quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Natal de Luz, de Paz, de Amor


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Ernesto Caruso

Natal de luz; luz que ilumina a nossa alma, a nossa mente; que nos mostra a existência de gente como a gente, ao lado, distante, com as mesmas necessidades de sobreviver, de viver em paz. Paz interior e no convívio com quem nos rodeia, no longe, no perto, no universo. Viver de amor, com amor, pelo amor; próprio, gostar de si, se cuidar e manter a mesma emoção com o semelhante, com os bichos, com a natureza.

Natal de cor, pluralidade, diversidade, na pele, nas flores, na mata, no céu. Natal de paz, Natal de amor, Natal de crença. Sim, no seu Deus, na sua fé, crente em seu Senhor. Natal sem dor, no corpo, no pensar, no se arrepender. Natal sem fome... Como dói ver tanta gente no mundo sofrer por falta do que comer. Por causa das guerras, da ambição, dos maus governantes. A humanidade clama por Natal de amor...

Natal da lembrança; dos que não estão próximos, amigos, parentes, dos que já se foram, distantes na matéria, juntos no coração. Natal da esperança e um futuro melhor. Não do melhor para si, “da farinha pouca, meu pirão primeiro”. Até, porque tanta farinha a entupir artérias e vias no insaciável enriquecimento não faz bem ao corpo e alma, ao ver o seu irmão sofrer. Sim, irmão! Futuro melhor a todos, principalmente aos que lhe confiaram no voto, aos que lhe pagam os salários, altos ou não, no serviço público, no lucro da empresa.

Natal de quem diz, proclama e reluz, que brilha e conduz a Chama de Deus, no homem salvo na cruz que é sempre feliz com o seu Filho Jesus, com o seu Filho Jesus... Feliz na fé que professa, que não inspira repulsa, que respeita o pensar e o agir do seu semelhante na sua concepção, na sua religião, nos seus costumes, no respeito às leis.

Feliz como você! Feliz por você! Feliz para você! Ver Jesus nascer e com Ele viver, e com Ele viver... Natal está nesta mensagem. A estela ao brilhar, conduz, orienta o caminho da felicidade. Felicidade em conjunto, fraternidade. Entendimento, compaixão, sem fausto, sem a mão grande/pequena da corrupção. Com brincos de ouro e diamante e as crianças morrendo de inanição.

Sentir, procriar, morrer na terra E no céu vida eterna Para sempre viver... Para sempre viver. Quem assim acredita; identidade eterna, nascida da Luz Divina. Sopro da vida. Ser e não ter, com discernimento, prioridade; o poder e o compartilhar, o competir e não conflitar, o subir, crescer e não pisar para conseguir; o limite de cada um.

Aprender a lição; aprender e praticar, refletir, “estou fazendo certo na minha missão, no meu caminhar, no meu juramento, como pregador, como evangelizador, como juiz, como servidor, como gente.”

Ajudar o irmão, com bons propósitos, sem máscara, sem a intenção ou fingimento de servir para ganhar gratidão, voto, adesão, adepto, seguidor. “Eu no carro de luxo, meu fiel contribuinte, no busão, sem conforto.”
Entender o irmão, sentir as suas carências, ajudar a pescar como manda a lição. Cantar e louvar com o seu irmão. Cada um na sua fé, sem hostilizar, sem menosprezar, sem desacreditar. Cantar e louvar com o seu irmão. Natal de luz, Natal de cor, Natal de paz, Natal de amor, Natal de crença, Natal sem dor, Natal sem fome, Natal de amor...

A cada fim de ano um ensejo, vitória; mais um ano de vida, de trabalho, de convívio, com sacrifício, com honestidade. A cada início de ano um desejo. Quem não tem? Ser promovido. Passar no vestibular, pagar os seus compromissos. Dar um passeio. Visitar parentes. Ficar bom, se recuperar, sair do leito do hospital. Viver em paz.
]
De mãos dadas bem vejo. Ainda que distante, pela televisão, povos e mais povos, se abraçando, confraternizando. Alegria a brindar, União fraterna, amor, calor e lampejo. Foguetório que extravasa dos corações faz esquecer os problemas, as mágoas; apaga o desânimo, proclama o conviver.

Que o Ano Novo lhe traga as bênçãos de Deus. Prosperidade, galhardia a todos os seus. Natal de luz, Natal de cor, Natal de paz, Natal de amor, Natal de crença, Natal sem dor, Natal sem fome, Natal de amor... Natal sem fome, Natal de amor...


Ernesto Caruso é Coronel de Artilharia e Estado-Maior, reformado.

Um comentário:

Loumari disse...

Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitado, lhe cerrar as suas entranhas, como estará nele o amor de Deus?
(1 JOÃO 3:17)