sexta-feira, 24 de março de 2017

Atentado em Londres ou no Brasil?


“País Canalha é o que não paga precatórios”.

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Durante a Segunda Guerra Mundial o líder britânico disse a verdade a seu povo.

Prometeu-lhe apenas sangue, suor e lágrimas.

O casal real e suas filhas não abandonaram a cidade e suportaram com bravura, os mesmos bombardeios a que estavam submetidos seus súditos.

Não há solução indolor para o terrorismo islâmico.

Os fanáticos que almejam morrer na guerra santa não se intimidam com o perigo de perder suas próprias vidas; ao contrário, alguns se imolam.

Assim, um ultimato deve ser eficaz:

“Se houver novo atentado, Medina será riscada do mapa; no seguinte, Meca”.

Foi assim com Hiroshima e Nagasaki. O terceiro alvo seria Tóquio.
Sem dúvida há o risco de um ataque nuclear contra uma ou mais cidades européias, em represália.

Milhões de inocentes morrerão, mas o mal terá sido cortado pela raiz. Os sobreviventes poderão retomar suas vidas dignas e tranquilas após chorarem seus mortos.

Se não fosse Carlos Martel não haveria a civilização ocidental.

Séculos antes, ela foi salva pelos gregos nas Termópilas e em Salamina.

Em seu livro com o nome desta última batalha, o autor Javier Negrete, logo nas primeiras páginas, mostra uma cena sobre a educação das crianças em Atenas.

Com suas palavras, o mestre lhes ensina que o bem supremo é a verdade.

O frouxos pseudo-líderes modernos mentem para o povo e para si mesmos.

Não há contemporização possível.

É como enfrentar-se com um tigre; ou você o mata ou será devorado.

A pior e mais crua verdade é melhor que a mais doce mentira.

“Por São João!”

Fonte: "Salamina" ISBN: 9788542201031

Aqui no Brasil, o atentado é outro: querem tungar os precatórios e aumentar ainda mais os impostos...


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

8 comentários:

Anônimo disse...

quarta-feira, 22 de março de 2017
http://resistenciademocraticabr.blogspot.com.br/
Governo diz que faltam R$ 58 bilhões para fechar orçamento e deve elevar tributos
Anúncio foi feito após governo reduzir de 1% para 0,5% a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2017, o que implica arrecadação menor.
Por Alexandro Martello
G1, Brasília
O Ministério do Planejamento informou nesta quarta-feira (22) que há uma "deficiência" de R$ 58,2 bilhões no Orçamento de 2017 em relação aos valores necessários para se atingir a meta fiscal deste ano, que já prevê um déficit de R$ 139 bilhões – ou seja: para conseguir fechar o ano com um déficit de R$ 139 bilhões, conforme o previsto na Lei Orçamentária, o governo necessitará obter mais R$ 58 bilhões.


Para isso, as alternativas são aumento de impostos, bloqueio de despesas ou venda de ativos (bens). Segundo o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, há "uma grande possibilidade" de elevação de impostos.


Em anos anteriores, o governo simplesmente anunciava nesta época do ano um corte no Orçamento como meio de reduzir o déficit. Agora, informaram os ministros Meirelles e Dyogo Oliveira (Planejamento), não haverá corte (ou "contingenciamento", segundo o jargão oficial) de imediato.
CONTINUA...

Anônimo disse...


http://resistenciademocraticabr.blogspot.com.br/ CONTINUA II
Antes disso, Meirelles disse que o governo aguardará a confirmação de estimativas de receitas extras a fim de definir o valor do corte e se haverá necessidade de aumentar impostos – e de quanto será esse eventual aumento. Ele antecipou, porém, que o corte será inferior a R$ 58,2 bilhões.


De acordo com o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, o governo quebrou nesta ano a tradição de divulgar o corte de gastos em 22 de março porque há uma "condição muito particular" em 2017.

"É muito particular e sem precedente. Há uma outra questão que é o entendimento do TCU e nosso de só incluir aqui as receitas efetivamente objeto de atos já tomados e já efetivados. O que é uma mudança em relação ao passado. São duas questões que não tem precedentes anteriores e que levam a uma tratativa um pouco diferenciada", disse ele.

Por que existe o rombo

O rombo no orçamento, cujo valor foi anunciado nesta quarta-feira, refere-se ao esforço do governo terá que fazer, por meio do corte de gastos, alta de tributos ou venda de ativos, tentar cumprir a meta fiscal fixada para este ano, que é de déficit (despesas maiores do que receitas) de até R$ 139 bilhões para suas contas. Esse conta não inclui os gastos com o pagamento de juros da dívida pública.CONTINUA....

Anônimo disse...


http://resistenciademocraticabr.blogspot.com.br/ CONTINUA III


Essas ações são necessárias porque o país deve crescer em 2017 menos do que o previsto inicialmente pelo governo. Com isso, a arrecadação federal com impostos e tributos também será menor que a esperada. Para compensar a frustração nas receitas, o governo corta gastos.

Mais cedo, nesta quarta-feira, o Ministério da Fazenda confirmou que o governo baixou de 1% para 0,5% sua estimativa de crescimento da economia brasileira neste ano. A nova previsão está em linha com a estimativa do mercado financeiro. O orçamento deste ano, até então, continha uma previsão maior ainda de alta do PIB: 1,6%. O que gera a necessidade de um ajuste maior na peça orçamentária.

22/03/2017


Medidas para reequilibrar as contas

Para a retomada da confiança na economia brasileira e a melhora do nível de atividade econômica, o ministro Henrique Meirelles, tem dito que é importante reequilibrar as contas públicas. CONTINUA....

Anônimo disse...


http://resistenciademocraticabr.blogspot.com.br/ CONTINUA III


Essas ações são necessárias porque o país deve crescer em 2017 menos do que o previsto inicialmente pelo governo. Com isso, a arrecadação federal com impostos e tributos também será menor que a esperada. Para compensar a frustração nas receitas, o governo corta gastos.

Mais cedo, nesta quarta-feira, o Ministério da Fazenda confirmou que o governo baixou de 1% para 0,5% sua estimativa de crescimento da economia brasileira neste ano. A nova previsão está em linha com a estimativa do mercado financeiro. O orçamento deste ano, até então, continha uma previsão maior ainda de alta do PIB: 1,6%. O que gera a necessidade de um ajuste maior na peça orçamentária.

22/03/2017


Medidas para reequilibrar as contas

Para a retomada da confiança na economia brasileira e a melhora do nível de atividade econômica, o ministro Henrique Meirelles, tem dito que é importante reequilibrar as contas públicas. CONTINUA...

Anônimo disse...

http://resistenciademocraticabr.blogspot.com.br/ CONTINUA IV

O governo já conseguiu aprovar no Congresso uma proposta de emenda constitucional que institui um teto para os gastos públicos por um período de 20 anos. A proposta prevê que a medida pode ser revista a partir do décimo ano de vigência.


De acordo com analistas do mercado financeiro, a proposta, embora tenha impacto maior nas contas públicas no médio e longo prazos, tem pouca influência para melhorar o resultado em 2017.


Outra medida de ajuste já proposta pelo governo é a da reforma da Previdência Social. Ela institui idade mínima de 65 anos para homens e mulheres terem direito à aposentadoria pelo INSS.

Cinco anos de contas no vermelho

Se o cenário para as contas públicas previsto pelo governo e pelo mercado se concretizar, serão pelo menos cinco anos consecutivos com as contas públicas no vermelho.


O governo vem registrando déficits fiscais desde 2014. Em 2015, o rombo, de R$ 114,9 bilhões, foi recorde e gerado, em parte, pelo pagamento das chamadas "pedaladas fiscais" - repasses a bancos oficiais que estavam atrasados.


Para 2016 e 2017, a meta é de rombos bilionários nas contas públicas e, nos últimos meses, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, declarou que espera que o país volte a registrar superávit primário (receitas com impostos superiores às despesas, com sobra de recursos) somente em 2019. CONTINUA...

Anônimo disse...

http://resistenciademocraticabr.blogspot.com.br/ CONTINUA V E TERMINA

A consequência de as contas públicas registrarem déficits fiscais seguidos é a piora da dívida pública e aumento das pressões inflacionárias - que estão contidas nesse ano por conta do cenário de baixo nível de atividade.


Por conta do fraco desempenho da economia e da piora do endividamento, o Brasil já perdeu o chamado "grau de investimento" - uma recomendação para investir no país -, retirado pelas três maiores agências de classificação de risco (Standard & Poors, Fitch e Moody´s).
PS - EM VEZ DE PREVARICAR E FICAR FAZENDO FOFOCA NOS BASTIDORES O MERDELES DEVERIA SOMENTE FAZER SEU SERVIÇO QUE E A COLETAGEM DOS IMPOSTOS E VERIFICAÇAO DO QUE ESTA ACONTECENDO COM SUAS EXCRESCENCIAS. QUEM ENRICOU RAPIDO. QUEM GANHOU E NAO DEMONSTROU QUE GANHOU. QUEM ESTA GASTANDO ACIMA DE SUAS POSSES E NAO MOSTRA DE ONDE VEIO O DINHEIRO. SE ELE TIVESSE FAZENDO O SEU SERVIÇO, JA TERIA QUESTIONADOS A VARIAS OTORIDADES DE PLANTAO PORQUE TEEM FORO PRIVILEGIADO DE ONDE VEM TANTO DINHEIRO PARA A FARRA DO BOI DIARIA FEITA COM OS DINHEIROS DE SUOR E MORTE DOS BRASILEIRINHOS QUE ESTAO CAVANDO UM JEITO DE CONTINUAREM VIVOS ATRAZ DA SELVA DE PEDRA EM QUE SE TRANSFORMOU O PAIS POR INERCIA DO MERDELES NO PASSADO QUANDO FOI ASSALTANTE DE BANCOS COM O NOVE DEDOS E AGORA COM O VISIONARIO VAGABUNDO SABUGO DA NAÇAO TEMER. QUANDO VAI ACABAR OS ACORDOS E CONCHAVOS NOS BASTIDORES DOS IMUNDOS HIPOCRITAS VENDILHOES DA PATRIA SOBRE A RESPONSABILIDADE DE MERDELES E BANCOS QUE ESTAO FACILITANDO A TRAFICANCIA DO PODER E OS VAGABUNDOS DOS SUPREMOS BESTEIROL FEDERAL E ELEITORAL QUE ESTA TOMADO PELA GANG. LEVANDO WISK, TOFFOLI, GILMAR MENTES E ASSEMELHADOS QUE SAO OS CARIMBADORES E ENTERRADORES DOS MAL FEITOS DO PAIS. TEMOS QUE LIMPAR A FOSSA ABERTA CHAMADA TRES PODERES E PARA ISSO SO UMA INTERVENÇAO CIVICA CIVILIZATORIA SEM PARTIDOS NO MEIO, SEM ONGS, SEM EMPRESARIOS, SEM SUPREMOS BESTEIROL. SOMENTE ZE POVAO E OS MOROS TODOS ELES QUE ENTRARAM PELA PORTA DA FRENTE DA JUSTIÇA BRASILEIRA E QUE SAO CIDADAOS PROBOS DO PAIS. AVANTE ZE POVAO. MOSTRE SUA CARA NO DOMINGO. ATE OS MORTOS DEVEM COMPARECER O JUIZ MORO E TODOS OS MOROS DECENTES DA JUSTIÇA BRASILEIRA VAO SE LEVANTAR PARA DEFENDER A NAÇAO. TIREM O RABO DO SOFA E NAO PERMITAM POR UM SEGUNDO A MERDIA PORCA DOS TRES PORQUINHOS MARINHOS ENTRAR NA NOSSA BRIGA ELES FAZEM PARTE DA IMPRENSA MARRON DO SECULO VINTE E QUEREMOS NO SECULO VINTE UM O PAIS E TODAS AS INSTITUIÇOES FORTES DE DE CREDIBILIDADE. POR FALAR NISSO MERDELES COMO ESSES FRIGORICOS ARRANJARAM DINHEIRO PARA IR PARA A FRENTE? VOCE DEVE SABER COMO O LULA LADRAO FEZ A OPERAÇAO VIGARISTA DE TRANSFERIR DINHEIRO DO BNDS A FUNDO PERDIDO PARA INJETAR NESTAS CORPORAÇOES FRIGORIFICOS, SAUDE E EMPRESARIOS QUE VEM ASSOLANDO E ROUBANDO NOSSA NAÇAO. SE AINDA NAO OS PEGOU COMO UNCLE SAM QUE PEGA ATRAVEZ DO IMPOSTO DE RENDA E PORQUE E CONIVENTE. A VERDADE E SO UMA NINGUEM PODE MANDAR DINHEIRO PARA FORAM SEM O AVAL DOS MINISTROS E MUITO MENOS SEM O AVAL DA MINISTERIO DA FAZENDA. EM VEZ DE IR ATRAZ DO POBRE DO CONTRIBUINTE QUE ESTA MORTINHO DA SILVA VAI ATRAZ DOS DA SILVA QUE ESTAO GASTANDO A RODO E NINGUEM DIZ DE ONDE VEM ESSE BENDITO DINHEIRO. AJUDE O JUIZ MORO OU MORRA COM OS TRAFICANTES DO PODER QUE ESTAO TOMANDO CONTA DO COBRE. ABAIXO OS TRES PODERES DOMINGO. AQUI. AGORA.JA . ZE POVAO EXIGE A SAIDA DE TODOS ATE QUE SE PROVE O CONTRARIO. TODOS ESTAO NAO MESMO BARCO QUEM FEZ E QUEM SE OMITIU. FALEI.

Anônimo disse...

Bravo Mantiqueira, bravo! (aplausos!!!)
Quanto à situação tupiniquim não tem jeito com essa nossa"oncinha dengosa"....
Já sugeri e repito:
1) ou se importam alguns generais egipcios ou tailandeses, ou
2) se declara guerra aos EUA; seremos rapidamente anexados como mais um estado americano....ai a decência e a vergonha na cara serão restauradas pelos gringos.
O que acha das idéias?
Clóvis Zeckel

Anônimo disse...

Aumentar impostos por meta? Deve ser a meta que a ex-presidenTA Dilma falava tanto??? Eles já "meteram" a faca e querem que "meta" mais?