quarta-feira, 22 de março de 2017

Gírias utilizadas na Aman


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos I. S. Azambuja

Duvido que alguém descubra quem é o autor...

------------------------

Abostar = estar cansado
Abrir-se = rir.
Acoxambrar = ficar de corpo mole, moleza, encobrir falta ou transgressão.
Afim = cadete do 3º. Ano.
Agasalhar = conformar-se com uma situação. Abraçar, no sentido de aceitar uma situação.
Aloprar = brigar, discutir. Alteração.
ANUS = avião nunca utilizado em serviço (avião doado pela FAB existente na AMAN).
Arataca = nordestino.
 Nortista, cabeça-chata.
Arcabuzar = pegar para si, expropriar, requisitar.
Arrego = fala-se a alguém que não executou algo bem, fácil. Expressão de desaprovação, desapontamento.
Augustíssimo = título que se dá ao cadete do 4º. Ano.
Avançar o logaritmo = dar o número.
Azulão = uniforme de gala azul ferrete.
Badaloso = afeminado.
Bagulho = mulher feia.
Baleiro = aluno da Escola Preparatória de Cadetes. A palavra se origina da semelhança entre o uniforme do aluno e o do vendedor de balas no cinema da Academia.
Banquinho = aula ou instrução teórica.
Barbada = coisa fácil de fazer. Dica do que vai cair na prova.
Barro = dar-se mal. Exemplo: Se você não estudar, vai pro barro; se não se preparar: barro!
Baseado = é o “bicho” (cadete do primeiro ano), que se julga no direito de contestar os cadetes dos demais anos. O cadete que não se submete aos dos demais anos.
Bastião = um dos morros do campo de instrução.
Beconizar = piruar conceito
Bicharada = o primeiro ano.
Baba ovo = puxa-saco, bajulador. Os oficiais não colocavam suas roupas em malas, mas em sacos durante as viagens. Mas quem carregava, obedientemente, a bagagem para cima e para baixo eram os soldados. Puxar esses sacos virou sinônimo de subserviência. E o puxa-saco passou a definir todos que bajulavam superiores ou qualquer outra pessoa.
Bobinado = enrolado, atrapalhado.
 
Bicho = na Escola da Praia Vermelha os veteranos chamavam os que eram admitidos de seres ignorantes, verdadeiros bichos, animais. Daí o termo que se refere ao cadete do primeiro ano.
 
Bivaque = Acampar sem barracas, somente com a capa de chuva.
Bisonho = pessoa que faz coisa errada, sem instrução. Quem erra muito. Novato, que erra tudo.
Bizu = dica (É bizu levar bússola? É bizu levar régua?). A palavra se origina do teorema de Bèzout,  sobre o número de interseções entre curvas algébricas. Diz a tradição que em uma prova da Escola da Praia Vermelha esse teorema cairia. Os alunos perguntavam o que iria cair e a resposta era: “quem quiser passar tem que saber o teorema de Bézout”. Daí bézout (bizu) significar o que vai cair na prova, o que é bom ter. Há outra versão:
 Os militares mais antigos sussurravam dicas nos ouvidos dos recrutas ("peixes") sobre como proceder para terem sucesso na caserna. Os comandantes observavam os atos, mas, de longe, só podiam ouvir aquela onomatopéia característica de cochicho "...bzbzbzu", dando assim origem ao termo bizu: "– Atenção, tropa! Não quero ouvir nenhum bizu aqui dentro!". OS: Acredito ser a primeira versão a mais plausível.
Bizuleu = é o anti – bizu.
Bobina = confuso, enrolado.
Bodosidade = coisas ruins, difíceis, com grande dificuldade.
Bodoso = difícil de resolver.
Bolha = a própria Academia, devido ao relativo isolamento dos cadetes, que são internos.
Bombeiro = aluno do Colégio Militar (devido ao vermelho do uniforme).
Bostejador = aquele que fala demasiadamente, faz discurso prolixo e sem nexo.
Bostejar = falar muito, dizer besteiras, falar demasiadamente e sem nexo.
Bostejo = fala prolixa, demasiada, sem nexo.
Brochante = Algo que desestimula. Qualquer liquido servido na ceia das 21 horas.
Bunda = buraco úmido negro defronte à AMAN.
Cadetina = moça que namora muitos cadetes. Moça que só quer casar com cadete.
 
Cagaço = medo.
Cagada = erro, papel ridículo.
Cagada de pau = o mesmo que cagada.
Cagar pro lance = não ligar, não dar importância, desprezar conseqüências.
Calouro = cadete do 2º. Ano.
Canga = companheiro num exercício.
Cangalha = equipamento individual do combatente.
Canguru = tipo de exercício físico utilizado para aquecimento ou provocar cansaço. Atualmente o canguru está proibido pela possibilidade de provocar lesões físicas.
Carrapato do diabo = reparo da metralhadora MAG.
Charuto do capeta = o tubo do morteiro 81 mm.
Cheio de verniz = cheio de melindres
Corrida do Saco = trazer o saco com o material novo (fardamento, etc) no início do ano em passo acelerado, do almoxarifado até a ala (normalmente para o primeiro ano).
Canhão = mulher feia.
Carangar = passar frio
Caroço = cadete que  monta mal a cavalo.
Carrapato do diabo = reparo da metralhadora MAG.
Carrapicho = morro do campo de instrução.
Cartear = no sentido de falar algo, qualquer coisa, com convicção e nenhuma certeza, na esperança de que esta resposta seja aceita. Chutar uma resposta. Falar uma coisa sem certeza.
Cassino = local de café, almoço e jantar de Sgt e Oficiais.
Catanho = O Ten. Cel. Moreira César, comandante da terceira expedição a Canudos, também conhecido como o corta-cabeças ou o treme-terra, incumbiu o segundo oficial mais antigo da expedição, o Ten Cel. Pedro Nunes Tamarindo, Comandante do 9º Batalhão de Infantaria, de realizar estudos para suprir as tropas durante o longo deslocamento. O Ten. Cel. Tamarindo, por sua vez, determinou a um militar de nome Catanho, não se sabe ao certo que posição hierárquica este militar ocupava, a missão de confeccionar um cardápio com os gêneros existentes no momento, principalmente farinha e carne seca, de forma que pudesse ser acondicionado em bornais e em seguida distribuída aos soldados. A refeição agradou tanto o paladar dos soldados que estes resolveram batizá-la de catanho.
 Em sua forma mais comum e rústica, consiste de uma mistura de farinha de mandioca torrada com óleo de soja, pedaços de carnesal, pedaços degoiabada acondicionada em sacos plásticos dispensando o uso de talheres, e deve ser consumida juntamente com a água do cantil para aumentar a sensação de saciedade. Essa mistura de farinha é também conhecida como farofão. Também pode consistir basicamente de um sanduíche, algumas frutas, chocolatesucos de frutas ou refrigerante.
Caveiroso = trotista, mau, difícil.
Caxiagem = exigência, rigor.
Caxias = rigoroso, crente, o que prima pela correção.
CC = Corpo de Cadetes.
 
Cerrar = usar coisas dos outros.
Choradeira = Granada de gás lacrimogêneo.
Chumbrega = mal feito, mal ajambrado, feio, ruim, de péssima aparência.
Cobertura = boina, quepe ou capacete. Qualquer tipo de chapéu que os militares usam.
Cobre e alinha = garota vesga.
Cobrear = estudar escondido, esconder o bizu.
CP3 = shopping de Resende. Há dois conjuntos principais na AMAN (CP1 e CP2).
 
Culhão = adereço colorido utilizado nos uniformes de gala, que serve para distinguir os anos (séries) que o cadete está cursando. O nome correto: cordão com palmatórias e borlas. Pode designar também aquele que não se intimida. Exemplo: Para ir para o Dragão (1º. RCG) tem que ter culhão!
Dep ou depe = aquele que ficou em dependência em alguma disciplina.
Derrancho = canga, companheiro num exercício.
Desembocar = ação de cumprir uma missão com muita desenvoltura, criatividade e oportunidade.
 
Desmanivrado = aquele que resolve os problemas rapidamente, com sucesso. Eficiente.
E = último da classificação, lanterninha.
ECD = em condições de
 
Ejetar = sair pela tangente
Embromar = fazer corpo mole, “enrolar”, não se esforçar.
Encagaçado = cadete que demonstra receio.
Encarnerar = seguir o outro sem saber o que está acontecendo.
Encaveirar = agravar, complicar, piorar.
Encornar = estudar, ler.
Engatilhado = tudo acertado, e na prática vai dar certo
Engrenado = tudo acertado, mas na prática não funciona
Enjambrar = passar o outro cadete na classificação.
Enquadrado = disciplinado.
Enquadrar = disciplinar, punir.
Enrolado = atrapalhado.
Enrolão = farsante, mentiroso, enrolador.
Enrolar = enganar, iludir.
Ensarilhar = abandonar a missão; deixar de estudar. A expressão origina-se de um comando de ordem unida: ensarilhar a arma é colocá-la em um dispositivo formado por três armas que se sustentam mutuamente.
Esporro = bronca.
Até a tampa = até o fim
Até o talo = até o fim
Azar militar = o imponderável.
 
Boca de Rancho = cadete que sempre está nas refeições, inclusive nos sábados e domingos.
Boca podre = missão difícil, ruim, que ninguém quer.
Estrume = indivíduo desclassificado, ruim, que não consegue fazer as tarefas, largado.
FAL = fuzil aparente leve (na realidade é fuzil automático leve).
FAP = fuzil assustadoramente pesado (na realidade é fuzil automático pesado).
Farândula = Grupo de pessoas reunidas desordenadamente. Reunião de agitadores. Aglomerado de baderneiros. Bagunça.
Felpa = coisa boa, tranqüila.
Felpuda = tem relação com a manta felpuda recebida pelo cadete para uso na cama das alas (apartamentos) =conforto, gostoso, coisa boa, bom.
Fraginha = garota todo mundo namora
Frango = os tenentes seriam os frangos – aqueles que querem mandar no terreiro, mas devem se subordinar a outras autoridades maiores, como os capitães, majores e coronéis. Depois passou a designação genérica do oficial que serve na AMAN.
Gabaritar = tirar grau máximo em uma avaliação, acertar tudo.
Gagá = estudo, cadete que estuda muito. Alguns usam o termo cepar = estudar muito.
Gagá do desespero = estudo de última hora.
Gagazeira = quebra-luz utilizado pelos cadetes que estudam depois do apagar das luzes dos apartamentos
Gaivota = escore, uma idéia. Correspondente a um determinado grau num item de uma prova.
Gandola =
 Blusão que compõe a parte superior do uniforme de instrução ou serviço.
GDH = Grupo Data Hora. Por exemplo, 270900Ago10. Traduzindo: Dia 27 às 09h00 do mês de agosto do ano de 2010.
Godói = morro do campo de instrução.
Golpe = ato de burlar, enganar, esquivar-se de um dever, obter vantagem.
Gravata = enguiço no mecanismo da arma. Pode ser também o que não gosta de exercícios no campo, o que não é combatente.
Guerreiro = soldado combatente. Forma de chamar o cadete.
Guimba = final do cigarro, “vinte”, “bituca”.
Jambrar = passar o outro na classificação
Jangal = má situação, dificuldade, “está no sanhaço”.
Laranjeira = cadete que mora em local distante e não viaja, que fica alojado no quartel. A expressão se origina de escola militar que ficava no Rio de Janeiro, onde havia pés de laranja que os cadetes que eram internos consumiam nas horas de intervalo.
Lavar = se dar bem na prova.
 
Leite (milk) = dica da prova. Ponto que vai ser verificado na prova.
Leiteiro = cadete do 3º ano de cavalaria. Por não usar espora seu uniforme se assemelha à roupa do leiteiro nos laticínios.
Macete = bizu, coisa que ajuda, facilita.
Maceteiro = livro do qual são tiradas questões de prova. Tudo o que pode facilitar alguma coisa.
Macetoso = cadete com muito jeito para resolver problemas. Previdente.
 
Macuco = morro do campo de instrução da AMAN.
Mafrudo = forte, briguento, guerreiro.
Majin boo = garota que todo mundo namora parecida com um personagem de desenho animado.
Marreta = crítica ou aquele que só critica.
Merda - maior edifício de Resende, depois da Academia.
Mijada = sermão do superior. Levar uma mijada quer dizer ser chamado à atenção.
Mistério = exagero, contar um caso exagerando as circunstâncias, mentira.
Mocorongo = desajeitado, enrolado, que tem dificuldade em fazer as coisas.
Moita = diz-se do cadete que quase não aparece, calado, o que faz segredo de sua situação.
Monstro = cadete do 1º. Ano, bicho.
Mucurento = fedorento
Muquiço: Quando alguém aparece com a farda amassada, com o coturno sem brilho.
N.B = não faz barras
N.C = não corredor;
Negão = qualquer pessoa. Exemplo – é isso aí, negão.
NN = cadete que não sabe nadar, não nadador.
P3M = garota pela qual todo mundo já passou.
Pagar = distribuir, dar, entregar. Tem o sentido também de elaborar prova fácil, pagar grau.
Papirar = estudar.
Papiro = notas de aula ou de instrução recebidas pelos cadetes.
Paraquedista = aquele que é incluído numa situação que está em andamento.
Parque = local onde era realizado o ensino profissional.
Pau = reprovação, insucesso no exame final.
Perna ou perninha= quem monta bem a cavalo
PH = papel higiênico. Pode ser também no sentido de dormir: rebater no PH.
PICA = pedaço inútil de concreto armado (obelisco existente em frente ao túnel). Pode ser também o grande namorador, conquistador.
Piruar = agir como um peru que rodeia seu terreiro buscando algo, piruar significa querer ou almejar alguma coisa, e empregar certo esforço em consegui-la, muitas vezes sub-repticiamente. Pode-se piruar uma nota melhor junto ao professor, ou pedir algo a algum amigo. Originalmente era empregado para alcançar o objetivo sem levantar suspeitas de quem tomaria a decisão. Piruar também tem o sentido de pegar emprestado. Pode também significar: se oferecer voluntária ou voluntariamente. O termo é empregado em outras escolas militares e já chegou ao vocabulário corrente.
Pirulito = tipo de sinalizador de segurança no estande de tiro, cuja forma lembrava um pirulito (redondo, com um lado em vermelho e outro branco).
 
Ponderar = fazer uma ponderação, justificativa, querer responder, teimar.
 
Postular = pagar embuste, falar o que não sabe
Pqd = pára-quedista. Aquele que entra em um situação por um atalho.
 
QSL = entendido, copiado. O termo originou-se do radioamadorismo.
Rancho = cozinha do quartel.
Rela = o mesmo que relação.
Rep ou repe = aquele que repetiu o ano (série).
Retão = Av. Duque de Caxias, que liga o Portão Monumental ao Conjunto Principal da AMAN.
Rolha = o que não é interessante, supérfluo, chato.
Sacovox = antigo sistema de comunicação existente entre o Estado – Maior da AMAN e as alas, que servia para dar avisos e chamar os cadetes. Vem da gíria um saco: chato, inconveniente.
Safo = esperto, malandro, que resolve os problemas. Desmanivrado,
Sangrar = sofrer
Sanhaço = situação instável, preocupante. Dificuldade.
Suga = grande esforço.
Sugado = Quando o cadete está muito cansado, está exaurido.
Surumbático = cansado.
Tampa = cobertura, qualquer tipo de chapéu utilizado pelos militares.
Torrar = anotar o cadete que comete uma transgressão (descumpre as normas).
Traíra = cadete que estuda escondido. O mesmo que cobrear.
Treva = aquele que não tem habilidade na prática de esportes e atividades físicas.
Trevas = coisa horrível
Três us = mais que urgetíssimo.
Trucidar = arrebentar, arrasar, diz-se isso geralmente das provas muito difíceis.
Trote = atividade salutar, dentro de limites razoáveis, outrora existente na Academia,  de interação social entre os cadetes do primeiro ano com os cadetes do terceiro e quarto anos.
Vagina = vasta área gramada inútil na AMAN.
Varado = sem rumo
Vinte = cigarro quase no fim. Explo: Piruei a vinte = quero fumar o restinho do cigarro.
Voador = cadete que esquece as coisas, não presta atenção.
Xerife = cadete chefe de turno em exercício.
Zaralho = bagunça, zorra.
Zumba = o cadete está cansado, zumbizado, cansado, extenuado.

Expressões utilizadas sobre o modo de falar e ser

Até a cintura = até o fim
Até a pleura = até o fim
Cadete.
= não entra: avança
= não pode: tem permissão
= não come: arrancha
= não dorme: tora
= não relaxa: acoxambra
= não adoece: baixa
= não anda: marcha sem cadência
= não desfila: marcha
= não estuda: papira
= não volta atrás: dá última forma
= não se arrasta: rasteja no 1ºprocesso
= não se agrupa: fica coberto e alinhado
= não se protege: fica coberto e abrigado
= não se esconde: camufla-se
= não tem tarefa: tem missão
= não tem carro: tem viatura
= não pratica esporte: pratica tfm (treinamento físico militar)
= não tem alarme: tem pda (plano de defesa do aquartelamento)
= não é burro: é bizonho
= não erra: c... o pau
= não vai embora: segue o destino
= não faz bagunça: toca zaralho
= não tem dica: tem bizu
Cobre mira = indivíduo pequeno, magro.
Coça saco = vagabundo, sem vontade de fazer as coisas.
Coisa rara = bicho, raridade, no sentido de ser diferente dos outros.
Dar o golpe = burlar regra, enganar.
 
Dar o Jack = dar o golpe (vem de João sem braço, daí Jack)
Dar sopa na crista = ficar exposto, aparecer. A palavra crista deriva da terminologia militar e significa ponto elevado de uma colina, chamada de crista, quando a silhueta do combatente fica visível contra a luz.
Deu delta = indeferiu.
Em QAP = na escuta. Deriva do código Q do radioamadorismo.
Encher os cornos = embebedar-se.
Entrar bem = ser punido.
Escalão girafa = alto comando.
Estar c... e andando = não se importar, não ligar, desprezar.
Estar nas bicas = á beira de uma promoção.
Estrela do Macário = estrela existente em frente do Conjunto Principal da AMAN. O nome origina-se de Macário, funcionário que cuidou por muito tempo desse jardim.
Fazer ombro arma = furtar, desapertar, retirar sem permissão do dono.
Fechar o escantilhão = passar o que vai cair na prova.
Guitarra do capeta = metralhadora MAG (metralhadora automática a gás).
Hora da tora - salutar horário de descanso, após o almoço, outrora existente na Academia.
Hora do pato = hora em que o cadete é ouvido sobre alguma alteração dada. O nome deriva de antigo programa de rádio no qual os calouros eram eliminados ao som de um grasnado de pato.
Juntar os cascos = ficar na posição de sentido, bater os calcanhares.
Ler o celotex = verificar avisos no quadro mural.
 
Limpar a namorada (ou neguinha) = dar manutenção e limpar o fuzil.
Loura rep = uma das moças que o cadete que namorasse ficaria repetente. Também designa a menina que namora muitos cadetes... fica repetindo, repetindo...daí rep.
Peguei uma vermelha = estar de serviço sábado ou domingo, ou nos feriados.
Peguei uma preta = estar de serviço qualquer dia 2a. a 6ª feira.
Madrugada e confusão = expressão usada principalmente pela Cavalaria, devido à necessidade de cuidar e alimentar os cavalos de madrugada, diariamente.
Maria Gasolina = garota que só namora cadete que tem carro.
Mensagem a Garcia = equivale a dizer isso é com você, se vire.  Significa que a missão foi dada mas a forma de executá-la é por conta do executor. (A História diz que quando começou a guerra entre Espanha e Estados Unidos o então presidente McKinley precisava fazer contato com um líder rebelde em Cuba, chamado general Garcia.   Então o presidente chamou um homem, um mensageiro chamado Rowan, e lhe deu uma carta para que fosse urgentemente entregue a Garcia. Esse mensageiro simplesmente pegou a carta e saiu, sem perguntar onde encontraria esse general. Mas ele procurou e encontrou, depois de muitas dificuldades, e conseguiu entregar a carta).
Meter bronca = dar início ao cumprimento de uma missão, com energia e determinação.
Meter os cornos = estudar.
Meter o gagá = estudar.
Meu peixe = significa meu protegido dentro do quartel.
No pau da goiaba = a coisa como ela realmente é.

Nomes dados pelos cadetes às refeições

O bom humor e as brincadeiras ajudam na manutenção do moral alto. E os cadetes usam desse bom humor em diversas ocasiões. Nas refeições, utilizam nomes pitorescos:
           
almôndegas = granadas
arroz = unidos venceremos
bife a milanesa = bife de japona
bife rolê = guarda – fecho.
carne cozida = carne de monstro
carne moída = boi ralado
cola de obréia = mingau
cozido de legumes = carnaval na zona
dobradinha = desastre na Dutra
doce de mamão = charco (as partes verdes sobre a pasta do doce parecem o charco)           
 
frango frito = frango de Chernobil (só tem asa e coxa)
gororoba ou grude = a comida, de modo geral.
guaraná = biodiesel
kaol = café com leite ou chocolate servido na ceia ou café da manhã.
mato = qualquer tipo de verdura servida na refeição.
mingau = cola de obréia
ovo frito = “zoiudo”
salsicha = sonho de virgem
sopa de legumes ou caldo verde = sopa de japona
suco vermelho = sangue de diabo ou sangue do calouro ou SNI = sabor não identificado
Papa gaivota - funcionário encarregado
 de revisar a contagem de escores nas provas. Faz a conferência das correções das avaliações, assegurando que o critério de correção seja igual para todos os cadetes.
Pega-loco (pega – louco) = abrigo verde oliva de algodão.
Pega lavrado = caramba, toma a sua merenda
Pica fumo = tenente. Origem da expressão: em tempos antigos, a maioria dos oficiais fumava cachimbo ou cigarro feito com fumo picado. Era comum dar a tarefa de picar o fumo para os oficiais mais novos: tenentes. Por extensão, os tenentes ficaram conhecidos pela alcunha de “pica fumo”.
Prega presa - diz-se do cadete que, por mais que treine ordem unida, não consegue um bom desempenho.
 
Pulinho de galo = tipo de exercício físico utilizado para aquecimento ou provocar cansaço. Proibido atualmente pela possibilidade de provocar lesões nos joelhos.
Pagar até morrer = exercícios físicos continuados e estafantes. Geralmente flexões de braço.
Pé de poeira = militares da Infantaria.
Peixe dourado = no lago da Academia onde há um chafariz, há peixes. O cadete que ver o peixe dourado ficará repetente (rep)
Quarenta por cento = depois de exaurido, o cadete ainda tem 40% de energia.
Quebec Foxtrot (QF) = queimar o filme. Desperdiçar oportunidade com uma garota.
Ralar o cepo = exercícios que se utiliza muito do processo de rastejar.
Segura que eu vou ali = brincadeira que os cadetes fazem com a estátua existente no monumento aos tenentes mortos em combate na Itália, integrando a Força Expedicionária Brasileira. O Tenente retratado no monumento porta uma carabina M1 e faz o gesto parecido com quem vai entregá-lo a alguém.
Seis enes = cadete que não nada nada, nem nunca nadará.
Se jogar nas cordas = entregar-se, desistir
Sentar na capichama = se dar mal.
Sentar no trono de ouriço = prestar contas ao superior, se dar mal.

Sobre o estudo:
           
O que o cadete do primeiro ano estuda: só o que não cai
           
O que o cadete do segundo ano estuda: o que cai e o que não cai
           
O que o cadete do terceiro ano estuda: só o que cai.
           
O que o cadete do quarto ano estuda: só cai o que ele estuda.

Tá osso = está difícil, está duro de realizar.
Tá voando = o cadete que não tem nada o que fazer ou que está desatento na aula ou instrução.
Tocar o rebu = fazer bagunça, bagunçar, agitar.
Tocar o zaralho = fazer bagunça.
Um aço = tinindo, em ótimas condições.
Última forma = da forma anterior. Para desfazer o que foi feito por último.
Vale grau = o que vale nota na prova, vale pontos para a classificação no final do curso. Já houve o caso de cadete que perguntava sempre: Vale grau? Vale grau? E acabou ficando com esse apelido.
Zero um = primeiro colocado em um dos cursos ou o primeiro colocado na turma de formação.
 
Zero último = último colocado na classificação dos cursos.
 
Você é meu bicho = você é mais moderno do que eu. (Os mais antigos têm prioridade sobre os mais modernos. Bicho é o mesmo que novato.)
Última forma = retiro o que eu disse, esquece o que eu falei. Volta ao estado de coisas original.


Carlos I. S. Azambuja é Historiador.

2 comentários:

Anônimo disse...

Em muitos ranchos por ai, tem um tal de suco "mágico". Um dia ele é amarelo, outro dia é vermelho, meio rosado,etc. O gosto é sempre o mesmo, só depende do "psicológico" de quem vai tomar para acreditar no sabor desejado.

Luciano Schunck disse...

Acredito que o "verbete" beconizar seria melhor escrito como PECONIZAR, relativo a PCon (Piruão de CONceito).