domingo, 18 de setembro de 2016

Mudar de Ideia


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Mudar de idéia é privilégio das mulheres e dos homens inteligentes.

No caso feminino, temos abundantes exemplos todos os dias.

Recentemente, uma princesa postou nas redes sociais:

“Quero alguém que me entenda e depois me explique!”

Entre os homens, o brilhante professor italiano Cesare Vivante, retratou-se de sua opinião anterior, a respeito da unificação dos direitos Civil e Comercial. Vejamos a lição abaixo:

“Professor da Universidade de Roma, foi sem dúvida o maior comercialista dos tempos modernos sendo considerado o renovador do direito comercial italiano antes da reforma legislativa de 1942. No fim do século XIX, ao proferir a conferência inaugural dos cursos da Universidade de Bolonha, escandalizou os meios jurídicos da Europa com um frontal ataque à divisão do direito privado, condenando a autonomia do direito comercial. [...] Algum tempo mais tarde Vivante aceitou a incumbência de elaborar o anteprojeto de reforma do Código Comercial italiano de que resultou o famoso Progetto Preliminare. Em contato profundo com a elaboração positiva do direito comercial, Vivante teve o altaneiro espírito de se retratar, confessando o erro doutrinário que cometera na aula de Bolonha”.

Ninguém é obrigado a permanecer no erro, por burrice ou vaidade.

O erro é emendável; recusar-se a reconhece-lo leva inexoravelmente à perdição.

Há três tipos de raciocínio:

O aristotélico, o feminino e o lusitano. Cada qual com sua lógica própria.

Quem ousa estudá-los, dá-se conta de sua incompatibilidade.

Nós, brasileiros, quase todos descendemos do nobre e obstinado povo português.

Padecemos nas mãos da mulheres: jugo só eliminado com a idade.

Nos proteja Minerva, que por mulher e grega, está acima de nossas misérias.

Mas se Minerva não resolver, não me enerva:

Jamais arranje uma amante argentina...

Não dá para sustentá-la nem com toda grana da República da Propina...


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Nenhum comentário: