sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Guerra Híbrida


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos I. S. Azambuja

Os leitores de DefesaNet já conhecem o termo Guerra Híbrida. O confronto dos homens, a que chamamos Guerra, como é feita ao longo dos Séculos, só que com todos os truques e artimanhas aprendidos pelos homens ao longo dos tempos.

O momento político brasileiro está próximo ao de uma “Política Híbrida”, pois temos tudo que caracteriza o termo: guerra informacional, atos de terrorismo, emprego da criminalidade e o uso de forças convencionais.
Alguns dos atores desta Política Híbrida, não são mais que criminosos comuns, agindo com fins não só políticos, mas criminais como tentativas de ataques ao Real. Estes conduzidos por blogs controlados por agentes financeiros.

Passando a identificação dos itens que caracterizam a Política Híbrida, temos:

- A entrevista, não concedida, pelo Comandante do Exército Brasileiro Gen Ex Eduardo Villas Bôas, publicada em OESP, por uma jornalista “jobinete”, em uma pauta com claro intuito de criar uma cisão entre a Força e grandes grupos incluindo a reserva e os “intervencionistas”;(Link)

- Fato este tornado possível pela incompetente assessoria do Gen Ex Villas Boas, imposta por um familiar.

- Por falar no próprio Jobim, hoje está voltado às atividades espirituais psicografando as instruções de Márcio Thomas Bastos, para salvar as empreiteiras e o Partido dos Trabalhadores     

- A Guerrilha Urbana, que aconteceu, em Brasília DF (13 DEZ 2016), mostrou uma preparação e agressividade inaudita. Muitas ordens soavam em espanhol;(Link)

- O Gabinete de Segurança Institucional (GSI) atuou como “anjo”, dos novos Guerrilheiros Urbanos, enviando papel higiênico, para limpar as remelas e as bundinhas dos jovens guerrilheiros.  Impediu que 62 guerrilheiros fossem atuados pelo artigo 20 (LEI Nº 7.170). Define os crimes contra a segurança nacional, a ordem política e social, estabelece seu processo e julgamento e dá outras providências. Pena 3 a 10 anos de prisão. Obrigaram os delegados a adotar o artigo 163, do Código Penal. (Destruir patrimônio alheio 1 a 6 meses de prisão ou multa;

- Ficamos devendo uma explicação à Força Policial Militar, homens e mulheres, atingidos pela violência planejada e organizada; (Link)

- O juiz Sérgio Moro que permitiu a viagem do Senhor Luiz Inácio e Sra Dilma Rousseff à La Habana, sob o pretexto dos funerais de Fidel Castro. Uma clara preparação para ações insurrecionais futuras no Brasil, como a ocorrida dia 13 DEZ 2016;

- Também uma reunião onde se tece a fina corda onde será enforcada a Lava-Jato e os seus participantes (Juíz Moro e Procuradores);     

- Há meios de imprensa que agem incitando a desordem e confronto, não falamos de blogs, mas Rede Globo, GloboNews, Folha de São Paulo, etc. Abdicaram da responsabilidade pelo ativismo. Alguns pelo jornalismo de resultados ($$$) outros pelo ativismo político irresponsável (Folha de São Paulo);(Linkc)

- Imprensa, Procuradoria Geral da República e Supremo Tribuna Federal saíram em corrida contra um plano de ação contra a Maconha pelo Ministro da Justiça. A Maconha está prestes a tornar-se um monopólio da gangue criminosa PCC, que está invadindo e eliminando os opositores no Paraguai. (Link e Link)

Como os leitores podem notar, nestes poucos exemplos, temos todos os ingredientes para uma Guerra (ops) Política Híbrida no Brasil.

Um Editorial Híbrido para uma Política Híbrida - DefesaNet 19 Dezembro 2016.


Carlos I. S. Azambuja é Historiador.

Um comentário:

Italo Salomão disse...

Infelizmente, que venha o caos para que a IMC aconteça. Só assim passaremos definitivamente esse país a limpo, desta feita sem anistia para os apatridas e mercenários. Brasil, ame-o ou deixe-o!