quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Decadência cultural paulistana


“País Canalha é o que não paga precatórios”.

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Vamos falar apenas dos Jardins, onde vivem pessoas de alta renda.

Nos últimos vinte anos fecharam, que eu me lembre, as seguintes livrarias:

Antes do Baile Verde, na Al. Gabriel Monteiro da Silva;
Bux, na Av. Brig. Faria Lima;
Verso e Prosa, idem (Cal Center);
Boavista, ibidem;
Avant Garde (Shopping Iguatemi);
Saraiva (Shopping Iguatemi);
Nobel, na rua João Cachoeira;
Atlas, na rua Pedroso Alvarenga;
Uma da qual não sei o nome, na esquina das ruas Mario Ferraz e Tucumã;
Gaudi, na rua Augusta;
LetraViva na Av Rebouças;

Mas nem tudo está perdido; reabriu na rua Barão de Capanema a livraria Freebook. Mesmo quando esteve na rua da Consolação (perto do cemitério) em lugar de difícil acesso e estacionamento, foi considerada uma das mais importantes do mundo, segundo o livro “Book Shops, long-established and the most fashionable” ISBN 978-3-03768-122-0, pgs..92 a 95.

Vale repetir a anedota aqui já publicada.

Um senhor de quase oitenta anos, um “gentleman”, disse ao sobrinho de cinquenta:

-“Fulano, vou te dar um livro de presente de Natal!”

--”Obrigado, tio, mas já tenho um !!!”


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

2 comentários:

Anônimo disse...

A crise está tão brava, que nem loja de sexshop está conseguindo sobreviver. Tá f...feia a situação.Na minha cidade, nos shoppings tem mais loja fechada do que aberta, inclusive lojas âncoras estão fechando unidades.Os novos empreendimentos, já iniciados, estão parados. E o governo Temer, ainda não começou. Só lero-lero.

Anônimo disse...

O tocador de realejo, o fazedor de rosca nos canos de ferro, as cartas, telefones públicos, a carrocinha que apanhavam os vira latas, as bandinhas dos coretos do jardins e um montão de porcarias que ficaram no passado também fecharam, mais foram substituídas pelas futuristas invenções... Hoje procure na internet que qualquer livro vem de graça, então leia, copie, armazene e procure outra profissão pois os poetas e escritores que não se atualizarem não passarão de passado e serão esquecidos... Quanta saudades sinto da nossa casinha pertinho da pracinha da matriz lá do lugar inda criança eu vibrava de alegria ouvindo a melodia dos sinos a tocar, então quantas saudades...