quarta-feira, 28 de setembro de 2016

O Fim do Fim do Fim


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Laercio Laurelli

Esta é a sensação que se tem – fim do Fim do Fim! É o Brasil que vemos e sentimos hoje. A desesperança em todos os seguimentos. O povo sendo roubado pelos maus empresários e dominado pelos poderosos, incluindo-se as instituições governamentais, que nada fazem para coibir os sistemáticos abusos.

Os devaneios que deram relevo arquitetônico dentro da figura urbanística, a característica da soberania da nação, Brasília hoje se ressente da ressumação idealista de outros tantos que sonharam e fincados nos reflexos dos anseios de Montesquieu e Rousseau, dadas as profecias de otimismo nos destinos sociais, firmados na democracia e pela liberdade máxima da constituição do Poder.

Esses que prepararam a revolução Francesa e, para prosseguir nesta tônica da realidade, me aprumo na narração magistral de Paulo Bonavides, ao estruturar os lineamentos da  Democracia e da liberdade , que o fez, na imagem de Montesquieu e Rousseau.

A sobriedade do primeiro; aristocrata, defensor do poder parlamentar, apóstolo da ideia representativa, aquilatador das instituições politicas, filósofo da observação, patrono ardente de um conceito de liberdade, que é a espinha dorsal do liberalismo e, do outro lado, o fanatismo de Rousseau, um sonho quase romântico de uma sociedade “IGUALITÁRIA”, fim do homem acorrentado aos ferros da opressão, foi autor perseguido, mas independente, o pensador proibido, em suma, o paladino das liberdades proscritas, gênio às fidelidades aos pequenos e o amor aos oprimidos; contribuíram para a expurgação dos aproveitadores à época.

Passado esse momento histórico, no período pós-guerra (1.945), pelas mãos do General Charles André Joseph Marie de Gaulle que foi um general, político e estadista francês no intuito de buscar a paz e a soberania da nação, expurgou os comunistas que se vestiam com roupagem estratégica pelo codinome de Nazistas. Sim os nazistas eram sim, os mais ferozes comunistas.

Nós brasileiros temos que encontrar a solução urgente, para dar um basta neste programa instaurado sob os aplausos das incompreensões que molestam o povo, o desprezo dos ricos que ficam mais ricos roubando o povo brasileiro, somado a maledicência dos poderosos que subjugam a sociedade sob a projeção de regras, fabricando leis desprimoradas à nossa tradição jurídica e até mesmo a dignidade e moral nacional.

Necessitamos de um brasileiro tipo General De Gaulle, que tenha como assessores imediatos dois tipos de brasileiros como Montesquieu e Rousseau e,  que se vistam pela sacralidade de catedrais visíveis, no encanto melódico da democracia, e acabem de vez com a irradiação afanosa dos políticos desajustados que comandam a nação. É, portanto, no sentido de se levar a termo com fé e determinação esta sublimação com jactância e impavidez dos que sabem vencer, guiados pela iluminura do valor da Pátria.  Pensem nisto! 
 
Laercio Laurelli – Desembargador aposentado do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo ( art. 59 do RITJESP) – Professor de Direito Penal e Processo Penal – Jurista – Articulista – Idealizador, diretor e apresentador do programa de T.V. “Direito e Justiça em Foco” Patriota.

Um comentário:

Anônimo disse...

Nossa que 171 fraquinho que você tem. SEJA MACHO E ABRA SEU BICO DENUNCIE A MAFIA... Se lutar contra os salários e privilégios milionários que vocês recebem é ser comunista então que sejamos todos comunistas e não ladrões que sabotam e saqueiam tudo por aqui, o único poder perpétuo e criminoso que eu vejo por aqui é o judiciário...