sábado, 3 de dezembro de 2016

Intimidação e vingança ameaçam a Democracia

video

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Laércio Laurelli

CONVERSANDO COM O MEU COLEGA CARLOS ABRÃO SOBRE INTIMIDAÇÃO E VINGANÇA CHEGAMOS A CONCLUSÃO QUE:

O Escárnio nacional, o andamento, e a aprovação pelo parlamento das dez medidas de combate à corrupção, na realidade, viu-se um tanque de guerra do parlamento que trucidou a vontade popular de mais de dois milhões de assinaturas e na calada da noite, em quanto chorávamos a morte dos jogadores da chapecoense, os políticos corruptos agiam contra a sociedade brasileira.

Triste Brasil sem futuro: quebram, roubam e corrompem e que se dane a soberania popular ou as vozes contrárias; o STF tenha a dignidade de reconhecer a inconstitucionalidade do texto e reprimir de todo sua aprovação que logo mais passará pelo Senado Federal. A não legitimidade está cada dia mais patente e manifesta.

A pretexto de votar as dez medidas anticorrupção prefere por gostar de manter o status quoruptiones, ou seja, quanto mais se muda mais fica a mesma coisa é uma retórica de um Brasil subdesenvolvido que precisa restaurar sua reconstrução por meio de uma reforma política imediata.

O escárnio envergonha o povo, deslustra a cidadania e torna a corrupção a mega sena da classe política, haja vista que sempre haverá toda vez que o premio estiver acumulado um só ganhador e com isso se ludibria o povo das formas mais requentadas da velha política do coronelismo.

Bem disse a Ministra Presidente Cármen Lúcia que sem autonomia e independência o magistrado passa a ser um mero carimbador, uma espécie de despachante das vontades alheias e pagará pelo crime de interpretação sempre que não estiverem contentes com a decisão proferida ou sentença lavrada.

Nessa circunstância, portanto, lançamos uma sintonizada vaia para reprovar o texto analisado pelo congresso e felizmente os senadores honestos não aceitaram o regime de urgência no Senado, ante a necessidade de revisão e reforma das bases que mantiveram uma completa incoerência e desatenção com o projeto original.

O nosso parlamento saberá qual é o remédio que pretende às vésperas de uma revolução quase francesa ou de uma tomada de Brasília à lá bastilha.

PENSEM NISTO! 


Laércio Laurelli, Desembargador aposentado do TJ São Paulo, é apresentador do programa Direito e Justiça em Foco. 

Um comentário:

Anônimo disse...

A esperança de acabarmos com politicos corruptos se renovam de 4 em 4 anos ou quando a PF consegui colocar um ou outro na cadeia... Já no judiciário o povo tem que engolir a seco todos os bandido que já passaram por lá e os que se encontram lá cometendo todo tipo de crimes e sabotagens, no mundo inteiro não existe nada mais corrupto nem incompetente do que o nosso judiciário...