domingo, 18 de setembro de 2016

Ilusão de Virtude


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Renato Sant'Ana

A propaganda de Maurício Dzikedricki (PTB), candidato a prefeito de Porto Alegre, diz uma porção de coisas que ele poderia ser, pretendendo mostrar que, no fim, ele é todas elas e muito mais. O texto inclui esta pérola: "Poderia ser de esquerda, porque se preocupa com quem mais necessita." Dizendo noutras palavras: "Ele se preocupa com quem mais necessita; logo, é de esquerda."Como única conclusão possível. Mas desde quando é só os esquerdistas que têm preocupação "com quem mais necessita"?

O marqueteiro da campanha dirá que apresento a frase fora de seu contexto, no que terá razão. Compreendo que o propósito é tornar o candidato aceito pela direita e pela esquerda. Também admito que não tenha havido a intenção de disseminar obscurantismo. Tudo bem. Mas, como diz o vulgo, de boas intenções o inferno está cheio.

Fato é que, com malícia ou não, a propaganda de Maurício Dzikedricki reproduz e, sobretudo, reforça a crença segundo a qual zelar pelos mais pobres é uma exclusividade da esquerda. E, de quebra, leva a outra crença, igualmente falsa: quem é de direita desconsidera os pobres. Tudo bobagem! Preconceitos que não resistem a um exame racional.

Em se tratando de preocupação "com quem mais necessita", será possível reduzir a pobreza sem praticar uma "economia sustentável"? Dá para distribuir sem produzir? Pois essas são questões que interessam à direita e são desprezadas pela banda raivosa da esquerda.

A máscara já caiu. Não dá para ocultar uma porção de crimes apurados pela Polícia Federal e pelo Ministério público: foram esquerdistas confessionais que deram calote em fundos de pensão e tomaram dinheiro de aposentados (lesando gente da classe trabalhadora, frise-se), que engendraram o petrolão e o mensalão, que meteram a mão no BNDES e que aparelharam todas as estatais. (Tudo indica, aliás, que haverá novidades nos próximos dias.) Em suma, não dá para esconder que foi a esquerda que afundou o Brasil na terrível recessão em que nos encontramos.

Contudo, apesar de todas as evidências, a falsa ideia veiculada na propaganda de Dzikedricki segue sendo uma crença entranhada no imaginário de muita gente, fruto de longas décadas - talvez século - de uma espécie de evangelização sem Deus. O assombroso é que, de um tempo para cá, Essa tarefa de manipulação das massas, que sempre foi obra de militantes, agora conte com o profissionalismo de marqueteiros - que vendem refrigerante e ideologia com a mesma eficácia.


Renato Sant'Ana é Psicólogo e Bacharel em Direito.

Nenhum comentário: