quarta-feira, 29 de março de 2017

Lava Jato, finalmente, chega aos “tribunais” de contas


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

A Lava Jato chega a um dos seus pontos de maior importância institucional no combate à corrupção sistêmica pelo “Governo do Crime Institucionalizado”. A operação “Quinto do Ouro” mandou a Polícia Federal prender cinco dos sete conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro. A Força Tarefa os acusa de cobrar propinas para ignorar ilegalidades em obras públicas ou por empresas de ônibus.

Tudo é fruto da delação premiada do ex-Presidente do TCE-RJ, Jonas Lopes de Carvalho. A Polícia Federal recebeu autorização judicial para prender, provisoriamente, os conselheiros Aloysio Neves (atual presidente), Domingos Brazão, José Gomes Graciosa, Marco Antônio Alencar e José Maurício Nolasco. No entanto, o grande alvo futuro da operação é o Presidente da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro.

O deputado Jorge Picciani é alvo de condução coercitiva para prestar depoimento. Todos foram denunciados por receber 1% de propinas na aprovação de obras com problemas, além de obterem vantagens indevidas a partir do controle do saldo excedente não utilizado pelos usuários dos bilhetes eletrônicos do RioCard. O esquema investigado, inicialmente, atinge o período de governo de Sérgio Cabral Filho (entre 2007 e 2014).

O fato de a Lava Jato chegar a um importante “tribunal” de contas tem relevância estratégica para o efetivo combate à corrupção. Os “tribunais de contas” não são órgãos do judiciário – conforme o nome, usado impropriamente, sugere. Na verdade, são órgãos auxiliares do Poder Legislativo. Indicações para os cargos vitalícios de “conselheiros” são uma das mais valiosas moedas de troca entre as cúpulas executiva e legislativa. Muitas irregularidades – e por que não dizer crimes – acabam legitimados ou perdoados pelo valioso voto dos poderosos responsáveis por fiscalizar a lisura das contas públicas.

Vingança programada

O Procurador-Geral da República Rodrigo Janot pode ter cometido um erro estratégico ao enviar à Câmara e ao Senado um projeto de lei sobre Abuso de Autoridade.

A maioria dos senadores e deputados tem a clara intenção de incluir magistrados e membros do Ministério Público nas punições previstas na nova legislação que punirá eventuais abusos cometidos pela máquina judiciária.

O intento de ferrar com juízes e promotores é uma vingança programada principalmente os enrolados em processos judiciais (sobretudo a Lava Jato).

A Comissão de Constituição e Justiça do Senado começa a analisar nesta quarta-feira o texto do senador Roberto Requião que pede punição para o “crime de hermenêutica” – supostos crimes de interpretação cometidos pelos juízes ou membros dos MPs.   



Terrorismo Democrático?

O corregedor nacional do Ministério Público, Cláudio Portela, instaurou processo administrativo disciplinar para apurar a conduta do servidor do Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte Guilherme Wanderley Lopes da Silva.

No último dia 24, na sede do MP/RN, o servidor invadiu uma reunião da qual participavam o procurador-geral de Justiça, Rinaldo Reis, e alguns membros e sua equipe, e efetuou diversos disparos.

Os disparos foram dirigidos contra o procurador-geral de Justiça, o procurador-geral adjunto de Justiça, Jovino Pereira, e o promotor de Justiça Wendell Beetoven Ribeiro Agra, tendo atingido os dois últimos.

Crime tipificado

De acordo com o corregedor nacional do MP, Cláudio Portela, as circunstâncias narradas indicam a prática das faltas disciplinares previstas nos incisos V, VI e VI do artigo 143 da Lei Complementar Estadual nº 122/1994, pelo técnico ministerial, sujeitando-o à sanção disciplinar de demissão.

Instaurado o processo, este deverá ser distribuído a um conselheiro relator, para a citação do servidor e a condução do PAD, ficando estabelecido o prazo de 90 dias para a sua conclusão.

O conselheiro Walter Agra definiu o episódio: “As instituições devem ser protegidas e respeitadas. Permitir ataques desse tipo beira as raias do terrorismo democrático”.

Promessa de greve geral

As centrais sindicais conclamam seus sindicatos filiados para, no dia 28, convocar os trabalhadores a paralisarem suas atividades.

O objetivo é emitir um “alerta ao governo de que a sociedade e a classe trabalhadora não aceitarão as propostas de reformas da Previdência, Trabalhista e o projeto de Terceirização aprovado pela Câmara, que o governo Temer quer impor ao País”.

As Centrais acusam Temer de desmonte da Previdência Pública e da retirada dos direitos trabalhistas garantidos pela CLT.
 

Na verdade, o que está por trás da bronca é pressionar Temer para que não aprove o fim do imposto sindical.

Releia nosso artigo: Temer atacará o Imposto Sindical? 


Juntos e misturados


Colabore com o Alerta Total

Os leitores, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente com o Alerta Total poderão fazê-lo de várias formas, com qualquer quantia, e com uma periodicidade compatível com suas possibilidades.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil.
Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

II) Depósito em Conta Poupança da Caixa Econômica Federal ou em agências lotéricas: 2995 013 00008261-7, em favor de Jorge Serrão.

OBS) Valores até R$ 9.999,00 não precisam identificar quem faz o depósito; R$ 10 mil ou mais, sim.

III) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

IV) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 29 de Março de 2017.

46 comentários:

Anônimo disse...

Depois dessa,o Editor poderia ainda nutrir alguma esperança que o Brasil um dia ainda "vai dar certo" ? Ora,se a corrupção já corre nas veias não só dos políticos e administradores públicos,mas também da própria Justiça e Tribunais de Contas, o que ainda faltaria para concluir que esse país não deu certo, e que deve imediatamente ser desmanchado para dar lugar à independência de cada região que possa e queira,como o SUL já está fazendo?-Sérgio A.Oliveira.

Anônimo disse...

O Brasil tem que dar um "DELETE" e Pedro Álvares Cabral começar de novo, mas diferente. O presidente Temer aceitou o "encosto" Dilma para participar das eleições,banqueteou-se com ela e agora acha que não tem nada com as despesas da campanha deles? Tão inocente!?

Anônimo disse...

Sabemos que o crime organizado quer tomar todos os postos de poder e dominar tudo. É assim em sindicatos, camelôs,condomínios e associações diversas. Na política não seria diferente e o grau de importância é maior. É o modo de operação deles. Porém, nós ainda temos brasileiros honrados, como o juiz Sérgio Moro. Não devemos deixar os mafiosos ganharem força e apoiar a todos os que aceitarem a encarar essa gente maléfica. Ou fazemos isso ou vamos encarar no dia a dia nossa família ser escrachada, debochada e assaltada.

Anônimo disse...

Ponto de Vista
A situação anda tão bizarra que há no Brasil um sindicato de funcionários de sindicatos

Que, claro, leva a vida na base do imposto sindical
O Antagonista descobriu essa e merecidamente chamou de piada pronta. Há um número tão excessivo de sindicatos no Brasil – fala-se em mais de 15 mil – que os funcionários dessas entidades criaram sindicatos próprios. O paulista se chama Sindicato dos Empregados em Entidades Sindicais do Estado de São Paulo.
Essas organizações vivem do imposto sindical, por isso discute-se muito o fim dessa farra com o dinheiro do trabalhador brasileiro. Há um projeto a ser discutido no governo Temer, mas tudo indica que será usado apenas para compra de apoio à reforma previdenciária – um problema muito mais sério, convenhamos.
De qualquer forma, já é um avanço debater o tema. Em outras épocas, e não faz muito tempo, a mera menção à ideia renderia o linchamento público de quem a defendesse.
O Antagonista

Anônimo disse...

Do blog IMPLICANTE
Gilberto Kassab disse que, se os Correios não fizerem cortes de gastos, serão privatizados

“É preciso cortar mais. Caso contrário, a empresa vai rumar para a privatização.”
Gilberto Kassab comanda o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações. Isso o permite falar em nome até mesmo dos Correios, estatal extremamente explorada durante a gestão Dilma, e hoje refém de um rombo bilionário. Cortes já foram feitos, agências estão sendo fechadas, mas o ministro explicou que medidas mais radicais precisam ser tomadas. Ou…
Ou a estatal fatalmente será privatizada. Confiram o que foi publicado na IstoÉ:
“Não há saída; é preciso fazer corte de gasto radical. O governo não tem recursos e não haverá injeção de recursos nos Correios. Todo o esforço deve ser feito para evitar a privatização dos Correios ou de partes dele. Eu reconheço os cortes de despesas que já foram feitos, mas é preciso cortar mais. Caso contrário, a empresa vai rumar para a privatização.”
O Implicante, que adora conta pública em dia, torce para que o dinheiro público seja melhor aplicado. Se de fato isso implicar em privatização dos Correios, que seja. Será menos uma estatal para a classe política brasileira destruir.

Anônimo disse...

Blog do Aluizio Amorim
quarta-feira, março 29, 2017
A NEFASTA AÇÃO ESQUERDISTA PODERÁ DEGENERAR EM GUERRA CIVIL NOS ESTADOS UNIDOS
O artigo que segue após este prólogo é meio longo porém imprescindível para compreender o que realmente está acontecendo nos Estados Unidos depois da eleição de Donald Trump. O escrito, recente, está publicado no tradicional e respeitado site conservador Frontpage. Seu autor é Daniel Greenfield, membro do Shillman Journalism do Freedom Center. Greenfield é um escritor de New York que se dedica ao estudo e análise sobre o radicalismo islâmico.
Neste texto que transcrevo abaixo ele apresenta uma vigorosa análise do que está acontecendo de fato no que concerne à política nos Estados Unidos, principalmente depois da eleição que levou Donald Trump à Presidência, arriscando uma sombria premonição: os esquerdistas que dominam o partido democrata e todo o establishment acenderam o estopim de uma guerra civil.
Vale a pena ler este artigo que jamais será publicado nos veículos de comunicação da grande mídia. Procuro, com este blog oferecer aos estimados leitores justamente aquilo que é escamoteado pela grande mídia. Seria um tolice repetir apenas o que é publicado pela dita mainstream media. Sobretudo no que respeita ao noticiário internacional que mais desinforma que informa realmente o que está ocorrendo. E, no caso norte-americano, o que de fato está acontecendo é lamentavelmente noticiado pelos jornalistas da grande mídia sob as poderosas lentes do esquerdismo delirante. Oxalá fosse apenas delirante. Na verdade todo o noticiário, análises e comentários referentes aos Estados Unidos e Europa veiculados pela grande mídia não refletem a verdade dos fatos. E mais do que isso, levam os leitores e telespectadores a formarem um juízo completamente equivocado sobre os acontecimentos. CONTINUA...

Anônimo disse...

Blog do Aluizio Amorim continua II
Todavia, a verdade dos fatos se impõem. E os fatos não são bons porque podem degenerar numa guerra civil nos Estados Unidos. Dada as dimensões e a importância econômica e geopolítica do gigante norte-americano, a consumação desse funesto prognóstico teria impacto global de devastação incomensurável.
E, como não poderia deixar de ser, é o totalitarismo ideológico do neocomunismo do século XXI que pode levar ao desastre de uma III Guerra Mundial. Por enquanto essa guerra já existe no plano cultural. Mas como essa estratégia está sendo desbaratada com a ascensão de Donald Trump e com a saída do Reino Unido das garras da União Europeia, a peste esquerdista não hesitará em matar, matar e matar. E a história está aí para comprovar que o esquerdismo consegue ser pior que as piores pestes que já acometeram a humanidade.
Recomendo portanto que leiam o artigo que segue e compartilhem. A informação é a principal arma para evitar o pior. Fiz a tradução do inglês com o apoio de tradutor online e posterior copydesk. Mas meus conhecimentos do inglês não são suficientes para uma tradução de primeira linha. Continuo estudando, mas não é moleza. Leiam:

A GUERRA CIVIL ESTÁ AQUI
Uma guerra civil começou.
Esta guerra civil é muito diferente da última. Não há cargas de canhões ou cavalaria. A esquerda não quer se separar. Quer governar. Os conflitos políticos tornam-se guerras civis quando um lado se recusa a aceitar a autoridade existente. A esquerda rejeitou todas as formas de autoridade que não controla. CONTINUA...

Anônimo disse...

Blog do Aluizio Amorim continua III
A esquerda rejeitou o resultado das duas últimas eleições presidenciais ganhas pelos republicanos. Rejeita a autoridade judiciária da Suprema Corte quando as decisões não estão de acordo com sua agenda. Rejeita a autoridade legislativa do Congresso quando não é dominada pela esquerda.
Rejeitou a Constituição há tanto tempo que dificilmente menciona.
Foi para a autoridade executiva unilateral total sob Obama. E agora cabe aos Estados decidirem unilateralmente quais leis seguirão. (Enquanto isso envolve desafiar as leis de imigração sob Trump, não seguindo-as sob Obama.) Foi para a autoridade sacrossanta do Senado quando ele manteve a maioria. Em seguida, criticou o Senado como uma instituição ultrapassada quando os republicanos assumiram.
Foi para Obama desafiar as ordens dos juízes federais, não importa o quão bem fundamentado na lei existente, e serve para os juízes federais anularem qualquer ordem por Trump em qualquer motivo que seja. Foi para Obama punir os denunciantes, mas agora, para minar o governo de dentro, tornou-se "patriótico".
Não há nenhuma forma de autoridade legal que a esquerda aceite como uma instituição permanente. Só utiliza formas de autoridade seletivamente quando as controla. Mas quando os funcionários do governo recusam as ordens do governo devidamente eleito porque sua lealdade é para uma ideologia cuja agenda está em conflito com o presidente e o Congresso, isso não é ativismo, protesto, política ou desobediência civil; É traição.
CONTINUA...

Anônimo disse...

Blog do Aluizio Amorim Continua IV
Depois de perder o Congresso, a esquerda consolidou sua autoridade na Casa Branca. Depois de perder a Casa Branca, a esquerda mudou seu centro de autoridade para juízes federais e funcionários do governo não eleitos. Cada derrota levou os democratas radicalizados a mudarem de instituições mais democráticas para instituições menos democráticas.
Isso não é apenas hipocrisia. Esse é um pecado político comum. Hypocrites manobra dentro do sistema. A esquerda não tem lealdade ao sistema. Ela não aceita leis diferentes das ditadas por sua ideologia.

LOUCURA IDEOLÓGICA
Os democratas tornaram-se radicalizados pela esquerda. Isso não significa apenas que eles perseguem todos os tipos de políticas ruins. Isso significa que a sua primeira e mais importante fidelidade é uma ideologia, não a Constituição, nem o nosso país nem o nosso sistema de governo. Todos esses são apenas para ser usado como veículos para a sua ideologia.
É por isso que o compromisso tornou-se impossível.
Nosso sistema de governo foi projetado para permitir que diferentes grupos negociassem suas diferenças. Mas essas diferenças deveriam basear-se em encontrar interesses compartilhados. O mais profundo desses interesses compartilhados era o de um país comum baseado em certos valores civilizacionais. A esquerda substituiu essas idéias fundadoras por noções e princípios radicalmente diferentes. Rejeitou a importância primordial do país. Como resultado, ela compartilha pouco em termos de interesses ou valores. CONTINUA...

Anônimo disse...

Blog do Aluizio Amorim continua V
Em vez disso, recuou para enclaves culturais urbanos e suburbanos, onde centralizou enormes quantidades de poder, desconsiderando os interesses e valores da maior parte do país. Se os considera, está convencido de que eles desaparecerão em breve para serem substituídos por imigrantes que se conformam e esquerdistas universitários que formam uma maioria demográfica permanente para sua agenda.
Mas não poderia esperar tanto tempo porque é animada pela convicção de que reforçar suas idéias é urgente e inevitável. E assim transformou o que tinha sido uma transição escondida em uma ruptura aberta.
Na transição oculta, suas figuras de autoridade haviam seqüestrado a lei e todos os cargos políticos que ocupavam para perseguir sua agenda ideológica. A esquerda tinha usado seu vasto poder cultural para fabricar um consenso que estava lentamente transitando o país dos valores americanos para seus valores e agendas. O direito tinha-se revelado largamente impotente diante de um programa que corrompia e subvertia de dentro.
A esquerda teve enorme êxito neste aspecto. Foi tão bem sucedida que perdeu todo o senso de proporção e decidiu abrir suas opiniões e lançar uma luta de poder político depois de perder uma eleição.
Os democratas não estavam mais sendo injetados lentamente com ideologia de esquerda. Em vez disso, a esquerda assumiu abertamente e exigiu lealdade às fronteiras abertas, à política de identidade e ao fanatismo ambiental. O êxodo dos eleitores acabou com os democratas em grande parte do que a esquerda considerou país de passagem aérea.
CONTINUA...

Anônimo disse...

Blog do Aluizio Amorim continua VI
A esquerda respondeu às derrotas democráticas recuando mais profundamente em instituições não democráticas, seja a burocracia ou a mídia corporativa, ao mesmo tempo que dobra seu radicalismo político. Agora, está desafiando abertamente o resultado de uma eleição nacional usando uma coalizão de burocratas, corporações, funcionários não eleitos, celebridades e repórteres que se baseiam fora de seus enclaves culturais e políticos.
A esquerda respondeu a uma eleição perdida construindo “cidades e estados santuários” transformando assim uma secessão cultural e ideológica em uma secessão legal. Mas enquanto os secessionistas querem ser deixados sozinhos autoritários querem que todos sigam suas leis. A esquerda é um movimento autoritário que quer cumprimento total com seus ditames com punições severas para aqueles que desobedecem.
A esquerda descreve suas ações como princípios. Mas, mais precisamente, eles são ideológicos. Funcionários de vários níveis de governo rejeitaram a autoridade do Presidente dos Estados Unidos, do Congresso e da Constituição porque estes estão em desacordo com sua ideologia radical. Os juízes dissimularam essa rejeição na lei. Prefeitos e governadores nem sequer fingem que suas ações são legais.
As escolhas desta guerra civil são dolorosamente claras.
Podemos ter um sistema de governo baseado em torno da Constituição com representantes democraticamente eleitos. Ou podemos ter um baseado nos princípios ideológicos da esquerda em que todas as leis e processos, incluindo as eleições e a Constituição, são folhas de figo para reforçar a justiça social.
Mas não podemos ter ambos.CONTINUA....

Anônimo disse...

Blog do Aluizio Amorim continua VII
O QUE PODE ACONTECER?
Algumas guerras civis acontecem quando um conflito político não pode ser resolvido no nível político. Os realmente maus acontecem quando um conflito político irresolúvel se combina com um conflito cultural insolúvel.
Isso é o que temos agora.
A esquerda deixou claro que não aceitará a autoridade legítima do nosso sistema de governo. Não aceitará o resultado das eleições. Não aceita essas coisas porque estão em desacordo com sua ideologia e porque representam a vontade de grandes porções do país que desprezam.
A questão é o que vem a seguir.
A última vez em torno de tensões crescentes começou a explodir em confrontações violentas entre extremistas de ambos os lados. Esses extremistas foram elogiados por moderados que integram seus pontos de vista. O primeiro presidente republicano foi eleito e rejeitado. As tensões políticas levaram ao conflito e depois à guerra civil.
A esquerda não acredita na secessão. É um movimento político autoritário que perdeu a autoridade democrática. Há agora uma luta de poder político em andamento entre os funcionários democraticamente eleitos e o mecanismo antidemocrático de governo auxiliado por um punhado de juízes e eleitos locais. CONTINUA...

Anônimo disse...

Blog do Aluizio Amorim CONTINUA VIII E TERMINA
O que isso realmente significa é que existem dois governos concorrentes; O governo legal e um anti-governo traidor da esquerda. Se este conflito político progride, as agências e indivíduos em todos os níveis de governo serão convidados a demonstrar sua fidelidade a estes dois governos concorrentes. E isso pode transformar-se rápida e explosivamente em uma verdadeira guerra civil.
Não há sinal de que a esquerda entenda ou esteja preocupada com as implicações do conflito que iniciou. E há poucos sinais de que os democratas entendam adequadamente a estrada perigosa que a esquerda radical está atraindo para eles. A esquerda pressupõe que os vencedores de uma eleição democrática recuarão, em vez de ficarem sob sua autoridade. Não está preparada para a possibilidade de que a democracia não morra na escuridão.
As guerras civis terminam quando um lado é forçado a aceitar a autoridade do outro. A esquerda espera que todos aceitem sua autoridade ideológica. Os conservadores esperam que a esquerda aceite a autoridade constitucional. O conflito ainda é político e cultural. Está sendo travado na mídia e no governo. Mas se nenhum dos lados retroceder, então ele vai além das palavras, pois ambos os lados dão ordens contraditórias.
A esquerda é um movimento traiçoeiro. Os democratas se tornaram uma organização traiçoeira quando caíram sob a influência de um movimento que rejeita nosso sistema de governo, suas leis e suas eleições. Agora sua traição está chegando à tona. Eles estão envolvidos em uma luta pelo poder contra o governo. Isso não é protesto. Não é ativismo. A velha traição dos anos sessenta chegou à idade. Uma guerra civil começou.
Este é um conflito primordial entre um sistema totalitário e um sistema democrático. Seu resultado determinará se seremos uma nação livre ou uma nação de escravos. Click here to read the original in English

Anônimo disse...

28 de março de 2017
Do blog ponto&virgula
Pouca gente nas manifestações não é sinal de falta de olho nos políticos bandidos
É melhor que o Governo, o Congresso Nacional e os partidos políticos não festejem um possível fracasso das manifestações de domingo passado. Tal fato deveu-se à pouca divulgação e também à variedade de temas levados às ruas. Se fosse apenas para a defesa da Operação Lava-Jato, certamente a adesão seria muito maior, porque para o povo o combate à corrupção está em primeiro lugar. A população quer ver condenados e presos os políticos criminosos que roubaram milhões de reais dos cofres públicos para financiar campanhas eleitorais e para enriquecimento de alguns caciques partidários. O povo não está desligado. A maior manifestação acontecerá nas urnas nas eleições de 2018. Nas eleições municipais do ano passado já foi dado um aviso, quando a maioria dos prefeitos e vereadores não conseguiu se eleger. A renovação foi uma das maiores dos últimos tempos;
É lamentável que um bloco carnavalesco reúna 500 mil pessoas às 8 horas da manhã, mas não saia às ruas para protestar contra surrupia dinheiros de seus impostos que deixam de ser aplicados em Saúde, Educação e Segurança, por exemplo, dando a entender que está gostando do que acontece em todo o país, enquanto poucos comparecem para reclamar contra as falcatruas praticadas por milhares de políticos. Depois, não podem reclamar daquilo que está atingindo a eles próprios. Porém, indo ou não às ruas, não podemos nos mostrar desligados e não concordaremos com a discussão de reformas propostas por parlamentares investigados e prestes a serem condenados, em especial as que buscam dar aos mesmos proteção legal, além de auto anistia para os crimes que cometeram para conseguir um mandato que lhes dá a proteção do famigerado foro privilegiado. Estamos de olho, senhores!
Postado por Airton Leitão

Anônimo disse...

https://subversivoxxi.blogspot.com.br/2017/03/viva-america-o-comeco-do-fim-do.html
Novo decreto de Trump acaba com políticas ambientais da era Obama
O presidente dos EUA, Donald Trump, assinou uma ordem executiva nesta terça-feira eliminando regulamentações tomadas na era Obama para conter o aquecimento global, alegando que as restrições ecológicas prejudicam a geração de empregos para trabalhadores da indústria de petróleo e carvão.
"Meu governo está pondo um fim à guerra contra o carvão", disse Trump antes de assinar o decreto na sede da Agência de Proteção Ambiental. "Com a ação executiva de hoje, estou tomando medidas históricas para levantar as restrições sobre a energia americana, reverter a intrusão governamental e cancelar regulações ‘matadoras’ de empregos", acrescentou o presidente.
A ordem de Trump exigirá uma revisão do Plano de Energia Limpa, adotado sob a administração do ex-presidente Barack Obama, que restringe as emissões de gases de efeito estufa em usinas a carvão. Além disso, também suspenderá uma moratória decretada há 14 meses sobre novas concessões para a exploração de carvão em terras federais e desfará regras para reduzir as emissões de metano na produção de petróleo e gás.
Fonte
Postado por Anon Iman às 14:39

Anônimo disse...

Direto ao Assunto

Home » BLOG » No Blog do Nêumanne, Política, Estadão: Golpes em marcha

Lista na eleição evita que cidadão puna políticos e autoanistia os deixa livres para cometer crimes

Ninguém ouviu, mas ao longo de todo o domingo passado um grande suspiro de alívio percorreu o Brasil do Oiapoque ao Chuí, com uma parada significativa em Brasília, capital federal. Todos os políticos com algum mandato no Legislativo ou no Executivo, federal, estadual ou municipal, comemoraram secretamente, sem ousar sequer aparentar felicidade nem na intimidade da alcova, à hora de se recolher ao tálamo, a outonal ausência da cidadania nas ruas mais importantes das maiores cidades brasileiras. Para evitar os mais descarados golpes da História desde a Independência – a manutenção da prerrogativa de foro, a autoanistia no uso de caixa 2 e, acima de tudo e de todos, a lista fechada dos candidatos nas eleições – o povo não se mobilizou, como o fizera antes para protestar contra o Brasil oficial em 2013 e pelo impeachment de Dilma em 2015 e 2016.

Em 2013, assim que o povo voltou pra casa e os black blocs pararam de depredar o patrimônio alheio, público ou privado, Dilma Rousseff anunciou as decisões com que fingiu atender ao clamor das ruas roucas: Assembleia Constituinte exclusiva para a reforma política e financiamento público de campanhas eleitorais. Nunca a estupidez pessoal de um ser humano (o que ela pelo menos aparenta ser) desserviu a tantos semelhantes de uma vez só. Em 2016 o Congresso Nacional a depôs por outros crimes, fingindo atender ao mesmo clamor. Mentira! Os congressistas depuseram a “presidenta” porque não suportavam o desprezo e a indiferença com que ela os maltratava, usando o poder para humilhá-los, mesmo ao custo de perdê-lo. Isso ficou claro quando foi revelada a senha do movimento tido como golpista pelos depostos com ela: “Tem que mudar o governo pra poder estancar essa sangria”. A sentença consagrou o autor como o frasista preferencial de todos os governos, Romero Jucá, pernambucano, senador por Roraima, militante do PMDB e serviçal de todos os presidentes – de Fernando Henrique, do PSDB, a Lula e Dilma, do PT.continua....

Anônimo disse...

No Blog do Nêumanne, Política, Estadão: Golpes em marcha
José Nêumanne continua II

O ilustre prócer, atualmente na presidência do maior partido do País, o PMDB, posseiro dos maiores postos do Legislativo e do Executivo da República, o nominado Caju da lista de propinas da Odebrecht, também não teve pejo de reclamar quando tentaram limitar o foro privilegiado. Definiu o privilégio como “suruba seletiva” e exigiu que dela todos participassem. Todos os políticos, os mandatários, os poderosos do regime, naturalmente. Como a anistia reclamada pela oposição para avalizar a abertura democrática da ditadura de Geisel e Figueiredo: “ampla, geral e irrestrita”. A metáfora indecorosa da República indecente, contudo, nunca será mais pornográfica do que a prática republicana da venda por facilidades financeiras para ultrapassar as dificuldades do decoro político.

Todos com o chefe juntos por um ideal comum: ficar no poder ilesos, livres e impunes Foto: Beto Barata/PR
Todos com o chefe juntos por um ideal comum: ficar no poder ilesos, livres e impunes Foto: Beto Barata/PR

As extraordinárias circunstâncias que permitiram, primeiro, a Ação Penal 470, vulgo mensalão, e, depois, a Operação Lava Jato, dita petrolão, terminaram por quebrar um ancestral paradigma do Brasil dos coronéis e dos titãs populistas, aquele segundo o qual só iam para a cadeia pretos, pobres e prostitutas. Frequentam os cárceres da “república de Curitiba” vários dos mais ricos empreiteiros pátrios, inclusive o maioral de todos, Marcelo Odebrecht, e alguns “heróis do povo brasileiro”, que assaltaram bancos para financiar a guerrilha e, depois, saquearam o Estado inteiro, sem exceção de cofre, por poder, fortuna e conforto. No entanto, ainda não foi quebrada a barreira estabelecida por Artur Bernardes na Primeira República: “aos amigos, tudo; aos inimigos, o rigor da lei”. Com uma adaptação: “aos mandatários, tudo; aos sem-mandato, a lei mais rigorosa”. Preso, Marcelo Odebrecht contou que comprou Lula e Dilma e deles obteve tudo o que precisava para prosperar mais do que os outros, aceitando, é claro, a companhia do cartel. Mas, pelo menos até agora, nenhum detentor de mandato de poder republicano paga por seus delitos. A exceção à regra é, claro, Eduardo Cunha, que ousou cuspir na cruz. continua...

Anônimo disse...


No Blog do Nêumanne, Política, Estadão: Golpes em marcha
José Nêumanne continua III

No impeachment de Dilma Rousseff, o verdadeiro golpe foi dado, cinicamente, por Renan Calheiros e Ricardo Lewandowski: o fatiamento do artigo constitucional que a privaria de direitos políticos para que pudesse ser merendeira de escola. O que, aliás, representaria grave risco para a saúde da infância e da juventude do Brasil. Depois do “só se for a pau, Juvenal”, miríades de golpes se sucederam contra a Carta que, de tão vilipendiada, pode ser chamada de minima minimorum, em vez de Máxima. Foi o caso da permissão para Renan Calheiros delinquir presidindo o Senado desde que saísse da “linha sucessória”, que, aliás, nem existe, pois não há sucessor definido do vice que assumiu a Presidência. Quem quer que o substitua terá de convocar eleição indireta para ocupar o lugar. E também foi permitido ao vassalo Rodrigo Maia reeleger-se presidente da Câmara no meio da legislatura. Mais um escárnio na conta!

Tudo, porém, é café pequeno para o que se anuncia nesta algaravia de todo dia. Gilmar Mendes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), já deu a deixa para a cassação da chapa Dilma-Temer sem criar atropelos à gestão federal. Cassa-se a chapa, decreta-se a inelegibilidade da titular e permite-se ao reserva que fique em campo. Ou seja, autorizar-se-lo-á (mesóclise dupla em homenagem a sua volúpia pelo fracionamento de verbos) a disputar (e vencer) a indireta para suceder-se a si mesmo no Congresso Nacional, que tantas alegrias lhe tem propiciado.

Isso ainda é lana caprina comparado ao que os parlamentares se reservam em matéria de prêmio de consolação por terem sido delatados. Conseguiram beneplácito dos “datas vênias” da STF (Suprema Tolerância Federal) para desprezar a igualdade de todos perante a lei e decretar que caixa 2 é crime para empresários, mas não para políticos.continua...

Anônimo disse...


No Blog do Nêumanne, Política, Estadão: Golpes em marcha
José Nêumanne continua IV


Ressuscitaram o projeto de Dilma do financiamento público de campanhas eleitorais para mantê-las com seus custos proibitivos, o que, definitivamente, não é uma tradição da República, por mais insana que ela já tenha sido antes. E, para completar, escolheram dois capitães do mato do Conselheiro de Caetés para levantar muros da vergonha no “parlamanto”. Vadih Damus (PT-RJ), jurisconsulto particular do ex-deus, batalha para excluir os presos da possibilidade de serem premiados ao delatar, desfigurando norma legal adotada pelo Brasil oficial no rastro do resto do mundo. E Vicente Cândido (PT-SP), relator da tal “reforma política”, apareceu com a teoria de que lista fechada de candidatos a cargos no Legislativo em eleições proporcionais (não distritais) é usada em “80%” (o cálculo é dele) dos países democráticos do mundo.

Lembro-me bem – se me lembro! de ter acompanhado eleições com listas em que os maiorais da elite política compunham o congresso do país a seu bel prazer e proveito. O social-democrata AD de Rómulo Gallegos dividia o butim com a democracia cristã da Copei de Rafael Caldera. O pobre povo amontoado nas favelas de Caracas a caminho do aeroporto de Maiquetia pisou na balança e dessa divisão subiram Hugo Chávez e seu sucessor Nicolas Maduro. A lista fechada foi a ditadura da elite política a caminho da tirania metida a socialista dos bolivarianos da Venezuela.continua...

Anônimo disse...


(Publicado no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, na segunda-feira 27 de março de 2017) continua V e termina



Ainda assim, o Brasil real, escorchado, talvez desiludido com os resultados pífios e o cinismo crescente do País oficial, ainda caçando cofres para limpar, desistiu de ir às ruas para reclamar. E deixou aparecerem no asfalto vazio os nostálgicos da ditadura militar, de direita. Daí,foi ensurdecedor o silêncio monstruoso das cidades sem povo do Brasil afundado no pântano da miséria, da corrupção e da maior crise econômica da História. Talvez nos reste dançar o tango argentino, como no poema Pneumotórax, de Manuel Bandeira, ou rezar um ato de contrição, como a mãe deste escriba o aconselhava quando, na infância, não conciliava o sono. Contra todos esses golpes em marcha, nem se o bispo de Barra, na Bahia, benzesse toda a água do São Francisco se operaria o milagre da nossa redenção.

No Blog do Nêumanne, Política, Estadão: Golpes em marcha
José Nêumanne

O jurista Modesto Carvalhosa, especialista em legislação contra a corrupção, recomenda uma Constituinte independente para mudar tudo na política, performance bonds (adotados nos EUA desde 1894) para tirar o poder de empreiteiros corromperem políticos e burocratas, e uma lista negra de políticos safados para não sufragar na próxima eleição. Minha lista pessoal contém todos os mandatários dos Poderes Executivo e Legislativo, acrescentada de uma devassa impiedosa para reformar todas as instâncias do Judiciário.

O resto são panos quentes para confortar moribundo.

*Jornalista, poeta e escritor

(Publicado no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, na segunda-feira 27 de março de 2017)

Anônimo disse...


Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado: Nada de driblar a lei!

As provas coletadas e examinadas pelo relator da ação do PSDB contra a chapa Dilma-Temer no TSE são acachapantes e nos envergonham. Pois mostram que a democracia brasileira é atingida no seu âmago – a vontade da cidadania expressa no voto e adulterada pelo uso de bilhões de reais em propinas que configuram o mais grave crime eleitoral, a compra de votos. Manter a chapa reeleita em 2014 impune e incólume, depois de constatada a maior fraude eleitoral da História, seria uma vergonha com a qual o País não teria como conviver depois disso com um regime limpo, são e justo. E adotar medidas casuísticas em nome da estabilidade, uma intervenção indevida e injustificável no Estado de Direito.
(Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107,3 – na quarta-feira 29 de março de 2017, às 7h30m)
Para ouvir clique no link abaixo e, em seguida, no ícone play
https://soundcloud.com/jose-neumanne-pinto/neumanne-2903mp3
Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique no link abaixo:
http://politica.estadao.com.br/blogs/neumanne/nada-de-driblar-a-lei/

Anônimo disse...

Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado: Golpe do tribunal
Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado: Golpe do tribunal

No julgamento da chapa Dilma-Temer é mais provável que ocorra uma ou outra excrescência jurídica: ou os recursos protelam o julgamento final tanto no TSE quanto no STF até a eleição de 2018 tornando o julgamento impossível e a substituição do presidente inviável ou Dilma seria considerada inelegível, como já devia ter sido no julgamento final do impeachment, e Temer, não, tornando-se, então, candidato à própria reeleição na eleição indireta no Congresso. Aos olhos das democracias de verdade no resto do mundo, esta seria uma solução de república das bananas. No entanto, o próprio ministro Gilmar Mendes já a considerou viável. Então, aí sim, estaríamos em pleno golpe judicial branco. (Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107,3 – na terça-feira, 28 de março de 2017, às 7h30m)

Anônimo disse...


No Blog do Nêumanne, Política, Estadão: Golpes em marcha
José Nêumanne
Lista na eleição evita que cidadão puna políticos e autoanistia os deixa livres para cometer crimes
Ninguém ouviu, mas ao longo de todo o domingo passado um grande suspiro de alívio percorreu o Brasil do Oiapoque ao Chuí, com uma parada significativa em Brasília, capital federal. Todos os políticos com algum mandato no Legislativo ou no Executivo, federal, estadual ou municipal, comemoraram secretamente, sem ousar sequer aparentar felicidade nem na intimidade da alcova, à hora de se recolher ao tálamo, a outonal ausência da cidadania nas ruas mais importantes das maiores cidades brasileiras. Para evitar os mais descarados golpes da História desde a Independência – a manutenção da prerrogativa de foro, a autoanistia no uso de caixa 2 e, acima de tudo e de todos, a lista fechada dos candidatos nas eleições – o povo não se mobilizou, como o fizera antes para protestar contra o Brasil oficial em 2013 e pelo impeachment de Dilma em 2015 e 2016.
Em 2013, assim que o povo voltou pra casa e os black blocs pararam de depredar o patrimônio alheio, público ou privado, Dilma Rousseff anunciou as decisões com que fingiu atender ao clamor das ruas roucas: Assembleia Constituinte exclusiva para a reforma política e financiamento público de campanhas eleitorais. Nunca a estupidez pessoal de um ser humano (o que ela pelo menos aparenta ser) desserviu a tantos semelhantes de uma vez só. Em 2016 o Congresso Nacional a depôs por outros crimes, fingindo atender ao mesmo clamor. Mentira! Os congressistas depuseram a “presidenta” porque não suportavam o desprezo e a indiferença com que ela os maltratava, usando o poder para humilhá-los, mesmo ao custo de perdê-lo. Isso ficou claro quando foi revelada a senha do movimento tido como golpista pelos depostos com ela: “Tem que mudar o governo pra poder estancar essa sangria”. A sentença consagrou o autor como o frasista preferencial de todos os governos, Romero Jucá, pernambucano, senador por Roraima, militante do PMDB e serviçal de todos os presidentes – de Fernando Henrique, do PSDB, a Lula e Dilma, do PT.CONTINUA...

Anônimo disse...


No Blog do Nêumanne, Política, Estadão: Golpes em marcha CONTINUA II

O ilustre prócer, atualmente na presidência do maior partido do País, o PMDB, posseiro dos maiores postos do Legislativo e do Executivo da República, o nominado Caju da lista de propinas da Odebrecht, também não teve pejo de reclamar quando tentaram limitar o foro privilegiado. Definiu o privilégio como “suruba seletiva” e exigiu que dela todos participassem. Todos os políticos, os mandatários, os poderosos do regime, naturalmente. Como a anistia reclamada pela oposição para avalizar a abertura democrática da ditadura de Geisel e Figueiredo: “ampla, geral e irrestrita”. A metáfora indecorosa da República indecente, contudo, nunca será mais pornográfica do que a prática republicana da venda por facilidades financeiras para ultrapassar as dificuldades do decoro político.
Todos com o chefe juntos por um ideal comum: ficar no poder ilesos, livres e impunes Foto: Beto Barata/PR
As extraordinárias circunstâncias que permitiram, primeiro, a Ação Penal 470, vulgo mensalão, e, depois, a Operação Lava Jato, dita petrolão, terminaram por quebrar um ancestral paradigma do Brasil dos coronéis e dos titãs populistas, aquele segundo o qual só iam para a cadeia pretos, pobres e prostitutas. Frequentam os cárceres da “república de Curitiba” vários dos mais ricos empreiteiros pátrios, inclusive o maioral de todos, Marcelo Odebrecht, e alguns “heróis do povo brasileiro”, que assaltaram bancos para financiar a guerrilha e, depois, saquearam o Estado inteiro, sem exceção de cofre, por poder, fortuna e conforto. No entanto, ainda não foi quebrada a barreira estabelecida por Artur Bernardes na Primeira República: “aos amigos, tudo; aos inimigos, o rigor da lei”. Com uma adaptação: “aos mandatários, tudo; aos sem-mandato, a lei mais rigorosa”. Preso, Marcelo Odebrecht contou que comprou Lula e Dilma e deles obteve tudo o que precisava para prosperar mais do que os outros, aceitando, é claro, a companhia do cartel. Mas, pelo menos até agora, nenhum detentor de mandato de poder republicano paga por seus delitos. A exceção à regra é, claro, Eduardo Cunha, que ousou cuspir na cruz.CONTINUA...

Anônimo disse...

No Blog do Nêumanne, Política, Estadão: Golpes em marcha CONTINUA III
No impeachment de Dilma Rousseff, o verdadeiro golpe foi dado, cinicamente, por Renan Calheiros e Ricardo Lewandowski: o fatiamento do artigo constitucional que a privaria de direitos políticos para que pudesse ser merendeira de escola. O que, aliás, representaria grave risco para a saúde da infância e da juventude do Brasil. Depois do “só se for a pau, Juvenal”, miríades de golpes se sucederam contra a Carta que, de tão vilipendiada, pode ser chamada de minima minimorum, em vez de Máxima. Foi o caso da permissão para Renan Calheiros delinquir presidindo o Senado desde que saísse da “linha sucessória”, que, aliás, nem existe, pois não há sucessor definido do vice que assumiu a Presidência. Quem quer que o substitua terá de convocar eleição indireta para ocupar o lugar. E também foi permitido ao vassalo Rodrigo Maia reeleger-se presidente da Câmara no meio da legislatura. Mais um escárnio na conta!
Tudo, porém, é café pequeno para o que se anuncia nesta algaravia de todo dia. Gilmar Mendes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), já deu a deixa para a cassação da chapa Dilma-Temer sem criar atropelos à gestão federal. Cassa-se a chapa, decreta-se a inelegibilidade da titular e permite-se ao reserva que fique em campo. Ou seja, autorizar-se-lo-á (mesóclise dupla em homenagem a sua volúpia pelo fracionamento de verbos) a disputar (e vencer) a indireta para suceder-se a si mesmo no Congresso Nacional, que tantas alegrias lhe tem propiciado.
Isso ainda é lana caprina comparado ao que os parlamentares se reservam em matéria de prêmio de consolação por terem sido delatados. Conseguiram beneplácito dos “datas vênias” da STF (Suprema Tolerância Federal) para desprezar a igualdade de todos perante a lei e decretar que caixa 2 é crime para empresários, mas não para políticos.
Ressuscitaram o projeto de Dilma do financiamento público de campanhas eleitorais para mantê-las com seus custos proibitivos, o que, definitivamente, não é uma tradição da República, por mais insana que ela já tenha sido antes. E, para completar, escolheram dois capitães do mato do Conselheiro de Caetés para levantar muros da vergonha no “parlamanto”. Vadih Damus (PT-RJ), jurisconsulto particular do ex-deus, batalha para excluir os presos da possibilidade de serem premiados ao delatar, desfigurando norma legal adotada pelo Brasil oficial no rastro do resto do mundo. E Vicente Cândido (PT-SP), relator da tal “reforma política”, apareceu com a teoria de que lista fechada de candidatos a cargos no Legislativo em eleições proporcionais (não distritais) é usada em “80%” (o cálculo é dele) dos países democráticos do mundo. CONTINUA...

Anônimo disse...


No Blog do Nêumanne, Política, Estadão: Golpes em marcha CONTINUA IV E TERMINA
Lembro-me bem – se me lembro! de ter acompanhado eleições com listas em que os maiorais da elite política compunham o congresso do país a seu bel prazer e proveito. O social-democrata AD de Rómulo Gallegos dividia o butim com a democracia cristã da Copei de Rafael Caldera. O pobre povo amontoado nas favelas de Caracas a caminho do aeroporto de Maiquetia pisou na balança e dessa divisão subiram Hugo Chávez e seu sucessor Nicolas Maduro. A lista fechada foi a ditadura da elite política a caminho da tirania metida a socialista dos bolivarianos da Venezuela.
Ainda assim, o Brasil real, escorchado, talvez desiludido com os resultados pífios e o cinismo crescente do País oficial, ainda caçando cofres para limpar, desistiu de ir às ruas para reclamar. E deixou aparecerem no asfalto vazio os nostálgicos da ditadura militar, de direita. Daí,foi ensurdecedor o silêncio monstruoso das cidades sem povo do Brasil afundado no pântano da miséria, da corrupção e da maior crise econômica da História. Talvez nos reste dançar o tango argentino, como no poema Pneumotórax, de Manuel Bandeira, ou rezar um ato de contrição, como a mãe deste escriba o aconselhava quando, na infância, não conciliava o sono. Contra todos esses golpes em marcha, nem se o bispo de Barra, na Bahia, benzesse toda a água do São Francisco se operaria o milagre da nossa redenção.
O jurista Modesto Carvalhosa, especialista em legislação contra a corrupção, recomenda uma Constituinte independente para mudar tudo na política, performance bonds (adotados nos EUA desde 1894) para tirar o poder de empreiteiros corromperem políticos e burocratas, e uma lista negra de políticos safados para não sufragar na próxima eleição. Minha lista pessoal contém todos os mandatários dos Poderes Executivo e Legislativo, acrescentada de uma devassa impiedosa para reformar todas as instâncias do Judiciário.
O resto são panos quentes para confortar moribundo.
*Jornalista, poeta e escritor
(Publicado no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, na segunda-feira 27 de março de 2017)

Anônimo disse...

Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado: A verdade crua
Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado: A verdade crua

Dados obtidos pelo correspondente do Estado em Genebra revelam que, desde janeiro de 2016, 48 casos de problemas sanitários com o frango nacional e sete com outras carnes foram descobertos. Fez-se um grande rebuliço tentando desacreditar a Polícia Federal, tendo como provável causa a desqualificação indireta, mas óbvia, da Operação Lava Jato. O relato de Jamil Chade mostra que os policiais não imaginaram nem exageraram em nada. Muito mais podres do que eventuais cargas brasileiras em containers é nosso sistema político viciado, que não pode continuar prevalecendo, sob pena de perdermos tudo o que de bom o Brasil tem produzido, principalmente na agroindústria e pecuária.

(Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107,3 – na segunda-feira 27 de março de 2017, às 7h30m)

Para ouvir clique no link abaixo e, em seguida, no ícone play

https://soundcloud.com/jose-neumanne-pinto/neumanne-eldorado-carne-fraca-jamil

Para ouvir no Blog do Nêumanne, Politica, Estadão, clique no link abaixo:

http://politica.estadao.com.br/blogs/neumanne/a-verdade-crua/

Anônimo disse...

Artigos do Puggina
A REVOLTA E A VOLTA DOS BANDOLEIROS
por Percival Puggina. Artigo publicado em 24.03.2017

A um ano e meio das eleições nacionais de 2018, o cenário é desalentador. Está em curso a rebelião dos escroques da República. Em fileira cerrada, ombro a ombro, bandoleiros da oposição e do governo avançam contra as leis penais e eleitorais, qual gatos a livrar e lamber o próprio pelo. As listas de Janot estão recheadas de nomes fortes para disputar vagas no entrevero político do ano que vem. E só um intenso trabalho de resistência às mudanças legislativas, de conscientização e informação poderá prevenir os grandes riscos de que, por escabrosos meios, se reproduzam os mandatos da Orcrim. Ao mesmo tempo, é paradoxal: se entrevistado, o mesmo eleitorado que tenderá a reeleger os quadrilheiros manifestará seu descontentamento com a representação política do país.
A cada pleito, parecem brotar do ventre da terra, para se emaranharem nos altares do poder, personagens cada vez mais interesseiros, mais medíocres, menos honestos, menos comprometidos com o bem comum. Há quem conclua, dessa observação, que a política seja exatamente a lavoura onde se cultivam tais produtos e da qual nada melhor se haverá de colher.
Convido o leitor para uma sincera análise dessa realidade. Quantos eleitores trocam seus votos por dinheiro, rancho, jogos de camiseta, brindes, favores concedidos, ou promessas feitas às respectivas instituições e associações? Quantos votam por preferências clubísticas e esportivas? Quantos se deixam sensibilizar por atitudes assistenciais como distribuição de cadeiras de rodas, óculos, remédios e caixões de defunto? Quantos são conduzidos pela publicidade ou pela presença na “telinha” e nos microfones? Quantos votam contra algo ou alguém, transformando a eleição num ato de ódio ou protesto? Quantos votam catando do chão um “santinho” qualquer ou em alguém que lhe seja indicado na boca da urna? Quantos votam porque o candidato é defensor vigoroso de sua corporação? Quantos votam porque o candidato é vizinho, amigo da família, manda cartões de Natal, conseguiu ou diz que vai conseguir emprego ou bolsa qualquer? Ora, eleitores displicentes, interesseiros e venais elegem, simetricamente, políticos omissos, mercenários e corruptos.
CONTINUA....

Anônimo disse...

Artigos do Puggina CONTINUA II E TERMINA
Pelo viés oposto, pondere comigo: quantos eleitores têm como exigências a serem simultaneamente cobradas a formação moral e intelectual do candidato, a imagem que construiu com sua história pessoal, seus valores, sua dedicação ao bem comum, sua capacidade de influenciar e liderar outros, suas idéias e propostas para o município, o estado e o país?
Pois é, pois é. Faltam-nos estadistas porque nos sobram votantes com péssimos critérios. No produto dos escrutínios eleitorais, a quantidade de bons políticos eleitos será, sempre e sempre, diretamente proporcional ao número de bons eleitores.

________________________________
* Percival Puggina (72), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de Zero Hora e de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A tomada do Brasil. integrante do grupo Pensar+.

Anônimo disse...

27.3.17

BLOG FUSCA BRASIL

Sucesso das Manifestações Nacionais pela Lava Jato e Lula na cadeia é minimizado pela grande mídia

A grande mídia chapa-branca corrompida e dominada pelo lulopetismo tenta omitir, minimizar ou denegrir o estrondoso sucesso das manifestações de ontem em mais de 110 cidades do Brasil.

As manifestações espontâneas, sem logística, diárias e financiamento de partidos, sindicatos ou grupos poderosos associados ao lulopetismo, tomaram 20 capitais e todos os estados do Brasil.

A pauta foi a favor da Operação Lava Jato, pela punição da quadrilha que assaltou o país, a começar pelo chefão Lula, contra o Foro Privilegiado e os golpes dos corruptos pela legalização dos crimes, contra o Voto em Lista (voto cego em lista fechada) e pela moralidade do Brrasil.

Anônimo disse...

quarta-feira, 29 de março de 2017Ao defender Palocci em Curitiba, Gerdau acaba desmascarando Dilma no caso Pasadena
Sentar no banco de testemunhas para defender bandidos do PT deixa Gerdau muito mal na foto.

Jorge Gerdau defendeu Palocci com unhas e dentes, mas acabou contrapondo-se ao que afirmou José Gabrielli na semana passada, também em Curitiba, desmascarando Dilma no caso da Refinaria Pasadena, porque disse que não sabia de nada. Dilma disse que na compra da refinaria, tendo Gerdau como um dos membros, o Conselho teve acesso a todos os dados da operação e aprovou tudo. Na semana passada, o ex-presidente da Petrobrás, José Gabrielli, disse que o Conselho foi decisivo na compra da refinaria. CLIQUE AQUI para ler o que disse Gabrielli.


Arrolado como testemunha de defesa do ex-ministro Antônio Palocci em ação penal relativa à Operação Lava Jato, na 13ª Vara Federal de Curitiba, o empresário Jorge Gerdau, contemporâneo de Palocci no Conselho de Administração da Petrobras, disse que o Conselho reunia-se mensalmente para tratar de questões macroeconômicas e do estabelecimento de diretrizes políticas para a estatal, não discutindo situações específicas de obras e licitações.

- O Conselho reunia-se uma vez por mês, por cerca de cinco horas. O ministro sempre se comportou de maneira discreta, fazendo intervenções cuidadosas, visando o interesse global. Até por essa característica da periodicidade das reuniões, não tratávamos de questões específicas, como obras e licitações, definíamos a condução macro da empresa, com decisões por sua ampliação ou pelo investimento no pré-sal, por exemplo.
Postado por Polibio Braga quarta-feira, 29 de março de 2017Ao defender Palocci em Curitiba, Gerdau acaba desmascarando Dilma no caso Pasadena
Sentar no banco de testemunhas para defender bandidos do PT deixa Gerdau muito mal na foto.


Jorge Gerdau defendeu Palocci com unhas e dentes, mas acabou contrapondo-se ao que afirmou José Gabrielli na semana passada, também em Curitiba, desmascarando Dilma no caso da Refinaria Pasadena, porque disse que não sabia de nada. Dilma disse que na compra da refinaria, tendo Gerdau como um dos membros, o Conselho teve acesso a todos os dados da operação e aprovou tudo. Na semana passada, o ex-presidente da Petrobrás, José Gabrielli, disse que o Conselho foi decisivo na compra da refinaria. CLIQUE AQUI para ler o que disse Gabrielli.


Arrolado como testemunha de defesa do ex-ministro Antônio Palocci em ação penal relativa à Operação Lava Jato, na 13ª Vara Federal de Curitiba, o empresário Jorge Gerdau, contemporâneo de Palocci no Conselho de Administração da Petrobras, disse que o Conselho reunia-se mensalmente para tratar de questões macroeconômicas e do estabelecimento de diretrizes políticas para a estatal, não discutindo situações específicas de obras e licitações.


- O Conselho reunia-se uma vez por mês, por cerca de cinco horas. O ministro sempre se comportou de maneira discreta, fazendo intervenções cuidadosas, visando o interesse global. Até por essa característica da periodicidade das reuniões, não tratávamos de questões específicas, como obras e licitações, definíamos a condução macro da empresa, com decisões por sua ampliação ou pelo investimento no pré-sal, por exemplo.
Postado por Polibio Braga

Anônimo disse...

Sem reforma da Previdência, “daqui a sete ano nós paralisamos o país”, diz Temer

“Todos os estudos científicos, estatísticos, revelam que? Temer. DO BLOG CONGRESSO EM FOCO
PS - ESTA REVELANDO O QUE CARA PALIDA, QUE ESTUDOS, QUE DADOS ESTATISTICOS, DE ONDE? ESTE INDIVIDUO E UM BATEDOR VULGAR DE CARTEIRA E MENTIROSO. ELE DEVERIA CORTAR SEUS PROPRIOS GASTOS EM CARTOES CORPORATIVOS E TODAS AS BENESSES INDECENTES DOS TRES PODERES. ELE NAO TEM MORAL PARA ABRIR ESTA LATRINA IMUNDA PARA FALAR COISAS QUE NAO CONSEGUE PROVAR. QUE ELE PROVE O QUE DIZ COM DADOS. QUEREMOS DADOS SERIOS E NAO DAS TRINCHEIRAS MARGINAIS QUE ELE PARTICIPA COMO HOMEM DE FRENTE. ESTA NA HORA DESSE PAIS DEIXAR ENTRAR A LUZ NAS MUTRETAGENS DO GOVERNO CENTRAL. HIPOCRITA, DISSIMULADOR, DOENTE E AGENTE DOS VAGABUNDOS DO QG DA MARGINALIDADE DE TODOS OS PODERES.NAO ADIANTA MANDAR O FARSANTE AGIOTA DO MERDELES QUE JA FOI CAPANGA DO LULA LADRAO PARA MENTIR PARA ZE POVAO. NAO QUEREMOS MAIS MAQUIAGENS DE CONTAS. O QUE SABEMOS REALMENTE E QUE TODOS OS MUNICIPIOS,PREFEITURAS, ESTADOS E UNIAO ESTAO TODOS FALIDOS POR MALVERSAÇAO DE DINHEIROS PUBLICOS. VOCES NAO TEM LIMITES NAS BOCASSAS MALANDRAS QUE DISPERDIÇARAM CENTENAS E MILHARES DE REAIS EM DISPERDICIOS PUBLICOS. VOCES NAO SE COMPORTAM COMO PESSOAS EQUILIBRADAS. TODOS OS TRES PODERES PERDERAM COMPLETAMENTE O JUIZO E A DIMENSAO DO QUE E CERTO OU ERRADO. VOCES AINDA NAO ACORDARAM QUE NOSSA RESPEITABILIDADE, NOSSA CREDIBILILIDADE E NOSSA CAPACIDADE DE DIZER A VERDADE ESTA EM JULGAMENTO NO MUNDO TODO. VOCES AINDA NAO ATENTARAM QUE A MANEIRA DE ECONOMIZAR EM UM PAIS QUE DEVE INTERNAMENTE E EXTERNAMENTE PORQUE FALSIFICA DADOS E NAO APARESENTA A REALIDADE DOS FATOS PORQUE VEMOS DIARIAMENTE A DIVIDA EXTERNA QUE SO AUMENTA E AUMENTA NAO COM O QUE VOCES EXERCUTAM PARA BENEFICIAR A POPULAÇAO MAS O QUE VCES DISPERDIÇAM COM DISSERVIÇO A NAÇAO. VOCES ESTAO EM JULGAMENTO NAO TEM DIREITO E NEM CAPACIDADE PARA EXECUTAR UM INFIMO TRABALHO PARA O BRASIL. VCES SAO VIGARISTAS, SEM VERGONHA, SEM NACIONALIDADE E SEM CAPACIDADE DE CRIAR NADA, SAO MEROS TUNGADORES DO BOLSO DO CONTRIBUINTE. ESTA NA HORA DE ENTRAR O SOL. TODOS OS JUIZES MOROS DE TODOS OS MUNICIPIOS, PREFEITURAS, ESTADOS E UNIAO. SE REALMENTE SAO JUIZES DE CARREIRA COMO O JUIZ MORO QUE SE ASSOCIEM A ELE E COBREM DO ANDAR DE CIMA PARA ANDAR SERIAMENTE E PUBLICAR MOSTRANDO FATOS E NAO CONVERSA DE ENGANA LOURENÇO. PODE COMECAR DIZENDO ONDE ENFIARAM OS DINHEIROS DOS APOSENTADOS TODOS ESTES ANOS. PODE COMECAR DIZENDO QUANTO CUSTA A APOSENTADORIA DAS AUTORIDADES. PODE COMEÇAR NOS MOSTRANDO DADOS E NAO FALACIA DE QUEM SE JUNTA COM A MARGINALIDADE PARA CONTINUAR A DESMERECER NOSSA CONFIANÇA PRINCIPALMENTE OS SUPREMOS BESTEIROL. JUIZ MORO TREZENTOS POR CENTO E JUSTIÇA ELEITORAL ZERO A ESQUERDA E SUPREMO BESTEIROL DOIS ZEROS A ESQUERDA PRINCIPALMENTE COM O NOVO MEMBRO QUE JA COMECOU COM O BLA,BLA,BLA FALANDO DOS MINISTROS DA ERA PRE HISTORIA DO PAIS PARA BASEAR SUA TESE. NAO PODEMOS TER LEIS EM QUE OS SUPREMOS BESTEIROL NAO SE RESPEITAM E LEVAM SECULOS OUVINDO TESTEMUNHAS. EM QUE PAIS SERIO E CONSTITUIÇAO SERIA SE OUVE NA SUPREMA CORTE CINQUENTA PESSOAS QUE DEFECARAM NA CONSTITUIÇAO COMO TESTEMUNHA DE QUEM DELINGUIU. AGORA VE SE ENTRA NO SECULO VINTE E SAI DA ERA DA PEDRA LASCADA. O QUE VCS PRECISAM PARA CUMPRIR SEU PAPEL QUE A MUITO NAO PASSA DE PAPEL HIGIENICO PARA LIMPAR O RABO DOS VAGABUNDOS SEM VEGONHA LADROES DO ERARIO PUBLICO.

Anônimo disse...

DO BLOG DIARIO DO PODER

30 de Março de 2017

Petrobras dá prejuízo e ainda emprega 230 mil


Apesar de prejuízos bilionários por três anos consecutivos, a Petrobras ainda é a petroleira que mais paga salários no mundo. A anacrônica legislação trabalhista obriga a estatal a bancar 230 mil funcionários, quase a soma das três maiores do planeta (British Petroleum, Exxon e Shell), que empregam 253 mil em todo o mundo. As três lucraram R$41 bilhões em 2016, enquanto a Petrobras deu prejuízo de R$14,8 bilhões.

Anônimo disse...

Enquanto os estados não se livrarem do jugo corrupto de brasilia, como já é nos EEUU, onde os estados são independentes com leis próprias obedecendo somente a constituição, podendo inclusive estabelecer pena de morte para crimes hediondos inclusive de colarinho branco. Somente dessa forma o brasil poderá crescer, com leis severas e tolerancia zero para bandidos e liberação do uso de armas de fogo, para maiores de idade e sem limites de idade para jovens que cometerem assassinatos. O povo passará a compreender que é muito melhor ser honesto do que cair nas garras das leis que deverão ser impiedosas para todos sem exceções

Anônimo disse...

quarta-feira, 29 de março de 2017
Postado por Jurema Cappelletti às 20:16
https://jurema-cappelletti.blogspot.com.br/

Lista fechada
RETIRADO DO FACEBOOK
Miriam Tebet ((Colei do Darci) - Excelente texto que copiei de uma amiga!!!

"- Garçom, me veja o cardápio, por favor.

- Nós não trabalhamos mais com cardápio, senhor.

- Vocês usam uma tabuleta, você me fala os pratos?

- Não, senhor, trabalhamos agora com lista fechada.

- Como assim, "lista fechada"?

- O senhor escolhe o restaurante (no caso, escolheu o nosso), e o nosso gerente escolhe o que o senhor vai comer.

- E o que é que eu ganho com isso?

- O senhor não precisa perder tempo escolhendo.

- Mas como vou saber o que vou comer?

- O senhor come o que o gerente achar que o senhor deve comer.

- Mas baseado em quê, se ele não sabe do que eu gosto.

- Baseado nos critérios dele.

- Que são...

- Ele pode querer que sejam os pratos mais caros. Ou os que usam ingredientes que estão com prazo de validade perto de vencer. Ou os que já estão prontos. Ou os que dão menos trabalho. Isso não cabe ao senhor decidir.

- Então eu me sento e...

- Senta, come o que o gerente quiser, e paga a conta.

- E se eu não gostar do prato?

- Nós não trabalhamos com essa possibilidade, senhor. Gostando ou não, vai pagar a conta do mesmo jeito.

- Bem, acho que vou então para outro restaurante...

- Todos agora trabalham assim, senhor.

- Mas quem decidiu isso?

- O Sindicato dos Donos dos Restaurantes.

- Pois então eu não vou mais comer fora. Vou comer em casa.

- Não tem problema, senhor. Posso trazer a conta?

- Que conta? Não vou comer nada...

- A do Fundo Suprapartidário dos Restaurantes. Comendo aqui ou em casa, o senhor tem que financiar os restaurantes.

- Por que é que eu tenho que financiar vocês?

- Porque se não financiar por bem, nós vamos conseguir o financiamento de outra forma, que é assaltando o senhor - um método também conhecido como Caixa Registradora Dois. O senhor pagar diretamente é muito mais civilizado, não acha?

- E quem me garante que eu pagando vocês não vão me assaltar do mesmo jeito?

- Ninguém, senhor. Ah, não aceitamos cartão. E os 10% são obrigatórios...

Essa é uma das propostas da

Reforma Política

dos seus nobres representantes no congresso.

Postado por Jurema Cappelletti

Anônimo disse...

Vindo dos Pampas
Blog dedicado a informações, politica, esportes, fotos e humor. Este Blog não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes.
quinta-feira, 30 de março de 2017
Bastidores da Operação “O Quinto de Ouro”
Sérgio Cabral numa das farras em Paris, com Fernando Cavendish (agachado), o presidente do TCE,
Aloysio Neves (logo atrás à direita), Wilson Carlos (atrás à esquerda)
Mistério
O fato da operação realizada ontem estar sob segredo de justiça acaba gerando especulações e mistérios. Ninguém sabe com precisão os detalhes que envolveram a operação, e nem sequer há um rol claro, a não ser o de presos, das 17 pessoas conduzidas coercitivamente e dos locais que foram alvos de mandados de busca e apreensão.
É bom alertar para quem ainda não caiu na real, que a operação de ontem é do STJ, mas há uma investigação já bastante adiantada sobre o mesmo tema na força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro. Nos próximos dias, quem sabe horas, o Rio de Janeiro pode viver grandes emoções.
Sururu na ALERJ
A deputada Cidinha Campos, grande defensora da dupla Cabral – Picciani, usou a sessão da Assembleia para defender seu grande amigo presidente da Casa. Disse que há uma conspiração para acabar com a hegemonia do PMDB no Rio, e chamou de abutres os adversários do governador Pezão e de Picciani.
CONTINUA...

Anônimo disse...

Vindo dos Pampas CONTINUA II

Talvez a deputada Cidinha Campos tenha esquecido o que já disse a respeito de Cabral e Picciani no passado. Merece mesmo o apelido de EsqueCidinha Campos. Ela ainda não viu nada do que está por vir. Ficará EnlouqueCidinha quando aparecer a relação dos deputados que recebem o mensalão da Fetranspor.
Frente a frente
Durante as três horas que passou prestando depoimento à Polícia Federal, Picciani foi colocado frente a frente para uma acareação com alguém que o acusou formalmente. Infelizmente não podemos dar o nome, pois está em segredo de justiça.
Operação: Não é Odebrecht, ela é Carioca
Equivocadamente desde cedo a imprensa tem noticiado que a operação de ontem, baseada na delação premiada do ex-presidente do TCE, Jonas Lopes de Carvalho foi feita por conta do envolvimento do seu nome com a Odebrecht. Ato falho, as delações da Odebrecht ainda virão à tona. Jonas foi delatado pela Carioca Engenharia Tânia Fontenelle. Em seu depoimento, ela afirmou que entregou recursos no escritório de advocacia do filho do conselheiro. Este depoimento é que provocou a condução coercitiva de Jonas, que o levou a fazer a delação. CONTINUA....

Anônimo disse...

Vindo dos Pampas CONTINUA III E TERMINA

O caso Odebrecht, embora tenha se tornado em parte público, ainda está nas mãos do ministro do STF, Edson Fachin, que vai remeter ao STJ os casos que envolvam foro especial, e para a primeira instância quem não tem foro de prerrogativa.
Jorge Picciani vai soltar o verbo
O deputado Jorge Picciani mandou avisar que fará hoje, às 15 horas, um pronunciamento no plenário da ALERJ sobre os fatos que ocorreram ontem. Cada um tem o desejo de saber algo do deputado. Há quem queria saber quantas fazenda ele tem. Há aqueles que sonham que Picciani possa revelar a fórmula da sua ascensão financeira retumbante para que possam se inspirar também. Seus antigos colegas de Mariópolis, onde começou sua vida, sonham passar um dia fazendo turismo nas fazendas da Agrobilara, no Triângulo Mineiro.
Eu sou mais modesto. Só gostaria de saber o que as vacas de Picciani comem para que produzam tanto dinheiro.

Anônimo disse...

rvchudo
quarta-feira, 29 de março de 2017
Quem é a Ministra que soltou Adriana “Cabral” Anselmo?

Maria Thereza de Assis Moura, conhecida como “Delegada” ou “Delê” para os íntimos, não prestou concurso para juiz. Era advogada e foi nomeada por – adivinhe - ele mesmo, o notório presidente Lula, para assumir uma vaga destinada a advogados no STJ em 2005. A ministra - que nunca foi Juiz e lá chegou assim como Dias Toffolli e Ricardo Levandowiski, sem prestar concurso, este último indicado por Orestes Quércia para o Tribunal de Alçada! - é fã ardorosa dos Direitos Humanos, sendo especialista em conceder liminar em Habeas Corpus para soltar criminosos. Entre outros, ela garantiu que o jornalista Pimenta Neves, aquele diretor do Estadão que assassinou a namorada e confessou, ficasse solto até o último grau de recurso. Mandou soltar também Thiago Paiva, sobrinho de Tião Vianna, amigão do Lula e do PT, quando era indiciado por formação de quadrilha, formação de cartel, corrupção ativa e passiva. Entre seus vários trabalhos, sempre a favor dos Direitos Humanos, contesta o rigor com que são tratados os presos acusados de crimes hediondos. Ela acha que condenados por crimes hediondos devem ter progressão para sair mais rapidamente da cadeia.
Ela é uma espécie de Maria do Rosário de toga. Desta vez, numa operação Solta a Jato, atropelou uma decisão de Desembargador Abel Gomes, do TRF, mandando soltar uma criminosa TRÊS DIAS após ele mandar Adriana Ancelmo continuar presa em Bangu.
Link: Orgulho de ser opressora
Postado por Ricardo Oscar vilete Chudo às 13:42

Anônimo disse...

terça-feira, 28 de março de 2017
http://rvchudo.blogspot.com.br/

Agora ele vai se enrolar.

Justiça determina que governo Temer comprove déficit na Previdência Social.

União terá que provar, com documentos, que sistema previdenciário possui rombo de R$ 140 bilhões.

A 21ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal deferiu, parcialmente, pedido de liminar formulado pela Federação Nacional dos Servidores da Justiça Federal e do Ministério Público Federal (Fenajufe) contra a União, para que o governo de Michel Temer comprove a veracidade dos dados financeiros que embasam a afirmação de que, atualmente, o sistema de Previdência Social é deficitário em R$ 140 bilhões. A decisão foi publicada pela Justiça Federal no início da noite da segunda-feira (20).

O juiz federal substituto Rolando Valcir Spanholo, da 21ª Vara, decidiu que a União deverá esclarecer e detalhar, em 15 dias, a metodologia utilizada pelo governo para apurar o déficit previdenciário de até R$ 140 bilhões, valor “intensamente divulgado nos últimos dias”. Segundo o magistrado, o Estado deverá demonstrar, via documentação hábil, o total das receitas obtidas, bem como o efetivo destino a elas dado, ao longo de 2012 a 2016.

Além disso, o juiz aceitou o pedido da Fenajufe de proibir a veiculação de peças publicitárias, criada pela União, com objetivo de “fomentar opinião pública favorável à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016”. Há uma semana, a Justiça Federal do Rio Grande do Sul determinou a imediata suspensão, em todo o território nacional, de todos os anúncios do governo sobre a reforma da Previdência, sob pena de multa diária de R$ 100 mil.

Revista Forum
Postado por Ricardo Oscar vilete Chudo às 14:16

Anônimo disse...

http://rvchudo.blogspot.com.br/
Cinco da mesma quadrilha (TCE) são presos no Rio de Janeiro
Da esquerda para a direita: Aloysio Neves Guedes, Domingos Brazão, José Gomes Graciosa, Marco Antonio Alencar e José Mauricio Nolasco.

A Operação O Quinto do Ouro, da Polícia Federal, deflagrada nesta quarta-feira, 29, pegou cinco conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro. O conselho deliberativo da Corte de Contas tem sete membros.
São alvos de prisão temporária o atual presidente da Corte Aloysio Neves Guedes (mandato de 2017 a 2018), o vice-presidente Domingos Inácio Brazão e os conselheiros José Gomes Graciosa, Marco Antonio Alencar e José Mauricio Nolasco.
Segundo o site do Tribunal de Contas, Aloysio Neves Guedes foi advogado e jornalista e exerce funções públicas desde 1966. Tomou posse como conselheiro em abril de 2010, eleito vice-presidente para o biênio 2015-2016.
Domingos Brazão foi deputado estadual, no exercício do mandato desde 1999 até 2015, perfazendo 17 anos de mandato parlamentar.
José Gomes Graciosa é advogado e foi presidente do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro de 2001 a 2006. O conselheiro foi prefeito de Valença (31/01/82 a 31/01/88), no interior do Estado.
Marco Antonio Alencar é advogado e ocupou cargos públicos municipais e estaduais, entre os quais o de Secretário-Chefe do Gabinete Civil da Governadoria do Estado do Rio de Janeiro. Foi vice-Presidente do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro no período de 2001 a 2006. CONTINUA...

Anônimo disse...

http://rvchudo.blogspot.com.br/ CONTINUA II

José Mauricio Nolasco é advogado, professor e especialista em Planejamento e Orçamento, Direito Empresarial, Falimentar e Público. Foi presidente da Corte eleito para os biênios de 2007/2008 e 2009/2010.
Um dos principais trabalhos de fiscalização do Tribunal de Contas do Rio é a prestação de contas do Chefe do Poder Executivo do Governo do Estado. As contas do governador são julgadas pela Assembléia Legislativa com base no parecer prévio (contrário ou favorável) emitido pelo Tribunal – que verifica, por exemplo, se a Lei Orçamentária Anual aprovada pela Assembléia Legislativa foi respeitada, bem como o cumprimento dos limites constitucionais, em termos de aplicação de recursos em diferentes áreas, tais como educação, saúde e meio ambiente, entre outras.
A Quinto do Ouro teve origem na delação premiada do conselheiro Jonas Lopes, ex-presidente da Corte de Contas, e de seu filho à Procuradoria-Geral da República. Em dezembro do ano passado, Jonas Lopes foi levado para depor na Operação Descontrole, desdobramento da Lava Jato.
Em seu site, o Tribunal de Contas informa que a missão do órgão é ‘fiscalizar e orientar a Administração Pública fluminense, na gestão responsável dos recursos públicos, em benefício da sociedade’.
Os conselheiros do TCE são investigados por supostamente fazerem parte de um esquema de pagamentos de vantagens indevidas que pode ter regularmente desviado valores de contratos com órgãos públicos para agentes do Estado, em especial membros do Tribunal de Contas do Rio de Janeiro e da Assembleia Legislativa do Estado. CONTINUA...

Anônimo disse...

http://rvchudo.blogspot.com.br/ CONTINUA III E TERMINA

Segundo nota da PF, O Quinto apura a suposta participação de membros do tribunal de contas do Rio no recebimento de pagamentos indevidos oriundos de pagamentos indevidos de contratos firmados com o Estado fluminense em contrapartida ao favorecimento na análise de contas/contratos sob fiscalização na Corte de Contas. Agentes públicos teriam recebido valores indevidos em razão de viabilizar a utilização do fundo especial do TCE/RJ para pagamentos de contratos do ramo alimentício atrasados junto ao Poder Executivo do Estado do Rio de Janeiro, recebendo para tal uma porcentagem agem por contrato faturado.
O site da Corte de Contas aponta ainda que os valores dos membros do Tribunal de Contas do Rio são transparência, ética e efetividade.
“Agir com integridade, honestidade e probidade para a preservação dos interesses institucionais e dos princípios que regem a Administração Pública”, informa a Corte. “Atingir os resultados propostos e solucionar os problemas existentes, com eficácia e eficiência, mediante ações, projetos e planos desenvolvidos para essa finalidade.”
ESTADÂO
Postado por Ricardo Oscar vilete Chudo às 09:15

Anônimo disse...

http://rvchudo.blogspot.com.br/
PM, é preciso que você reaja!
Muitos dos policiais que hoje estão morrendo diariamente nem eram nascidos quando eu estava na ativa, mas me compadeço e uma revolta toma conta de mim. Revolta também contra eles, que nada fazem para mudar o atual cenário. Eu tinha decidido não mais postar nada em defesa da vida do policial militar do Estado do Rio de Janeiro, já que eles mesmos parecem não se importar com a morte dos seus, só o fazendo nas redes sociais e esquecendo no dia seguinte ou até a morte do próximo.
Estou na Reserva Remunerada há nove anos, prestes a passar à Reforma definitiva. Porque eu iria me preocupar? Compareci a todas as manifestações pela vida do policial, em todas me decepcionei com a ínfima presença dos interessados, principalmente os da ativa. Parentes só os do morto do momento, no próximo já não compareciam.
O governo PMDB do Rio de Janeiro desde o inicio já preparava uma armadilha para os policiais, jogando os mais inexperientes numa “selva” dominada por “feras” que matam, decepam, torturam e incineram qualquer um a qualquer hora e por qualquer motivo. Parece que foi um trato, a venda de drogas nunca rendeu tanto lucro quanto no inicio das UPPs, não precisavam de “soldados” para defender seus pontos de venda, a PMERJ estava lá de graça. O lucro era tanto que as armas voltaram em grande quantidade e mais modernas, já que o ganho despertou interesses de rivais e a PMERJ não conseguiu conter as invasões de facções rivais. CONTINUA...

Anônimo disse...

http://rvchudo.blogspot.com.br/ CONTINUA II E TERMINA
Neste vídeo fica claro o quanto estas comunidades os desprezam, as pessoas de bem estão imobilizadas pelo medo. O policial militar caído ao chão após ser baleado, e a "cumunidade" fazendo vídeo e incentivando a roubar a arma, um fuzil, que poderia render R$ 20.000,00 rais se vendida aos traficantes. Percebe-se que o ladrão voltou e jogou a arma junto ao corpo do policial, não por arrependimento, e sim porque foi chamado atenção pelos traficantes de que aquela merda de arma não lhes servia.
A "comunidade de bem", com as modernas tecnologia, poderia, se quisesse, acabar ou pelo menos diminuir o poderio bélico/financeiro dos traficantes fazendo denuncias pelos meios disponíveis que garantem o anonimato, mas não o fazem.
Hoje, findo o “reinado” PMDB, as viaturas voltam a ser como na década de 90, sucateadas, desmanchando e canibalizadas para que outras continuem rodando. As armas sem nenhuma manutenção, sujas, expostas à intempéries do tempo, enferrujam sem lubrificação, falhando quando o policial mais precisa dela.
Não posso simplesmente virar as costas como um “ôda-se” para jovens que morrem diariamente. Mas estes jovens também precisam valorizar suas vidas, sua profissão, seus equipamentos de uso diário.
Estarei sempre com a PM! Enquanto tiver forças para ficar de pé e andar, ombrear com eles. Mas para isso preciso deles, de suas presenças nos eventos reivindicatórios. Do contrário, não terei com quem ombrear.
Postado por Ricardo Oscar vilete Chudo às 11:27
PS – VIDEOS NO BLOG ACIMA.

Anônimo disse...


BLOG videVERSUS

quinta-feira, 30 de março de 2017

Yeda Crusius volta a ser ré na ação de improbidade administrativa da Operação Rodin

O Superior Tribunal de Justiça cassou o efeito suspensivo que impedia o prosseguimento da ação de improbidade administrativa contra a deputada federal Yeda Crusius (PSDB-RS) no âmbito da Operação Rodin, que investigou fraudes no Detran do Rio Grande do Sul durante mandato da ex-chefe do executivo gaúcho. O STJ atendeu a um pedido do Ministério Público Federal que solicitava o fim da medida, deferida pelo vice-presidente do Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região em 2015. Com a decisão, assinada pelo ministro Francisco Falcão, o processo contra Yeda Crusius segue tramitando na Justiça Federal de Santa Maria até que os ministros do STJ e do Supremo Tribunal Federal analisem os recursos. Os advogados da ex-governadora pedem a suspensão do processo. Por ser deputada federal — ocupando como suplente vaga deixada por Nelson Marchezan (PSDB) ao assumir a prefeitura de Porto Alegre —, Yeda Crusius tem foro privilegiado, mas a prerrogativa não se aplica em casos de improbidade administrativa, que devem ser analisados em primeira instância. Na época, na solicitação de paralisação do processo, a defesa de Yeda Crusius alegou que a tramitação "tem causado prejuízos ao patrimônio moral e político, com reflexos objetivos e subjetivos na vida da cliente". No entendimento do ministro, a apuração dos fatos é "imperiosa" diante dos indícios, "em tese", de atos de improbidade administrativa. No pedido enviado pelo Ministério Público Federal ao STJ, a subprocuradora-geral da República, Sandra Cureau, afirma que, com a paralisação do processo na Justiça, "a sociedade fica sem uma resposta e sem saber o que realmente ocorreu no caso investigado". Fábio Medina Osório, advogado de Yeda Crusius, afirmou que o tema ainda deverá ser debatido no Supremo Tribunal Federal.

Postado por Vitor Vieira às 02:23:00