domingo, 5 de março de 2017

Hava Çaco!


“País Canalha é o que não paga precatórios”.

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Exímios cultores da última flor do Lácio, os jovens de hoje estranham
palavras, expressões e figuras de linguagem usadas no passado.

Escandalizam-se quando ficam sabendo da existência em Portugal, do Palácio do Buçaco.

Imaginam coisas picantes! Nunca este país será como dantes!

Diante de um resultado pífio, jamais ocorrer-se-lhes -ia a afirmação:

A montanha pariu um rato!

Até numa paródia a Camões, pensam rebarbativo e sem jeito,
dizer:

Ó tu que tens de humano o gesto e o peito; não me venhas de borzeguins ao leito.

Caídos em pecado, por ansiedade ou outra maldade, não se penitenciam.

Dobram a meta!

Como mula sem cabeça, botando fogo pelas ventas, está o nosso bel paese.

Como diria um sábio amador: Não há melhor namorado para uma jovem tímida e insegura, que o Saci Pererê. Ele jamais dar-lhe-á um pé na bunda, pois ele próprio cairá. Há filosofia mais profunda?

Emília, a boneca de trapo, cheia de macela, casar-se-á com o Marquês de Rabicó?

É melhor um porcino consorte ou ser o bobo da corte?

Tia Anastácia também está enrolada?

O Festival de Merda apenas começa.

O circunspecto cavalheiro só diz: “Homessa!”


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Nenhum comentário: