segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

“Ó Dolce Napoli”


“País Canalha é o que não paga precatórios”.

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Quando conheci Nápoles, fiquei fascinado. A proximidade do Vesúvio é uma advertência permanente sobre a efemeridade da vida e da grandeza de Deus.

Assim, quero deixar constância de minhas pequenas esperanças para o futuro.

Gostaria de ver o tenor Juan Diego Florez cantar “Santa Lucia”.

Espero que surja em São Paulo um lugar civilizado. Os que havia se acabaram. Restam poucos vestígios da cidade que já foi chamada de a Atenas brasileira.

Que tal se a concha acústica fosse reconstruída no estádio do Pacaembu?

E, demolido o Minhocão, que arrasou o centro da paulicéia?

Por que não reconstruir o monumento a Olavo Bilac?

Ainda temos bons restaurantes, mas a grande maioria com instalações inferiores a de equivalentes internacionais.

E os chefs e pseudo-chefs, em nome da inovação, criam pratos intragáveis e espantam a freguesia fiel.

Muito embora a juventude tenha perdido a educação de seus pais e avós, é brilhante mas necessita quem lhe ensine “o caminho das pedras”.

Daqui a pouco tempo ninguém mais saberá quem foi Pelé.

A República avacalhou nossa História para sabotar a imagem de um Império que deu certo.

Não se estuda história, nem geografia, nem “a última flor do Lácio”.

Quase todos, bestificados pelos smartphones.

Passamos cada vez mais o nosso tempo cuidando de futilidades.

Pobres crianças, órfãos de pais vivos que lhes dão tudo, menos sua atenção e carinho.


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Nenhum comentário: