domingo, 26 de fevereiro de 2017

Pequeno Manual de Instrução de Cavalheiros - I

Não é manifestação... É Carnaval!

“País Canalha é o que não paga precatórios”.

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Já foi dito anteriormente, que sem estudar a língua italiana, ninguém pode ser considerado um gentleman (ou uma lady).
Sem maiores pretensões, sugerimos a oitiva das pérolas do bel canto, inicialmente com canções napolitanas, a saber:
Santa Lucia, nas vozes de alguns dos maiores tenores de todos os tempos.

Enrico Caruso


Beniamino Gigli


Mario Lanza


Luciano Pavarotti


Jose Carreras


Mas o melhor é ver que canta (e nos encanta) uma jovem brasileira:
Raíssa Amaral


Quem disse que Una Voce Poco Fa?



Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

2 comentários:

Loumari disse...

Uma vez na França, era uma quinta-feira a tarde estava livre e decidi ir ao cinema. Fui ao cinema que eu tinha o costume de frequentar, e naquele lugar existe um espaço onde as pessoas vão tomar e comer algo. Naquele dia, para o meu assombro, coisa que não era de costume nos outros dias, a moça que servia aos clientes estava vestida do que em francês chamam "la petite robe noire" um lindo e elegante vestido preto e com elegantes escarpins nos pés. Eu curiosa pergunto para a moça que eu conhecia, pois por várias vezes ela me servia: pergunto para ela: há algum evento especial para você estar vestida assim tão elegante, fina e tão refinada? Ela responde: Sim. É que hoje como todas as quintas-feiras, se projecta opera na sala de cinema, e o protocolo exige que os servidores se vistam de maneira elegante, fina refinada.
Me lembrei disso ao escutar logo o primeiro clássico aqui na página, e me dizia para mim mesma: Mas, é certo que para escutar este tipo de musica se deve preparar, vestir-se elegante e depois se instalar confortavelmente e desfrutar desta musica envolvido no chic mais absoluto.
É isso gente, o PROTOCOLO.
O mundo de hoje em todos os níveis banalizam este acto púbico que consiste em aplicar ao pé da letra a disciplina e a respeitabilidade dos registos civilizacionais. Em nome da modernização banimos este registo que é o conjunto de regras que tornam possível a execução de um programa de modo eficiente e sem erros.

Anônimo disse...

Bravo Raissa Amaral!Uma voz nao faz pouca coisa...Bravo Serrao!