quinta-feira, 16 de março de 2017

Autodefesa x Autofagia


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Henrique Abrão e Laércio Laurelli

O tabuleiro do xadrez e não dos xadrezes pelo qual caminha a maioria da nossa classe política está a revelar uma dialética entre autodefesa refratária à autofagia,numa tempestade perfeita,verdadeira simbiose daquilo que se passa no Brasil. Quanto mais chega o fogo perto
das autoridades políticas, seus caciques,mais tentam se defender e procurar meios tortuosos divorciados da soberania popular e do ambiente da sociedade civil.

Sobrará algum político para contar história ou se candidatar às próximas eleições, depois do emaranhado complexo de atingimento de nomes a cargo da Procuradoria Geral da Republica? Ninguém pode ousar a responder, mas os nossos políticos legislam em causa própria,desafinam no processo de tramitação das dez medidas anticorrupção e criam um mecanismo tenebroso de proteção ao caixa 2. Tudo isso, naturalmente, somente poderá desaguar numa revolta popular sem precedentes.

Renunciem todos coletivamente e convoquem eleições diretas,assumindo o compromisso que não irão se candidatar até o momento que a justiça se pronunciar sobre a culpabilidade ou não do agente. O que não podem e nem devem é criar uma capa, blindagem, autodefesa que consubstancia, paulatina autofagia que destruirá todos os tentáculos da classe que desassombra e provoca rapinagem num autentico crime complexo e continuado.

A promiscuidade entre público e o privado ultrapassou todos os limites e a conta será paga por nós contribuintes. Uma questão séria, pagamos um imposto caro pois que a propina é excessiva e exacerbada. Querem defenestrar direitos previdenciários e trabalhistas, a inflação come solto e os salários arrochados, empresas em recuperação judicial ou quebradas, a isso se soma o estado falimentar de muitos estados e centenas de municípios.

A reconstrução da federação é deveras muito complicada, enquanto a destruição da república sucedeu em razão do seu definhamento e da esquelética forma de como se faz a administração dos recursos destinados ao fisco. Pagamos um IPTU muito elevado sem contrapartida, um IPVA excessivo com ruas esburacadas,semáforos que não funcionam, carros que parecem trafegar numa gangorra pulando para todos os lados da via pública.

O tamanho do Estado está sendo reduzindo por causa d roubalheira generalizada e empresas públicas e paraestatais serão fechadas, já que não há verba e o gasto desmesurado em torno da propina engoliu a vida pública nacional. As empresas privadas somente conviviam com vantagens de isenções fiscais e regimes de tributação que se lhes favorecessem de modo privilegiado, a partir de um consumo artificial por meio de consignados e empréstimos feitos em folha, tudo isso foi para o brejo.

Agora é preciso acordar e constatar que o dinheiro não nasce na via pública ou em arvores. O déficit do estado brasileiro é estrondoso e as empresas privadas avançam com inúmeras dificuldades, haja vista que o consumo está esvaziado com o endividamento de milhões de brasileiros e sucateamento de milhares de empresas. Enquanto isso prossegue em Brasília a operação de investigação.

Não há dúvida no sentido de que a classe política está arranhada, maculada e sem autoridade alguma para se conservar ou preservar no poder. Ao que tudo indica uma verdadeira metralhadora fora preparada para atirar para todos os lados, alcançando indistintamente todos, e os nossos políticos invocam o princípio da inocência e de se averiguar até os finalmente, já que depositam plena e integral esperança na justiça,no tardio pronunciamento do nosso glorioso Supremo Tribunal Federal.

Não há estabilidade política alguma e mais de 300 investigações serão abertas. Agora deveremos esperar com mais de uma década até que a poeira abaixe e conhecemos a fundo todas as mazelas desse nó górdio entre o caixa 2,as doações e o fim do sigilo dessa investigação. A sociedade anseia em conhecer, um a um, todos os nomes  e ambiciona virar essa página negra da história, na qual um corrupção é substituída no dia seguinte por uma macrocorrupção e com tudo isso a governabilidade  está solapada e o arrastamento da sociedade civil para um abismo monumental.

Enquanto isso nossos políticos se vangloriam da suas condições e dos cargos ocupados, por meio do foro privilegiado, mas se fossem tão inocentes como propalam, abririam mão do privilégio e logo teriam uma decisão à altura do que fizeram.

Bem assim quanto mais se autodefendem com medidas impopulares, mais se arriscam num processo de autofagia de irem para guilhotina da vida política entregando seus pescoços para degola popular, tamanha a irritação, o espanto e a exclamação tamanha a vergonhosa e deletéria conduta da classe política ao longo da última década.


Carlos Henrique Abrão (ativa) e Laércio Laurelli (aposentado) são Desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo.

3 comentários:

Anônimo disse...

Esses dois VAGABUNDOS não tem o que fazer não? Sugiro fazerem um artigo sobre o golpe que essa magistratura bandida da na sociedade brasileira com a canalhice Aposentadoria Compulsória pra juiz que usa o cargo pra cometer crimes. Agora publique o comentário Serrão, o grande safado da MAÇONARIA que lava dinheiro com doações de oficiais corruptos das forças armadas!

Anônimo disse...

BOM MESMO SERIA SE EXISTISE UMA POLICIA ESPECIALIZADA PARA POR FIM NA MAFIA DO JUDICIARIO, ELA COMEÇA NO MENOR MUNICIPIO E CHEGA ATÉ AO STF... O JUDICIARIO ALÉM DAS SABOTAGENS, INCOMPETENCIA E CORRUPÇÃO AINDA RECEBE RECOMPENSAS POR SEUS CRIMES... CAPACHOS DA MAÇONARIA...

Anônimo disse...

Os brasileiros não aguardará o julgamentos sem fim...2018 vem ai; investigado ja esta condenado e isto sera mostrado e repassado nas redes sociais. Se nao houver uma resposta clara do judiciario, o pacto federativo se quebra perante a desobediencia civil.