segunda-feira, 13 de março de 2017

A Ditadura do Proletariado e as relações de classe logo após os acontecimentos de outubro


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos I. S. Azambuja

 O texto abaixo é um dos capítulos do livro “A Luta de Classes na União Soviética”, escrito por Charles Betelheim, editora Paz e Terra. Charles Bettelheim (20 de Novembro de 1913 - 20 de Julho de 2006) foi um economista e historiador francês. Fundador do CEMI ("Centre pour l'Étude des Modes d'Industrialisation" - Centro para o Estudo de Modos de Industrialização) na Sorbonne; foi também consultor econômico em governos de vários países em desenvolvimento durante a descolonização. Foi muito influente na Nova Esquerda Francesa, e é considerado "um dos mais notáveis marxistas do mundo capitalista" (Le Monde, 4 de Abril de 1972) em França, mas também em EspanhaItáliaAmérica Latina e Índia.

“A desvantagem do capitalismo é a desigual distribuição de riquezas. A vantagem do socialismo é a igual distribuição da miséria” (Winston Churchil)

------------------------------------
    
A Insurreição de Outubro pôs fim à ditadura da burguesia e instaurou a ditadura do proletariado na Rússia. Ela permitiu que o proletariado se tornasse a classe dominante, a fim de continuar a revolução, prosseguir com as tarefas da revolução democrática, e dar os primeiros passos em direção ao socialismo.
    
A Insurreição de Outubro permitiu destruir o Poder da burguesia, porque constituiu um momento de todo um processo revolucionário que atingiu, então, certo grau de maturidade.
    
Não foi, evidentemente, a ocupação de alguns edifícios nem a prisão de ministros – que a burguesia, se tivesse tido capacidade,  poderia facilmente substituir – que permitiu ao proletariado suplantar o poder da burguesia. O que possibilitou essa mudança, de importância mundial, foi a nova relação de forças entre as classes que a vitória da Insurreição de Outubro revela, ao mesmo tempo em que contribui para o seu estabelecimento, poiso Poder é uma relação entre as classes e não um objeto que se toma.
     
A Insurreição de Outubro tem esta capacidade de revelar a existência de uma nova relação entre as classes, contribuindo para estabelecê-la, porque deixa bem claro que não e a burguesia, mas o proletariado, assim como seu Partido “quem comanda pela força das armas”. A Insurreição revela que a nova classe dominante adquiriu a força militar decisiva, e que a antiga classe dominante a perdeu.
    
Em outubro de 1917, o proletariado dispôs da força militar decisiva porque as Forças Armadas que podiam decidir a sorte da revolução não estavam mais prontas a combater pela burguesia. Eles aderiram à revolução por razões ideológicas e políticas, porque não podia escapar à pressão e à ação das massas populares. As massas eram impulsionadas pela situação sem saída em que a burguesia russa mantinha o país. O avanço das massas operárias tornou-se irresistível graças ao Partido Bolchevique, que as ajudou a compreender a natureza da situação e agir de modo coeso e no momento justo. Foi, portanto, a combinação das ações revolucionárias com a ação do Partido Bolchevique que permitiu a vitória da Insurreição de Outubro e a instauração da ditadura do proletariado. 
    
Entre os diversos elementos que possibilitaram a vitória de Outubro – situação sem saída, desespero as massas, pressão destas fazendo pender uma fração decisiva das Forças Armadas para o campo da Revolução, papel dirigente do Partido Bolchevique, etc –, foi a liderança do movimento das massas urbanas do Partido, sobretudo das massas operária de Petrogrado, Moscou e outros grandes centros industriais que determinou o caráter proletário do Poder nascido dessa vitória.
    
Do ponto de vista do conteúdo de classe da Revolução de Outubro e do Poder que daí surgiu, o aspecto decisivo foi o papel dirigente do Partido Bolchevique.
    
Todas as revoluções decorrem do papel decisivo e do heroísmo das passas populares e, particularmente, desde que exista, da classe operária. Tal foi o caso da Revolução de Fevereiro de 1917, na qual a classe operária de Petrogrado, Moscou, e outras cidades, desempenhou o papel determinante, sem, no entanto, chegar à instauração de um Poder Proletário. A Revolução de Outubro distinguiu-se de todas as revoluções anteriores – à exceção da Comuna de Paris – pelo fato de ter-se realizado sob a direção das idéias proletárias.
    
Coube ao Partido Bolchevique – portador organizado dessas idéias – permitir que o proletariado russo se constituísse em classe dominante. Graças aos laços de confiança estabelecidos entre ele e as camadas mais combativas do proletariado, o Partido tornou-se instrumento da Ditadura do Proletariado. Por muito tempo tais laços foram mantidos, e o Partido continuou a ser o portador da ideologia e das práticas proletárias, sendo que estas desempenharam sempre o papel decisivo – um Partido pode ter, com efeito, uma ampla base operária e não passar de um “Partido operário burguês”, por falta de suporte da ideologia e das práticas proletárias -.

Carlos I. S. Azambuja é Historiador.

Nenhum comentário: