segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Como fugir do carnaval de juízos finais?


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Carnaval também serve para lembrar que o Brasil tem muita coisa séria para debater. A Lava Jato provoca alguns temas que merecem profunda discussão, dos prós e contras, sem paixões oportunistas para que se atinja um ponto de equilíbrio desejável. O foro privilegiado, a delação premiada, o acordo de leniência (para empresas), a velocidade dos processos e a quantidade de recursos judiciais são questões que geram tanta polêmica quanto a demonização de políticos e de empresários.

A torcida majoritária da galera é por punição. Só vale ponderar que nem todo processo judicial é obrigado a terminar em condenação severa. Mas também não precisa encerrar com uma impunidade descarada. O rigor seletivo (que pune uns e poupa outros, em situações muito parecidas) não deveria e nem poderia ser uma constante judicial. A falta de transparência, na maioria dos casos, facilita as injustiças. Os “sigilos processuais” são outro tema que exige atenção seríssima.

No Brasil, quem é apontado pela mídia como investigado, suspeito, acusado e processado, praticamente, costuma ser imediatamente condenado na implacável “primeira instância” de julgamento, geralmente parcial, das opiniões pública e “publicada”. O sistema judiciário precisa ser passado a limpo e urgentemente aprimorado para garantir a desejada “segurança do Direito” (Democracia que não temos no Brasil”). O ser humano tem esse defeito: julga e condena ou outro facilmente, enquanto é mais leniente consigo mesmo.

Nosso defeito de fábrica não deveria nem poderia afetar o sistema judiciário. No entanto, é exatamente isto que acontece. Investigadores, promotores e magistrados tendem a pegar pesado com seus “alvos”. Por outro lado, não agem da mesma forma implacável quanto são forçados a investigar, denunciar, julgar e condenar seus pares. Corporativismos são rotina dos grupamentos humanos... O equilíbrio só é obtido por sábios... Mas eles, infelizmente, são minoria...

Felizmente, os embates contra o Crime Institucionalizado começam a produzir um sério debate no Brasil das impunidades e injustiças. A máquina do Judiciário, mesmo que ainda lentamente, já ouve mais a sociedade e inicia um processo irreversível de revisão crítica. Este trabalho fundamental é tocado pelos Corregedores dos Tribunais de Justiça que estão compreendendo a natureza do processo geral de mudanças no Brasil. Os “sem-noção” vão continuar do jeito como sempre estiveram, até a hora que forem submetidos a um “juízo final” pela pressão (que pode até ser violenta) da sociedade.

Bons exemplos alimentam a esperança de dias melhores. Em pleno sábado de Carnaval, a “Operação Corrumpere” da Polícia Federal cortou a própria carne. Prendeu em flagrante o delegado federal Sandro Viana no momento em que dividia de R$ 35 mil com um intermediador que o auxiliou a extorquir o dinheiro um empresário da área de segurança privada na cidadã paranaense de Londrina. O policial ficaria com R$ 20 mil e o intermediador com R$ 15 mil. A casa caiu...

Outro excelente exemplo é o desejo do novo Corregedor-Geral do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. O Desembargador Cláudio de Mello Tavares promete muito diálogo com a sociedade e com os servidores do judiciário para cumprir a meta de imprimir mais rapidez aos processos. Em entrevista a O Globo, Cláudio Tavares resumiu que legado deseja deixar ao final de 2018:

“Meu sonho é que as pessoas tenham seu direito reconhecido e que passem a confiar mais no Poder Judiciário. Também quero que servidores e magistrados trabalhem em ritmo de união, prestando um serviço público mais eficiente”.    

Resumindo o anseio do Desembargador: Precisamos de um Judiciário que promova Justiça de verdade, e não um mero carnaval de juízos finais, em velocidade paquidérmica.

Governo vulgarizado

Releia o artigo de domingo: Quando vamos parar de atravessar o samba?


Me dá um dinheiro aí


Moacyr Franco canta um samba que Lula deveria usar nos processos que vem movendo contra todo mundo que lhe desagrada...

Surubar é o negócio


Fica em casa, Padilha


Pode pedir para sair


Nem todo marketing salva


Colabore com o Alerta Total

Os leitores, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente com o Alerta Total poderão fazê-lo de várias formas, com qualquer quantia, e com uma periodicidade compatível com suas possibilidades.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil.
Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

II) Depósito em Conta Poupança da Caixa Econômica Federal ou em agências lotéricas: 2995 013 00008261-7, em favor de Jorge Serrão.

OBS) Valores até R$ 9.999,00 não precisam identificar quem faz o depósito; R$ 10 mil ou mais, sim.

III) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

IV) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 27 de Fevereiro de 2017.

4 comentários:

Anônimo disse...

http://o-mascate.blogspot.com.br/
Democracia neste país é relativa, mas corrupção é absoluta *
"PIMENTORIUM IN ANUS OUTREM REFRESCUS EST"
sexta-feira, fevereiro 24, 2017
Intervenção militar constitucional.
Tenho lido em várias páginas de redes sociais onde até grupos são formados em nome da tal intervenção militar constitucional.
Na minha opinião, pedir para milico intervir no país é tentativa de terceirizar o trabalho da população.
Quem tem que ir para as ruas e botar para phoder pra cima dessa cangalha de canalhas que estão nos governos é o povo, justamente o tal povo em que a constituição é referendada em seu nome.
A caserna, assim como quase todas as instituições da Pocilga estão infestadas de militares vermelhos, e justamente essa turma quer que tudo fique como está.
Após a abertura política lá na década de 1980, criou-se no país uma espécie de obrigação moral que todo mundo deveria ser de esquerda. Ser de direita virou crime de lesa pátria, e com esse modismo burro e parcela ou quase totalidade dos ruminantes eleitores a esquerda ganhou corpo e a direita foi extinta, a ponto de NÃO existir um único partido realmente de direita no Bananal. Acabou o equilíbrio.
A esquerda com aquela conversinha mole em se autodenominar dona do povo foi minando a democracia e o que vemos hoje é o resultado dessa situação.
O Brasil virou um puteiro de quinta categoria as instituições estão aparelhadas, a constituição é rasgada diariamente, inclusive por ministros do STF que deveriam ser os guardiões dela. E o povo está refém dessa situação e não tem culhões, vontade,cidadania ou patriotismo de partir para o pau, aí alguém em algum momento berrou em nome dos militares e os acomodados, ou idiotas uteis entenderam o recado. Jogar pra cima dos milicos o que NÓS povo, deveríamos fazer até que os milicos perceberem a situação e saírem dos quarteis em nome da democracia ou do povo.continuA......

Anônimo disse...

http://o-mascate.blogspot.com.br/ CONTINUA II

Infelizmente após a abertura política a população foi sendo arrastada pelos ventos da "liberdade", e assim sucatearam o ensino, desmontaram o sentimento de pátria, jogaram o país na vala comum e transformaram a população em uma espécie de turba de retardados. Um povo que vive de reclamar, é agressivo com o vizinho, machos em bando, e não entendem nada de nada em relação aos deveres com o país. Conhecem "male má" os direitos de cidadão.
Um povo que veste verde amarelo em dia de jogo de futebol e se ufana em ser patriota de chuteiras não vai sair desse atoleiro.
Nada melhor que o Carnaval para mostrar o quanto o povo é leviano, nada contra a alegria, porém não temos motivos para estarmos alegres o país caminha para o brejo e a turminha continua na base do "a lálá o..ooo ...ooo".
Voltando aos militares... A turma que deu o chega pra lá na comunalha em 64 era feita de outro material, eram homens de brio, alguns oriundos dos pracinhas da FEB, lutaram uma guerra para entender o quanto é perigoso um país em conflito, tinham caráter comprometidos com o país, defensores da paz e da segurança do povo, mesmo assim fizeram tanta merda que os vagabundos combatidos à época estão no poder hoje. Imaginem com esse comando que está aí o tamanho da merda feita por comandantes totalmente servis e acovardados diante dos comunistas.
O que vemos nos quartéis são militares descomprometidos com o país, viraram faxineiros da dengue ou segurança privada de estado falido, oficiais carregadores de mala de presidente vagabundo. CONTINUA....

Anônimo disse...

http://o-mascate.blogspot.com.br/ CONTINUA III E TERMINA

Nossos militares em combate seriam dizimados ou humilhados em questão de horas se entrassem em confronto com um país minimamente equipado militarmente.
Acabaram os homens de valor, a caserna se tornou um saco de gatos onde se vê de tudo, desde sargento evangélico até soldado traficante.
O desmonte das FFAA começou com os governos de Sarney, FHC deu um puta impulso nessa situação e os PTralhas acabaram o serviço. Militar no Brasil virou sinônimo de covardia e acomodação a espera da aposentadoria. E a pá de cal está sendo o desmonte do porta aviões São Paulo. Um país com a fronteira marítima que tem desmontar sua maior arma naval é para entender de vez o ponto de desmanche que as FFAA chegou.
Volto a insistir, só o povo nas ruas e partindo para o pau pra cima desses canalhas de Brasília muda a situação. Se a população continuar reclamando em rede social e tentando terceirizar o serviço nada vai mudar. Os políticos irão se protegendo e legalizando suas condutas e o povão pagando a conta. Como sempre...
As Forças Armadas estão desarmadas e sem forças...
E a intervenção poder ser uma catástrofe para o país.
E de resto...
PHODA-SE!!!

Anônimo disse...

A quadrilha é enorme que venha São João em Junho/2017

Mais um festa idiota para um povo idiota.
Enquanto a nação é estrupada por criminosos que nos governa.

Meus inimigos estão no poder

Chico Trevas

Serrão siga na proa:
Terra a vista, não tem nada, mas temos que continuar remando.

Haja luz na cabeça do povo gado Brasileiro