo cultural: a maioria dos brasileiros tem uma postura "estadodependente". Enxerga no poder estatal o "líder" que comandará as ações. O protagonismo do cidadão seria uma "inovação" no atual contexto em que, também, o mesmo Estado é visto como "espaço de vilania" ocupado pelos "vilões" políticos.

A crise brasileira é estrutural - e não conjuntural. A dimensão dessa crise estrutural, que pode desintegrar o País, exige uma inédita Intervenção Cívica Constitucional. Repactuar é preciso. Uma nova Constituição, mais enxuta e autoaplicável, sem necessidade de interpretações pela via judiciária, é imprescindível. A maioria das pessoas se mostra descontente, pois percebe que nosso Judiciário parece longe de ser sinônimo sinônimo de Justiça. Na percepção geral, as coisas têm de mudar neste sentido.

A base de qualquer mudança precisa passar pela instituição de mecanismos de controle dos cidadãos sobre a máquina estatal, instituições públicas e empreendimentos públicos, sobretudo as desejáveis parcerias públicas-privadas. Conselhos eleitos, compostos por cidadãos comuns, são a melhor solução. A redução do volume de leis, a fim de gerar segurança do Direito, é outra prioridade estratégica. A partir da daí se redefine o papel dos quatro poderes: o executivo, o legislativo, o judiciário e o militar (imprescindível para a integridade, segurança e soberania da Nação).

Só depois de feito esse mínimo dever de casa o Brasil pode partir para qualquer outra discussão mais aprofundada sobre forma e regime de governo. A República Federativa deve ser efetivamente implantada - o que nunca aconteceu desde o golpe de 15 de novembro de 1889 que derrubou o Império do Brasil. O Presidencialismo centralizador pode até ser substituído por um Parlamentarismo. A monarquia, ainda sonhada por alguns muito bem preparados intelectualmente, dependeria de uma tradição cultural que se perdeu - pois foi sabotada ou mal trabalhada no século 19.

Tudo isso vai depender que antes seja promovida uma transformação política com alguns pontos fundamentais: 1) Voto livre, secreto, não obrigatório; 2) Votação Segura (que pode ser até eletrônica) desde que permita a conferência transparente dos votos; 3) Liberdade para organização partidária, sem o soviético fundo partidário; 4) Permissão para candidaturas independentes de partidos políticos; 5) Redefinição do tamanho da máquina do legislativo, com redução de proventos pagos a deputados e vereadores; 6) Implantação do recall para que o cidadão-eleitor-contribuinte tenham poder de reivindicar o impedimento do político que descumprir a lei e os princípios éticos estabelecidos.

As mudanças efetivas só vão acontecer se houver pré-condições objetivas. Primeiro, não se pode ter medo nem preconceito com as mudanças. Segundo, a maioria das pessoas precisa firmar convicção e decidir o que efetivamente tem de ser mudado, de acordo com um planejamento estratégico transparente. Em seguida, é preciso que a firme vontade das pessoas exerva uma pressão legítima pelas pelas mudanças. A falha estrutural irreversível no Brasil já é a uma outra condição existente para que muita coisa mude de verdade. Do jeito que as coisas andam, se não mudar por bem, mudará por mal...

O brasileiro tem o dever de entender que nosso País tem uma função estratégica para o equilíbrio econômico mundial. Por isso, precisamos das transformações políticas (definindo o que fazer) e estratégicas (como fazer). Isto depende de um exaustivo debate livre. Ainda temos tempo de optar pela coisa certa para não terminar refém da barbárie institucional. Temos de acabar com a hegemonia do desgoverno do crime organizado que corrompe ou neutraliza os quatro poderes, uns mais, outros menos.

Mudar é imprescindível. Foco nas soluções, e não nos problemas. O Brasil precisa de um grande pacto de amor patríótico, sem estupro nem suruba. Patriotismo é a consciência do amor à Pátria (Povo + Território) para formar uma Nação de verdade - e não uma colcha de retalhos. Cidadãos de bem exigem mudanças para melhor. Os aliados do mal querem deixar tudo como sempre esteve.

Covardes, "ide fuder-vos!" - como bem diria o imortal Napolão Santos Brasil - contínuo de Carlos Lacerda na Tribuna da Imprensa e provável pai verdadeiro do Negão da Chatuba (já que o legítimo pai adotivo é o Apolinho Washington Rodrigues).

Vamos firmar e cumprir o Pacto pelo Brasil. O País tem de ser reinventado. Que vençam os que lutam pelas mudanças, com soluções, às vezes, disruptivas, inovadoras!

Temeridade na cabeça
      

Releia o artigo de domingo: Quem tem Cunha tem medo?

Releia o artigo de sábado: A obrigação suprema de inabilitar a Dilma impichada


Conspiração de ambulatório

Opositores já questionam por que Luiz Inácio Lula da Silva resolveu antecipar o check-up médico que faz periodicamente.

Dessa vez, houve uma "coincidência" de também estar se tratando, no Hospital Sírio-Libanês, o pecuarista José Carlos Bumlai.

Lula teria muito a conversar e articular com o amigo que já está na perigosa UTI da Lava Jato, perto de um tratamento de choque na base da "colaboração premiada"...

País endiabrado


Os diabólicos adicalóides da Petelândia estão cometendo crimes: todos os dias, promovem arruaças e depredações do patrimônio público e privado, sob a desculpa de protestar contra Michel Temer.

Assim, eles transformam a política em caso de polícia, no ensaio prático para movimentos revolucionários sem condição de darem certo no Brasil.

Se a vida não é bela, viva a Marcela...


Inveja da nova santa


Pizzas fatiadas para todos


Fiscal da Natureza


Tem malvado pedindo para Dilma dar suas pedaladas na Ciclovia Tim Maia, principalmente nos dias de muito vento e ressaca...

Insistindo na fatiagem


Cachorrada chinesa


Colabore com o Alerta Total

Os leitores, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente com o Alerta Total poderão fazê-lo de várias formas, com qualquer quantia, e com uma periodicidade compatível com suas possibilidades.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil.
Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

II) Depósito em Conta Poupança da Caixa Econômica Federal ou em agências lotéricas: 2995 013 00008261-7, em favor de Jorge Serrão.

OBS) Valores até R$ 9.999,00 não precisam identificar quem faz o depósito; R$ 10 mil ou mais, sim.

III) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

IV) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!


O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 5 de Setembro de 2016.

9 comentários:

Anônimo disse...

EM SÃO PAULO MILHARES DE USUARIOS DE DROGAS FORMARAM A CRACOLANDIA VERDADEIRA FEIRA LIVRE PARA VENDAS DE TODOS OS TIPOS DE DROGAS,POR ORDEM DO JUDICIARIO OS POLICIAIS SÃO PROIBIDOS DE REALIZAREM OPERAÇÕES PARA COMBATER A TOMADA DESSAS RUAS, O ESTOURO DE CAIXAS ELETRONICOS E O ROUBO EM EMPRESAS DE SEGURANÇA TAMBÉM NÃO É COMBATIDO, EM TODOS OS MUNICIPIOS DOS ESTADOS A HISTÓRIA É A MESMA, NARCOTRAFICO, JOGOS ILEGAIS, CONTRABANDO,SABOTAGENS, SONEGAÇÃO E CORRUPÇÃO TUDO COMANDADO POR ESSA MÁFIA...

Anônimo disse...

Desculpe mas com o nível do eleitor brasileiro a não obrigatoriedade de votar perpetuará a esquerda no poder do Brasil. O povo, ignorante, sempre foi massa de manobra dos espertos.

Anônimo disse...

Chico Trevas

Serrão fazia tempo que não vinha aqui, mas esta em curso o mairo golpe contra o povo brasileiro, depois de desviarem mais de um trilhão.
Acabar com auxilio doença e aposentadoria 65 anos, no brasil fez 40 anos praticamente começa sofrer no mercado de trabalho
pagamos ano passado 962 Bilhoes de uma divida que ja foi paga a amuito tempo
lamentavel povo gado povo infeliz
http://www.auditoriacidada.org.br/

Loumari disse...

Profecías Septiembre 1 2016 Mensaje Virgen Maria

https://youtu.be/mvaRk0wzDGM

Loumari disse...

MENSAJE DE MARÍA: "EL TRIUNFO DE MI CORAZÓN ESTÁ PRÓXIMO" (español/portugués)

https://youtu.be/64RdF2dbTTg

Mensaje diario recibido el 25 de junio de 2016, en la ciudad de San Esteve - Montserrat, Barcelona, España, transmitido por María, Rosa de la Paz, al vidente Fray Elías del Sagrado Corazón.

Mensaje contenido en la Aparición de María - 25/06/2016 - Centro Mariano de Aurora - Paysandú, Uruguay.

cjano disse...

Grande Jorge,

Mais um excelente texto seu esse de hoje (5/9/16) no Alerta Total. A essência está nas duas frases:

A crise brasileira é estrutural - e não conjuntural.
A crise estrutural só se resolve mudando a estrutura.

Como a crise estrutural está fundada num sistema pouco republicano e pouco representativo (vide Jurunas, Tiriricas e Romários que carregam outras figuras inexpressivas via voto de legenda) é hora de darmos ênfase AGORA ao debate de implantar importantes mudanças no caquético sistema de REPRESENTATIVIDADE POLÍTICA.

A mudança da crônica crise de representatividade (expressa no dito popular: “nenhum político presta”) depende da implantação de pelo menos duas ferramentas políticas utilizadas na grande maioria das nações bem desenvolvidas: PARLAMENTARISMO e VOTO DISTRITAL.

Embora essas modificações não sejam de implantação de curto prazo, está mais do que na hora de serem temas de intensos debates - e sugiro que o Alerta Total seja um dos veículos a trazer esses temas IMEDIATAMENTE para o primeiro plano.

Acho que o crescente (felizmente) clamor por mudanças está excessivamente centrado na esfera econômica (exemplo: rombo na previdência) e QUASE NADA NAS REFORMAS POLÍTICAS.

É hora de apostarmos em que o período Temer seja algo como a transição do Itamar, a qual permitiu a implantação do PLANO REAL.

Vamos AGORA para o “PLANO POLÍTICO” para que os brasileiros comecem a se sentir (como de direito são) donos do país.

Anônimo disse...

A cara patética da senadora Gleisi Hoffmam, ao se referir que as pessoas que foram a movimentos nas avenidas famosas do Rio são de uma classe social abastada. Até isso ela esquece a que classe pertence e ainda se auto-intitula sem moral. Foi uma declaração ou uma confissão? Dilma, Lula e outros dirigentes petistas serem pobres ou classe media, deve ser a piada do ano.

Loumari disse...

CENTRO MARIANO DE FIGUEIRA - Minas Gerais, Brasil (audiovisual em português)

https://youtu.be/8txtr9mnd_E

Anônimo disse...

Exorcista Padre Gabriele faz revelações surpreendentes - Blog do Angueth - http://angueth.blogspot.com.br/2015/05-padre-gabriele-nos-ensina-sobre-fatima.html