quinta-feira, 9 de março de 2017

Ministério Público subjugado ao comunista ministro Fachin


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Laércio Laurelli

Quando em um país que reflete a aparência de estar qualificado na qualidade de “democrata” ou seja, politicamente sob a tutela do Estado Democrático de Direito, e, que, segundo relatos da imprensa, o procurador geral da república deve pedir ao ministro Edson Fachin comunista que não jurou lealdade à constituição, relator da operação Lava Jato no STF, autorização para investigar várias autoridades com foro privilegiado, tenha certeza que a situação do Brasil pode ser considerada catastrófica, contaminada e visivelmente ameaçada de desconstrução dos conceitos da honra, da independência, do patriotismo, da consciência pública e dos sentimentos de direito e justiça.

Vê-se, portanto, que o trófeu do garantismo aos direitos assegurados no artigo 128 e seguintes da Constituição federal foram aviltados e a proteção dos interesses público e social e dos direitos coletivos da nação passaram a conviver no esgoto desprezível da banalização.

Esses tresloucados políticos sediados no governo federal e adjacências parlamentares, não usufruem credibilidade suficiente para desfrutarem de seus cargos e dirigirem o país, diante do destaque da inclinação não corrigível da dificuldade de não se tornarem jamais sinceros, já que são o que são não havendo distância entre o que realmente são e o que projetam ser mais ainda no sentido de avançarem no dinheiro público, haja vista que as recentes delações nos dão conta  do roubo sistêmico.

Bilhôes e bilhôes de reais convertidos em moeda estrangeira são desviados diuturnamente;

Não se pode deixar fluente esse paradoxo espantoso, constituir um fluxo de eficiência criminosa e perpetuar-se como consciência de uma realidade sem as devidas sanções imediatas.

Pensem nisto!


Laércio Laurelli é Desembargador aposentado do Tribunal de Justiça de São Paulo. Diretor e Apresentador do programa “Direito e Justiça em Foco”.

2 comentários:

Anônimo disse...

A VERDADE É QUE O JUDICIARIO NÃO RESPEITA A CONSTITUIÇÃO E NÃO APLICA A LEI... DIREITOS ADQUIRIDOS VALEM APENAS PARA ELES, OS DIREITOS ADQUIRIDOS DO POVO É RETIRADO A TODO MOMENTO E O JUDICIRIO NÃO FAZ NADA, BASTA VER OS SALARIOS E PREVILÉGIOS DO JUDICIARIO, FFAA E POLITICOS, ESSES DIREITOS SE TORNARAM UM ASSALTO NOS COFRES... SE ISTO É CONSTITUCIONAL ALGUÉM VEM INTERPRETANDO A CONSTITUIÇÃO COM DISTORÇÕES EMINENTE... SEM UMA CORREGEDORIA SÉRIA E SEM A MODIFICAÇÃO NA LEI DA MAGISTRATURA O JUDICIARIO ASSIM COMO OS POLITICOS CONTINUARÃO A ENTERRAR O PAIS, DE TÃO INCOMPETENTE E CORRUPTO UM SIMPLES PROCESSO CHEGA A DURAR UM QUARTO DE SÉCULOS E ISTO ACONTECE POR SIMPLES SABOTAGEM COM A INTENÇAO DE NOS ATRAVANCAR... PENSE NISTO POIS OS JUIZES SE TRANSFORMARAM EM CARRASCOS DA CONSTITUIÇÃO...

Anônimo disse...

Caro Dr.Laércio,
Pelo jeito que as coisas andam,parece que a palavra final dos rumos a serem tomados pela política será mesmo do STF.Os outros Dois Poderes são os dirigentes do STF. Hoje se vê claro como Rui Barbosa estava certo quando afirmou que "a pior ditadura é a do Judiciário. Contra ela não há a quem recorrer". Ora,é sabido e consabido que o aparelhamento do Supremo Tribunal Federal tornou-o o braço forte do sistema político decadente ao qual desgraçadamente estamos subordinados. Justifica-se,portanto,a insubordinação e mesmo insurreição civil e militar. É preciso então que excepcional e temporariamente o direito da força se sobreponha ao "Estado-de-Direito",que na verdade é de "anti-Direito",devido à moléstia grave que contaminou todas as Fontes do Direito (lei,jurisprudência,doutrina e costumes).Sérgio A.Oliveira.