segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Frase inusitada


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Laercio Laurelli

Li uma noticia que o desatento Ministro Dias Toffoli, da mesma maneira que faz seu “chefe”, deslustra o Poder Judiciário em comentário, por ocasião de uma palestra; disse que a justiça corre o risco de cometer o mesmo erro que os militares cometeram em 1964, se a politica for criminalizada e o Judiciário “exagerar no ativismo; Lembrei-me então, a respeito dos comandos mentais e o reflexo do hábito no sentido holístico, tendência da natureza de usar a evolução criativa para formar um “todo” que é maior do que a soma das suas partes”.

Primeiro, o Judiciário deve ser provocado para julgar um fato e, quem exerce o poder de fiscalização da lei é o Ministério Público, inclusive promovendo a ação penal pública, na forma da lei que é fabricada pelo legislativo.

Ademais, o conceito de Ativismo Judicial, que o ministro afirmou, tem a ver com a revolução proletária, limitada a projetar uma sociedade perfeita com fundamento no socialismo científico de Karl Marx e Engels que se posicionaram em criticar as leis objetivas que permitiriam sua superação.

Portanto, nada tem a ver com a manifestação da evolução do Poder Judiciário, que não armazena nenhuma causa de ofensa à sociedade, ao contrário, ativa a percepção de que todos os direitos dos meios processuais fortaleçam a efetivação do acesso à justiça.

Esse novo modo de dizer o direito pelo Poder Judiciário,estabelecendo e determinando a execução da lei, garantindo, esclarecendo, gerenciando e ordenando o cumprimento de políticas públicas, a fim de resolver problemas da realidade imediata, somente refletem benefício do povo carente quanto ao acesso principalmente, à saúde pública.

E qual o erro que os militares cometeram na visão obliqua do Ministro? Ah...sim, tentaram expurgar e defender a sociedade de seus amigos comunistas? É óbvio... Agora entendi sua FRASE INUSITADA. Faz proselitismo em favor de seu patrão, de seu mestre e cultiva ainda o mais vivo respeito ao “chefão da maior corrupção instalada neste país” e, está preocupado com seu futuro, como um fiel discípulo que é?

Pois bem, saiba que desta vez não vai haver decisões espúrias por parte de magistrados infiltrados que compactuam com o poder oculto.

Fique o senhor sabendo, que a denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal, em face do Lula da Silva, é uma peça acusatória da melhor qualidade, e da mais forte eficiência que ficará nos anais da história da justiça brasileira.

Senhor Toffoli, eram todos um só, há quinze bilhões de anos aproximadamente e, os comunistas, hoje continuam um só....

O big-bang sinalizava, em algum tempo no passado que o Universo estava quente e denso, e hoje perpetuado nos princípios repetitivos, embora imaginário,digo que a essência da temperatura, predomina na repetição do todo.

Deu para entender?

Pensem nisto!


Laercio Laurelli – Desembargador aposentado do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo ( art. 59 do RITJESP) – Professor de Direito Penal e Processo Penal – Jurista – Articulista – Idealizador, diretor e apresentador do programa de T.V. “Direito e Justiça em Foco” Patriota.

4 comentários:

Anônimo disse...

O judiciário é responsável por todo tipo de agressão, transtorno e prejuízos a sociedade, também é o responsável por todo tipo de crimes praticado pois quando os Deuses não são os mandantes protegem os bandidos, contrabando, jogos ilegais, narcotráfico, sonegação e sabotagem sempre um membro ou um comparsa do judiciário por de trás dessas pragas...

Anônimo disse...

Sr. Desembargador Laércio Laurelli. Leio e divugo seus artigos. Quero parabenizá-lo pela sua dedicação ao trabalho de esclarecer os brasileiros com o seu conhecimento jurídico. Deus o proteja.

Anônimo disse...

Sr. Desembargador Laércio Laurelli. Leio e divugo seus artigos. Quero parabenizá-lo pela sua dedicação ao trabalho de esclarecer os brasileiros com o seu conhecimento jurídico. Deus o proteja.

ALVARO disse...

ELE FEZ ADVOCACIA MAS NUNCA FOI RECONHECIDO PELA ABO, SEmPRE FOI UM ENCOSTADO METIDO A BOM, Mas não vale nada está mais que provado.