domingo, 26 de fevereiro de 2017

Quando vamos parar de atravessar o samba?


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Nosso Brasil está “atravessando o samba” na História. Estamos desfilando na contramão do resto do mundo desenvolvido. Em muitos aspectos, deixamos a desejar até para os subdesenvolvidos. Na passarela do globalitarismo, sem rumos democraticamente definidos, com base na segurança jurídica, somos uma Nação sob hegemonia do Crime Institucionalizado e rumando para explosões de violência e desintegração. É altíssimo o risco futuro de separatismo.

Somos um “carnaval” de coisas, conceitos e pessoas erradas. Excetuando o agronegócio que é “pop e produtivo”, nos demais setores o Brasil é uma enganação. A infraestrutura deixa muito a desejar. Nosso modelo industrial é completamente ultrapassado. Tudo se agrava com o Capimunismo Rentista (modelo de ganhar dinheiro fácil cafetizando a máquina estatal). Pagamos quase uma centena de impostos, taxas e contribuições para esta finalidade.

O problema é conceitual: cultuamos e praticamos idéias e conceitos irreais, canalhas ou criminosos. Na verdade, arcamos com o alto preço da falta de Educação (base filosófica familiar + ensino de qualidade para formar bons cidadãos, trabalhadores e pensadores). Tamanha carência multiplica o número de analfabetos funcionais que engrossam, naturalmente, o caldo da corrupção, da politicagem e da violência. Este defeito original se estende para todas áreas da vida nacional. Somos uma suruba institucional. O tal do “Caju” tem razão em seu cinismo...

O único jeito de mudar essa realidade é partir para uma Intervenção Institucional. É imprescindível uma Repactuação Constitucional. Temos de implantar o Federalismo de fato e de direito. É preciso investir pesadamente em ensino de qualidade, para fecharmos as “fábricas de bandidos”. Temos de resgatar a base familiar e o respeito à Individualidade. Todas as outras profundas reformulações vão ocorrer a partir da base legal e institucional redefinida democraticamente: a Segurança do Direito. A tal da “dura lex” vale para todos. O processo demanda amplo, livre e exaustivo debate. O jogo não é fácil – e pode até ficar bruto – porque nosso fundamento é ruim. No entanto, é preciso jogá-lo.

Não basta reclamar, protestar nas ruas ou nas redes sociais e demonizar os políticos – mesmo que a maioria deles seja formada por ladrões profissionais. O fundamental é restaurar a capacidade de fazer Política para melhorar o País. As elites (melhores entre os melhores) precisam se unir para fazer o bem prevalecer sobre o mal. Os segmentos esclarecidos da sociedade brasileira precisam definir qual rumo estratégico desejam e que o País efetivamente necessita.

Quem tem capacidade de organizar um megaevento como o Carnaval também deveria ter plenas condições de reorganizar o Brasil. A maioria esmagadora das pessoas só precisa de orientação básica. A vontade de mudar para melhor precisa ser mais forte que a mediocridade e o medo do crime. Temos de quebrar a hegemonia dos corruptos, sem se deixar corromper. Não é fácil...

Pulemos o Carnaval moderadamente, mas tenhamos foco que é preciso rasgar a fantasia de idiota inútil imediatamente, de preferência a partir da quarta-feira de cinzas. Devemos aproveitar o “Efeito Lava Jato”, que começa a abalar a corrupção sistêmica, para neutralizarmos, vencermos e substituirmos os canalhas de plantão na direção das instituições públicas e privadas.

Basta de atravessar o samba. Que cada um melhore a si mesmo, de forma consciente, e que reúna plena capacidade de mudar cada coisa que não presta no Brasil. O método não é fácil, porém merece ser tentado.

Pura Gozação


Gozada geral do sarcástico livre gozador Milton Pires, apresentando aquela que seria a frase definidora do carnaval 2017:

"Goza na minha boca, as maletas do Renan não estão gravando! Goza logo antes que o Goleiro Bruno chegue, mate a gente e o Ministro Marco Aurélio Mello deixe ele solto! Vai amor, goza logo antes que alguém faça delação premiada e delate a gente!".

Atrás do Milhão


Pulhagem


Dura Lex, Dura Careca


Colabore com o Alerta Total

Os leitores, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente com o Alerta Total poderão fazê-lo de várias formas, com qualquer quantia, e com uma periodicidade compatível com suas possibilidades.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil.
Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

II) Depósito em Conta Poupança da Caixa Econômica Federal ou em agências lotéricas: 2995 013 00008261-7, em favor de Jorge Serrão.

OBS) Valores até R$ 9.999,00 não precisam identificar quem faz o depósito; R$ 10 mil ou mais, sim.

III) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

IV) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 26 de Fevereiro de 2017.

Um comentário:

Sérgio Alves de Oliveira disse...

"É altissimo o risco futuro de separatismo".Mas seria essa alternativa uma "desgraça"? Ou seria a melhor alternativa de todas no sentido de desfazer uma "união" que nunca deu certo,só escravizando e punindo as regiões que mais trabalham e produzem em benefício de Brasilia e da vagabundagem que está à sua volta e vive das suas benesses ?