domingo, 20 de novembro de 2016

Apreciação sobre a ocupação patriótica da Câmara dos Deputados


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Chagas

Caros amigos: Durante a vida, tenho adotado três atitudes principais como premissas de comportamento: não trair minhas convicções, não me omitir diante do que devo opinar e não ter vergonha de admitir meus erros.

Assim, acompanhei pelas mídias sociais a convocação e as atividades do grupo de patriotas que advogam pela intervenção militar como solução para os problemas de toda ordem que estamos a enfrentar no Brasil e tomei conhecimento, através da televisão e do rádio, da sua tumultuada ocupação do Plenário da Câmara dos Deputados.

Aprendi, por força da profissão, a avaliar com cautela os resultados das operações – o que os militares chamam de APA, Análise Pós Ação – e tirar delas os ensinamentos necessários à evolução pessoal e profissional.

É o que faço, iniciando por dizer que não são poucos os civis que se referem positivamente ao período do regime sob mando de militares, particularmente aqueles que o viveram honestamente e que podem compará-lo com o que vivemos hoje. Sinto-me, como Soldado, sempre lisonjeado quando alguém me diz que aqueles tempos deveriam voltar. É o reconhecimento de uma atitude desassombrada da geração do meu pai, herdada pelas que a sucederam com o compromisso revolucionário de não permitir que o Brasil deixasse de ser uma democracia.

A Revolução de 1964 foi desencadeada de forma espontânea, dispersa e sem planejamento estratégico militar. Logrou êxito em virtude do prestígio e da competência das lideranças revolucionárias, das convicções anticomunistas das Forças Armadas e da vontade do conjunto da sociedade brasileira. Do fato em si e da luta armada que o seguiu, promovida pelos que viram frustrados os seus objetivos liberticidas, as FFAA tiraram lições táticas e estratégicas, consolidaram seu comprometimento com a democracia e compreenderam que, para assegurá-la, seria preciso acompanhar de perto a conjuntura política, traçar planos de emprego e estar preparadas para executá-los na condição de último recurso da Pátria, para que a sua ação não seja, outra vez, confundida com quartelada ou golpe militar.

Pedir uma intervenção das FFAA, neste momento, é um direito de todos os patriotas que perderam a confiança nas instituições republicanas e no poder da vontade popular, mas, ao mesmo tempo, é uma demonstração de descrédito no discernimento, no conhecimento, na sensibilidade e no sentido de oportunidade daqueles a quem chamam para assumir o poder.

Durante a ocupação do Plenário, foi aclamado o Juiz Sérgio Moro, admirável sustentáculo do direito, da justiça e da moralidade, será que ele estaria abdicando do exercício exemplar e corajoso da magistratura para apoiar a via intervencionista militar como forma de por na cadeia tipos como os que, no dia seguinte à manifestação, foram hospedados em Bangu-8? Não creio.

Quanto à pauta reivindicatória do grupo, excetuando a convocação militar, é importante dizer que coincide com a dos demais patriotas brasileiros que se empenham em outras vias para implementá-la. E aqui, abro mão, oportuna e  momentaneamente, da reciprocidade que me imponho de ignorar o Professor Olavo de Carvalho, para citá-lo quando diz que “a esperança de resolver tudo de repente por um golpe espetacular é sinal de fraqueza”, e que, “sem um longo ‘trabalho de base’, como o chamam os comunistas [em todos os lugares em que eles estão infiltrados], nem as Forças Armadas em peso podem levar [em definitivo] este país a dias melhores”.

Outro aspecto a ser considerado nesta APA é que a tática de ocupação em massa utilizada pelo grupo patriótico foi a mesma usada pelo MST e congêneres  para invadir prédios públicos, aí incluído o próprio Congresso Nacional, como aconteceu em 2006, sob a liderança do comunista Bruno Maranhão, o que, a partir de agora, salvo outro juízo, torna incoerente a condenação de atos semelhantes quando praticados pelas forças da anarquia.

Finalizo esta breve apreciação pessoal afirmando que, como militar, sinto-me prestigiado com a convocação do grupo de patriotas que ousou ocupar o Plenário da Câmara para fazê-lo. Como disse em outros textos, não julgo ser errado incluir a intervenção militar no rol dos recursos disponíveis para a reversão do caos político, econômico, social e moral que se alastrou pelo Brasil. Por outro lado, considero grave equívoco precipitar o emprego do último e definitivo recurso da Nação.

Empregar as FFAA enquanto estamos progredindo bem com outras peças de manobra é, de fato, um grande equívoco, assim como também é por em dúvida o seu comprometimento constitucional, a sua subordinação ao interesse da Pátria e a sua competência para acompanhar e interpretar a conjuntura, imaginando-as incapazes de, por si próprias, conhecer o momento oportuno para agir e prevenir danos maiores à democracia.

Seja como for, é sempre gratificante para os Marinheiros, Soldados e Aviadores saber que continuam a deter os mais altos índices de confiança da maioria do povo a que servem.


Paulo Chagas é General de Brigada, na reserva.

8 comentários:

Anônimo disse...

EU VIVI ESTE TEMPO ERA FELIZ E NAO SABIA. E REAL QUE AS FORÇAS ARMADAS NAO TEM INTERESSE EM ADMINISTRAR O PAIS. ELES GOSTAM DO QUE FAZEM QUE E CUMPRIR SEU PAPEL DE SEREM OS DETENTORES DA LIBERDADE DO PAIS, CUMPRINDO OS DESIGNIOS DE SEGUIDORES DE CAXIAS. NO ENTANTO O QUE TEMOS NO MOMENTO ESTA SE AFUNILANDO DE UMA MANEIRA GROTESCA ATE CHEGAR A UM PONTO QUE VAI EXPLODIR. O QUE ESTAMOS VENDO E TODOS CONTRA TODOS. UMA FALTA DE PRINCIPIOS, UMA FALTA DE EDUCAÇAO, UMA FALTA DE CIVILIDADE. O QUE VEMOS E NOSSO PAIS DIVIDIDO EM FACÇOES. E CLARO QUE NOSSO PAIS TEM VARIOS INTERESSES. DESCULPE O TERMO CHULO. TEMOS QUE CONVIVER COM PESSOAS QUE NAO SABEM O SEXO QUE NASCERAM, QUE COR NASCERAM, QUE RELIGIAO NASCERAM, QUE FAMILIA NASCERAM. PARA UM CIDADAO COMO O QUE ELE DESEJA REALMENTE. FAZER PLANOS NA SUA VIDA.TRABALHAR, VIVER, PAGAR SUAS CONTAS, TER DIREITO DE ABRIR SEU PROPRIO NEGOCIO, TER DIREITO DE EDUCAR SEUS FILHOS. NAO PODEMOS TER PARTIDINHOS SEQUELAS DO PT QUE SE DISSEMINARAM NA POLITICA NACIONAL FAZENDO DISTINÇAO ENTRE PESSOAS. A NOS NAO INTERESSA A OPÇAO SEXUAL DA PESSOA, SE E PRETO OU BRANCO, SE E CATOLICO OU MACUMBEIRO. SEMPRE VIVEMOS COM AS PESSOAS QUE DECIDIRAM ESCOLHER OUTRO CAMINHO. AGORA QUERER CRIMINALIZAR UM CIDADAO QUE FEZ SUAS ESCOLHAS NA DIREÇAO DA MAIORIA, QUERER CRIMINALIZAR O CIDADAO PORQUE NAO ADOTA O CRIME DO COMUNISMO IMPLANTADO DE NOSSA PATRIA ISTO E SOFISMA, E CONVERSA FIADA PARA BOI DORMIR. E CONVERSA DE SUBDESENVOLVIDO, SEM QI, SEM CACIFE INTELECTUAL QUE QUER FORÇAR A MARIORIA A PENSAR COMO A MINORIA PENSA. PIOR DO QUE ISSO ENSINAR NAS ESCOLAS COISAS QUE NAO SAO IMPORTANTES PARA CRIANÇAS, JOVENS E ADOLESCENTES. OS CULPADOS DISSO E A MERDIA MEDIOCRE DO PAIS QUE E O 24 MINISTERIO. COM TODAS AS ISENÇOES QUE TEEM COM TODOS OS BENEFICIOS QUE TEEM COM O MINISTERIO DE DESEDUCAÇAO QUE ESTAO BANCANDO PARA JOVENS, CRIANÇAS E ADULTOS NOS MOSTRANDO PROGRAMAS QUE NAO TEM INTERESSE CULTURA PARA NINGUEM. ESSA E A PÓLITICA PORCA BRASILEIRA QUE NOS BOTOU COMO C...............U DO MUNDO COM OS PSEUDO INTELECTUAIS DE MERDA QUE O QI FICOU NO SECULO PASSADO. SE QUEREM CONTINUAR CONVERSANDO COM GENTE DE QI ZERO QUE SAO OS RESPONSAVEIS PELA NOSSA DISGRAÇA. SE QUEREM CONTINUAR DIALOGANDO COM QUEM NAO DIALOGA CONTINUE NESTE PROCESSO DE TORRE DE BABEL. PRECISAMOS DE UMA INTERVENÇAO CIVILIZATORIA, NOSSA SITUAÇAO NAO ADMITE MAIS ERROS E MUITO MENOS DEIXAR A MAFIA TOMANDO CONTA DE NOSSO FUTURO QUE JA ESTA DESTRUIDO NOS PROXIMOS TRINTA ANOS. PRECISAMOS SIM DAS FFAA ISSO ELES MORREM DE MEDO PORQUE NAO GOSTAM DE REGRAS, DE JUSTIÇA, NAO GOSTAM DE OBEDECER LEIS. EU VIVENCIEI E EU SEI ELES SO FALAM NAO ESCUTAM NUNCA NUNQUINHA. AS FORÇAS ARMADAS E PARA RECICLAR E CRIAR UMA FORMA NOVA JUNTO COM JURISTAS QUE TENHAM QI, QUE TENHAM RESPONSABILIDADE COM A NAÇAO, QUE SEJAM HONESTOS E PRINCIPALMENTE QUE AMEM O PAIS. ONTEM FOI DIA DE NOSSA BANDEIRA QUE NAO PASSA DE PANO DE CHAO PARA OS VAGABUNDOS DOS TRES PODERES. SE ISTO E O QUE ELES TEM PARA OFERECER PODEM TODOS IR PARA PQP.AGORA QUEREM CALAR O EXCELENTE JUIZ MORO QUE CRIOU OUTROS JUIZES MOROS EM OUTROS ESTADOS. A BANALISAÇAO DO CRIME NOS TROUXE ATE AQUI. SE FIZER UM LEVANTAMENTO COM AS FFAA O CONJUNTO DA OBRA E MILHOES DE VEZES MAIOR DO QUE A MAQUIAGEM QUE A VAGABUNDAGEM VERMELHA VEM MOSTRANDO.

Sergio Soares disse...

Precisamos muito menos de pessoas como Paulo |Chagas e seus congêneres e de mais Olympio Mourão, Antônio Mourão e semelhantes.Leia a coluna de Paulo Chagas para conhecer pessoas acomodadas que não cumpriram o seu papel.Eduardo Villas Bôas é dessa escola como o próprio Olavo de Carvlho expôs muito bem.

Sergio Soares disse...

Li o comentário de Antônio José Ribas Paiva após ter lido este,e mais uma vez assino embaixo do que escreveu com 100% de concordância; em oposição ao que o general da reserva escreveu.

Anônimo disse...

Resumo da ópera... Data vênia general mijou pra trás

Anônimo disse...

General Paulo Chagas,
Em que pese todas as mazelas que nossa sociedade sofre, principalmente com políticos corruptos que temos, não acho que invadir o plenário seja uma medida decente de pessoas que justamente pregam ordem e moralidade. Infelizmente, erraram feio e devem ser enquadradas nos devidos ditames da lei.

Anônimo disse...

De conversa fiada estou cheio...
Tentar impedir que alguém lhe enterre uma estaca no coração, nada mais é que, auto
defesa.
Nenhum dos reclamantes lá estavam com intenções sorrateiras ou ilícitas, ao contrario dos parlamentares que lá se reunião com o firme propósito de dar mais uma rasteira na justiça.
Esse é o fato. E que embromadores não põem as claras por interesses não muito justificáveis.
Portanto se não tiveres a verdade para contar, seja você um general ou um peão de obra, cala-te!

Anônimo disse...

Tutankamom

Dentro do que o General escreveu e vendo os patriotas que foram para a linha de frente, sabemos agora de que lado está as FFAA´s. Enquanto isso,em que conta devemos colocar os cidadãos e militares mortos por bandidos de Brasília e das facções?

Estéfani JOSÉ Agoston disse...

GENERAIS DE MOLTA PAROLA

GENERAL AFIRMA QUE O PT NÃO É RESPONSÁVEL PELA CRISE ÉTICA NO BRASIL.

Nota: depois dessa piada, dá para confiar na seriedade do general?
"O general Villas Bôas reconheceu que “há uma crise ética no País” embora ressalve que a chegada do PT ao poder “não tem responsabilidade nisso”


BRASÍLIA – Dois dias depois de se ver obrigado a demitir o Comandante Militar do Sul, general quatro estrelas Antonio Hamilton Martins Mourão, e transferi-lo para a Secretaria de Economia e Finanças do Exército, em Brasília, por conta de declarações de cunho político nas quais pregou o “despertar de uma luta patriótica” e disse também que "a vantagem da mudança (da presidente da República) seria o descarte da incompetência, má gestão e corrupção", o Comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, concedeu entrevista ao Estado na qual avisou que quem fala pela Força é ele. Mas defendeu que “militar pode falar” e “tem de falar”, ressalvando, no entanto que “cada um na sua esfera de atribuição”. O general advertiu que “em questões institucionais, quem se manifesta é o comandante”.

O general Villas Bôas reconheceu que “há uma crise ética no País” embora ressalve que a chegada do PT ao poder “não tem responsabilidade nisso”. Disse também que “a corrupção está instalada no Brasil”, mas ressaltou que todas as instituições estão em pleno funcionamento e que “não há chance” de intervenção politica dos militares.......LEIA MAIS.......
http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,ha-uma-crise-etica--mas-instituicoes-cumprem-seu-papel,1789701