quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

O Brasil não é um continente, mas um arquipélogo


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Enio Mainardi

Cada ilha desse arquipélago chamado Brasil vive em separado. Não somos uma nação, um bloco, um continente. Apenas falamos a mesma língua. Não existe uma “cultura brasileira”, genérica.

Os nordestinos tem a sua. São Paulo também tem a sua, particular. Rio Grande do Sul. E outros.

Temos valores muito diferentes entre nós, brasileiros. Mas politicamente, finge-se que somos iguais. Não somos iguais.

O Congresso brasileiro não representa com justiça cada “país”. Melhor então que cada "ilha" descobrisse suas próprias soluções econômicas e políticas. Começando por eleições que expulsassem as máfias que mantém o povo analfabeto e em estado de miséria.

O Brasil poderia ser uma espécie de Europa Unida. Uma verdadeira Federação de estados verdadeiramente independentes.
Cada “ilha” com suas próprias leis representando a diversidade de pensamento e a cultural - de maneira democrática.

Aqui no Brasil cometem-se tremendas injustiças.

“Países” de quarto ou quinto mundo, como o Maranhão do Sarney ou o Alagoas do Collor, se fazem representar em Brasília com o mesmo número de senadores que São Paulo. Igualdade postiça, mentirosa, oportunista de “países” tão diferentes.

Temos a realidade de São Paulo como "locomotiva"- que arrasta atrás de si vagões aos frangalhos. Estados que poderiam ser ricos e independentes, se conseguissem se livrar das elites arcaicas que os asfixiam. O coronelismo. São Paulo é obrigado a participar dessa falsa “equalização social”. Aqui gera-se o dinheiro que é entregue a um governo central - que é forçado por pressão de senadores de estados quase-irrelevantes a financiar projetos que absolutamente não interessam aos outros estados-matrix.

Nossa "ilha" São Paulo, a que realmente conta para o progresso econômico do continente Brasil, não tem nenhuma compensação verdadeiramente equilibradora frente à Federação. Nem política, nem econômica, nem nada.
Já aconteceu, no passado, uma Revolução Paulista, em 32. Sinto hoje no ar um sentimento parecido, que exige a separação imediata e definitiva da cidade de Garanhuns, para começar.

E a expulsão de seu cidadão mais proeminente para Cuba. De algemas.


Enio Mainardi é Publicitário. Originalmente publicado no Facebook do autor em 4 de janeiro de 2017.

5 comentários:

Anônimo disse...

E EU ESTOU COM VONTADE DE LHE MANDAR PARA O INFERNO, SP É UM LIXO CERCADO DE ARROGANCIA E PREPOTENCIA MAS NÃO PASSA DE UM MONTE DE BOSTA COMANDADO POR MAIS MÉRDA AINDA, SÓ TEM LADRÃO E MAFIOSO. SE A PF FOR PRENDER O MAIS HUMILDE FUNCIONARIO PUBLICO ATÉ O PREFEITO DO MAIOR MUNICIPIO SERIAM POUCOS OS QUE ESCAPARIAM POIS ROUBAM DE PREGOS E PARAFUSOS ATÉ TURBINAS DE AVIÃO, DE PANINHOS DE LIMPEZA ATÉ CAIXAS ELETRONICOS, DE ALVARÁS DE FUNCIONAMENTOS ATÉ SENTENÇAS JUDICIAIS, AREAS PUBLICAS COMO PRAIAS E REPRESAS ENTÃO SP NÃO É MELHOR DE QUE NINGUÉM POIS AQUI COMO LÁ TUDO O QUE FATURA É ROUBADO... A SOLUÇÃO NÃO É SEPARAR MAS SIM JUNTAR TODOS NA MESMA CADEIA... NARCOTRAFICO, CONTRABANDO E JOGOS ILEGAIS É O QUE MAIS TEM DE SÉRIO POR AQUI...

Anônimo disse...

Esse é um dos problemas mais urgentes a se resolver.
Como pode SP ficar à mercê de um - ou mais- coronel de merda do NE?

Estéfani JOSÉ Agoston disse...

Senhor Enio Mainardi, bem vindo seja ao pensamento Federalista. Sua postagem acima, embora tardia pois com sua inteligência e perspicácia já deveria ter percebido muito antes que o Brasil não é um "todo", muito ao contrário é composto de "partes", cada uma das quais com cultura, moral e Ética diferentes. Aduzo que acho impossível aglutinar tais "partes" num "todo", tal é a dimensão de nosso território e as diferenciações culturais e étnicas, além de usos e costumes, portanto o mais sábio seria descartar o sistema de republicano de governo e instituir o Federalismo (tal como vigora em Suíça). O mais trágico e grave em tudo isso, é que as FFAA brasileiras e parcela pensante da sociedade (pelo menos os honestos e a favor de um Brasil grande, onde o Progresso com Ordem seja a norma e o dia a dia) não conseguem perceber que não somos um "todo", mas um conjunto desequilibrado de partes.

Sérgio Alves de Oliveira disse...

Não consigo compreender como grandes pensadores,como o Enio Mainardi,conseguem diagnosticar tão bem os problemas centrais do Brasil e, ao mesmo tempo, tripudiarem a única alternativa ,ou "receita",viável para a "solução",que é o desmanche de algo,de um páis , que após 516 anos de história,passando pela Colònia,Império e República, ainda "não deu certo". Essa insistência é pura burrice e teimosia.Todas as premissas levantadas pelo ilustre jornalista integram os motivos que levam o POVO DO SUL,e talvez outros também,a buscar a sua independência com soberania,,formando país próprio. Então procure inteira-se um poco mais sobre esse movimento e suas causas principais,consultando,por exemplo,o "MANIFESTO LIBERTÁRIO-do GESUL),do qual fui honrado com a sua relatoria e versão final.

J. Clovis Lemes disse...

ATÉ QUE ENFIM ALGUÉM POSTA A VERDADE... COITADO DO MAINARDI... VAI SER PERSEGUIDO PELA MIDIA VENDIDA E OS IDIOTAS ÚTEIS...