quinta-feira, 16 de março de 2017

As Esculhambações estão funcionando


“País Canalha é o que não paga precatórios”.

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

São Paulo já perdeu o glamour há muito tempo.

Agora, todos nós, seus habitantes, perdemos a previsibilidade.

Greves, cortes de ruas por meia dúzia de atrevidos, obras do poder público ou das concessionárias sem prévio aviso, transforma nosso cotidiano tranquilo numa gincana maluca.

Se as ruas e praças são patrimônio público, por que nos cercear o direito de ir e vir?

No domingo seguinte ao do Carnaval, idiotas protegidos por agentes públicos interditaram a Av. Hélio Pellegrino sem nenhuma justificativa.

Abusos reiterados, cortaram o trânsito na Av. Paulista, deixando ilhados os moradores da Bela Vista e prejudicando os de bairros vizinhos.

Nosso povo é ordeiro e generoso, mas chucro.

Ignora que o direito de alguém vai até o início do direito de outrem.

Obstruir calçadas com “acampamentos” é inviabilizar a mobilidade de idosos e cadeirantes.

Talvez a única coisa que funcione bem é o egoísmo.

Os jovens arrogantes se esquecem de que um dia envelhecerão.

Aqui se faz, aqui se paga.

Mas, enquanto não chega a hora do pagamento final, as esculhambações continuam funcionando normalmente...

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

5 comentários:

Anônimo disse...

Faltam adjetivos para classificar o que estamos vendo das autoridades que comandam o Brasil e dos que deveriam cumprir as Leis. O Brasil tomou um golpe, de verdade, dos grupos mafiosos que tentam agora escapar da prisão.

Loumari disse...

A nossa Língua "perdeu" as suas origens (o Latim)

Não havendo justificação para a forma como agora querem escrever o “NOSSO” PORTUGUÊS
EXPLIQUEM AGORA AOS ALUNOS COMO SE FORMARAM ESTAS NOVAS PALAVRAS!!!!!
"DESAcordo" Ortográfico (*)

O novo "Desacordo" ortográfico é mais uma prova da imbecilidade desta gente que governa Portugal nos últimos 3 decénios!

Nos nossos sete, oito e nove anos tínhamos que fazer aqueles malditos ditados que as professoras se orgulhavam de leccionar.
A partir do terceiro erro de cada texto, tínhamos que aquecer as mãos para as dar à palmatória. E levávamos reguada com erros destes: "ação", "ator", "fato", "tato", "fatura", "reação", etc, etc...

Com o novo acordo ortográfico, voltam a vencer-nos, pois nós é que temos que nos adaptar a eles e não ao contrário. Ridículo...,

Mas, afinal de onde vem a origem das palavras da nossa Língua?
Do Latim!!!
E desta, derivam muitas outras línguas da Europa.
Até no Inglês, a maior parte das palavras derivam do latim.

Então, vejam alguns exemplos:

Em Latim
Em Francês
Em Espanhol
Em Inglês
Até em Alemão, reparem:
Velho Português (o que desleixámos)
Novo Português (importado do Brasil)
Actor
Acteur
Actor
Actor
Akteur
Actor
Ator

Factor
Facteur
Factor
Factor
Faktor
Factor
Fator

Tacto
Tact
Tacto
Tact
Takt
Tacto
Tato

Reactor
Réacteur
Reactor
Reactor
Reaktor
Reactor
Reator

Sector
Secteur
Sector
Sector
Sektor
Sector
Setor

Protector
Protecteur
Protector
Protector
Protektor
Protector
Protetor

Selection
Seléction
Seleccion
Selection
Selecção
Seleção

Exacto
Exacte
Exacta
Exact
Exacto
Exato

Excepto
Excepté
Excepto
Except
Excepto
Exceto

Baptismus
Baptême
Baptism
Baptismo
Batismo

Excepção
Exception
Excepción
Exception
Excepção
Exceção

Optimus
Optimum
Optimum
Óptimo
Ótimo

Conclusão: na maior parte dos casos, as consoantes mudas das palavras destas línguas europeias mantiveram-se tal como se escrevia originalmente.
Se a origem está na Velha Europa, porque é temos que imitar os do outro lado do Atlântico???

Mais um crime na Cultura Portuguesa e, desta vez, provocada pelos nossos intelectuais da Língua de Camões.

Por favor Circulem este e-mail até chegar aos "intelectuais" que fizeram este "Desacordo".
Pode ser que eles abram os olhos.

Ex.: Será que fui de fato à praia?

...Na tourada, estavam 2000 espetadores! ...etc, etc.


Porque se escreve Egito se os naturais desse país são Egí p cios?

Ainda não percebi se com o novo Desacordo ortográfico os Polacos também passaram a ser Poloneses..., e os Canadianos agora são Canadenses, como se diz nas Terras de Vera Cruz …

Inovações sim , mas sem exageros e com coerência !!!

Não existe qualquer acordo, mas sim a "Resolução do Conselho de Ministros"n.º8/2011...,
Nenhum dos Países da CPLP subscreveu esta "Resolução" (nem a Guiné Equatorial...)

Loumari disse...

Isto aqui é o que explica o por quê os brasileiros são as gentes do globo mais atrasados na aprendisagem de línguas estrangeiras. E o pior é que têm também sérias dificuldades de compreender e assimilar a própria língua portuguesa que eles pretendem falar.
Vão ver que os moçambicanos tanto angolanos, estão no top em inglês e em francês.
Moçambique graças a percentagem considerável de sua população que fala inglês esta foi sua passagem para ser admitido e adoptado como membro da COMMONWEALTH. Nenhuma outra nação no globo conseguiu tal proeza. Não ter sido nunca colonia Britânica mas é membro da COMMONWEALTH.
Quando a comunidade Moçambicana viu que isto funcionou, então reintroduziram o francês na cultura e na educação, e a tia França gostou muito da ideia. Veio ajudar com fazer prevalecer o Francês em Moçambique através da Aliança Francesa. E hoje Moçambique é membro da Francófono.
Como eu já disse uma vez, ser pobre não é uma fatalidade. Vede Moçambique? Moçambique é um dos países mais pobres do mundo, mas, é membro da COMMONWEALTH. Moçambique é pobre mas tem família. Em casa da sua tia Grã-Bretanha ele tem lá seu acento com o seu nome. O sobrinho pobre, com os sapatos furados e meias rotas, mas tem seu assento na mesa na casa de sua tia.
O mesmo na casa de sua tia França, ele está lá com a sua cadeira reservada e com o seu nome. O sobrinho pobre, mas tem seu lugar na mesa da casa de sua tia. O tudo se resume na palavra amor ao outro.
E Brasil? Onde ele é convidado? E quando atentamos para o que sai da boca dos brasileiros! Aquela gente quando abre suas bocas como falam mal de todos e de tudo. Passam a vida a falar mal de Portugal e dos Portugueses pelo qual é graças aos portugueses que Brasil existe. Proferem injúrias e maldições a todas outras nações e povos.
Como os brasileiros falam mal de Venezuela, de Argentina, de Cuba...acusando estas nações de serem responsáveis pelas suas mazelas. Portanto, nunca vão ouvir um venezuelano, argentino ou cubano a falar mal e amaldiçoar brasileiros. E vão ver que a densidade da população brasileira se estima a mais de 202 768 562 de habitantes (dados de 2014)
Aquela nação onde a sua gente dizem que deus é brasileiro, não conseguiram até hoje gerar algum homem ou mulher que foi enobrecido de um Prix Nobel.
Venezuela tem: Baruj Benacerraf Premio Nobel de Fisiologia e Medicina en 1980
E Argentina tem quatro Prix Nobel.
Colômbia já tem quatro.
E Brasil ZERO, ZERO, ZERO. Os seus intelectuais são afinal analfabetos funcionais.

Loumari disse...

Meu Deus do céu, mas o brasilês mesmo este é o máximo.
Já em entre os anos 18 Mai 1773 // 16 Set 1848 um brasileiro de nome Marquês de Maricá
(Escritor/Filósofo/Político ) Deixou escrito como premonição:

"Os maldizentes, como os mentirosos, acabam por não merecer crédito ainda que digam verdades."

"Há muita gente infeliz por não saber tolerar com resignação a sua própria insignificância."

"O insignificante presume dar-se importância maldizendo de tudo e de todos."

"Os aduladores são como as plantas parasitas que abraçam o tronco e ramos de uma árvore para melhor a aproveitar e consumir."

"Os ingratos pensam minorar ou justificar a sua ingratidão, memorando com frequência os vícios e defeitos dos seus benfeitores."

"Os soberbos são ordinariamente ingratos; consideram os benefícios como tributos que se lhes devem."

"Os velhacos têm por admiradores todos os tolos, cujo número é infinito."

"Um povo corrompido não pode tolerar um governo que não seja corrupto."

"Os que falam em matérias que não entendem parecem fazer gala da sua própria ignorância."

"Ninguém se agasta tanto do desprezo como aqueles que mais o merecem."

Anônimo disse...

Tem gente que acredita que voltaremos um dia à Ordem e Progresso.
Agora é cada um por si e aqui e agora o máximo de prazer e felicidade.