quinta-feira, 23 de março de 2017

A Reforma da Previdonça


“País Canalha é o que não paga precatórios”.

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira 

O canetador por turro, além de imprudente, é burro.

E se a Onça surta ao ser cutucada com vara curta?

Cansada de tanto achaque, transforma-lo-á em pó de traque.

Andamos tão sem assunto à espera do próximo presunto, que ignoramos a cortina de fumaça (e aí a reforma passa).

Rigor seletivo não é novidade. Lembram-se do tempo “Para os amigos tudo; para os inimigos a lei”?.

“Lei, ora a lei !”

A leitoa empichada gritou a não mais poder.

O atual bocó quietinho, se não se emenda, vai se f.

Chegou a hora da feijoada final da macunaima.

Cada vez mais difícil arranjar uma rima.

Até os reis do cagaço estão a perder espaço.

“Ó dúvida cruel ! Como é que fica ?; como é que eu faço?”

Se a ópera bufa segue seu curso, acabaremos todos abraçando urso.

Valha-nos Santo Antonio!

“De Pádua ou de Lisboa?”

O santo ubíquo porá fim ao regime iníquo.


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

2 comentários:

Chico Valente disse...

O abraço do urso está cada vez mais próximo e ninguém consegue observar.
Depois, quando sangrar, não adianta reclamar.

Anônimo disse...

Essa reforma é tão surreal, tão nóia, que chego a pensar que é um Cavalo de Tróia, inventado por ministro, pra deixar o palácio ainda mais sinistro.