sábado, 11 de março de 2017

A violência que a lei protege (1)


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Renato Sant.Ana

"Me mata logo, seu filho da puta! Detona logo essa merda, porque eu não aguento mais!" Não é piada. Não é bizarrice. É desespero!

O blog do Jornalista Políbio Braga (em 08/01/2017) reproduziu o que publicou Paulo Alberto Rebelatto, médico psiquiatra e Psicanalista.

Rebelato conta que um de seus pacientes foi assaltado REITERADAS VEZES, abordado por criminosos ao parar o carro em semáforos de Porto Alegre.

Quando o fato repetiu-se nos primeiros dias deste 2017, o homem desceu do veículo em pânico e desesperado, aos gritos de: "Me mata logo, seu filho da puta! Detona logo essa merda, porque eu não aguento mais!" O ladrão queria tomar-lhe o carro. A vítima entregou-lhe a chave, exigindo a própria morte. O bandido, que não esperava aquela forma de capitulação, teve que admitir: "Não posso, o revólver é de brinquedo", e fugiu do assaltado, "que se botou nele aos chutes e bofetadas", relata o psicanalista, que acrescenta: "Meu paciente, depois de chegar em casa e quebrá-la toda, e se ferir muito!... tentou o suicídio!!! Tive de interná-lo, lamentavelmente."

Certo, a violência é um fenômeno multifatorial. Mas não dá para ocultar a lógica do "gerenciamento do crime": os bandidos agem na certeza de que as vítimas todas estão desarmadas. E estão mesmo!

E os bandidos agradecem ao governo Lula que, em 2005, simplesmente ignorou a vontade popular. Houve o famigerado plebiscito do desarmamento. A população disse "não!". Mas os profetas do PT acham que "o povo não sabe escolher". Aí, numa jogada bem calculada, contrariando a escolha do povo brasileiro, o lulo-petismo desarmou a população honesta. Mas não desarmou os criminosos!

Ninguém dirá que a solução é armar todo mundo. Agora, proibir o cidadão comum de prover a própria defesa é, sem dúvidas, um fator do crescimento da violência, que já escapa ao controle. Eis o que uma "corja empoderada" fez com o Brasil: quem vive na legalidade está acuado, só os bandidos não têm medo!

(Continua.)


Renato Sant'Ana é Psicólogo e Bacharel em Direito.

Um comentário:

HeberPai disse...

Espero de muita gente leia este artigo.